O Ceifador por Neal Shusterman.

29/06/2017

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788555340352
Editora: Seguinte
Ano de Lançamento: 2017
Número de páginas: 448
Classificação:
Sinopse: Scythe – Livro 01.
Primeiro mandamento: matarás.
A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.

Do mesmo modo que adoro de uma leitura leve e singela, não abro mão de livros com uma narrativa um pouco mais "ambiciosa" e principalmente inteligente. Assim que comecei a leitura de O Ceifador, estava preparada para me deparar com uma história de certa forma "pesada", escrita com a pretensão de impactar o leitor. Porém para minha surpresa, o autor Neal Shusterman nos apresenta aqui uma narrativa instigante que mesmo causando o impacto desejado, consegue ser envolvente e despretensiosa.

A humanidade finalmente atingiu o nível de  perfeição. A violência, fome, doenças e a morte são coisas do passado. Graças a Nimbo-Cúmulo, a inteligência artificial que evoluiu de uma simples nuvem de dados para se tornar a maior autoridade do planeta, a paz e a imortalidade foram finalmente alcançadas. Porém, para que o perfeito equilibro entre homem e recursos naturais exista algumas pessoas ainda precisam morrer e os únicos que podem pôr fim a uma vida são os ceifadores. Eles estão acima de qualquer lei, e até mesmo a Nimbo-Cúmulo se mantém afastada dos assuntos referentes à Ceifa, a grande organização dos ceifadores.

Os ceifadores são temidos e quando os caminhos de Citra e Rowan se cruzam com os do ceifador Faraday a vida dos dois adolescentes muda para sempre. Embora nenhum dos dois deseje aprender a arte de matar, eles acabam se tornando aprendizes do ceifador. Mas apesar de sua missão macabra, Faraday acredita que o ato de coletar uma vida deve ser feito com compaixão e não por prazer. Só que a Ceifa está cada vez mais dividida e muitos estão dispostos a quebrar as leis da organização e assim trazer ao mundo uma nova era sangrenta.

O treinamento para se tornar um ceifador é pesado e a convivência faz como que uma cumplicidade e outro tipo de sentimento surjam entre Citra e Rowan e isso não passa despercebido a Ceifa. Graças a uma intrincada rede de intrigas e conspirações, Citra e Rowan acabam em lados opostos e ao final do treinamento, somente um deles irá receber o manto sagrado e o anel de ceifador o outro terá que morrer. Mas será que eles vão de capazes de cumprir o decreto da Ceifa?

O Ceifador nos leva por uma viagem ao um mundo futurista em que a ciência e a tecnologia conseguiram resolver os grandes dilemas da humanidade, incluindo a morte. Por esse motivo acredito que mesmo contando com personagens bem construídos e protagonistas fortes, a Morte é de fato o personagem central aqui.  De uma maneira bastante perspicaz Neal Shusterman inseriu várias reflexões sobre o tema, além de duras críticas a sistemas corruptos e ao estilo de vida mais “fácil”. Foram justamente esses pontos e a forma como eles são trabalhados na narrativa que tornam o livro tão incrível em minha opinião.

Gostei muito do modo como o autor construiu a personalidade da Citra e do Rowan. Os dois tiveram criações diferentes e são quase como água e vinho. Seus caminhos provavelmente nunca teriam se cruzado se não fosse pelo fato de Faraday os ter escolhido como aprendizes. Ambos possuem um principio moral e éticos muito fortes, que se tornam ainda mais visíveis nos momentos que a sombra do significado de ser um ceifador e o poder que isso traz, os faz questionar suas motivações e a si mesmos.

Tanto o ceifador Faraday como a ceifadora Curie desempenham um papel importante no desenvolvimento da história. São eles que dão a voz as reflexões que o autor inseriu na narrativa, e como ceifadores da “velha guarda” Faraday e Curie demonstraram através de suas ações uma compaixão e empatia pelo próximo enorme, especialmente se levarmos em conta que eles são os responsáveis por trazer dor e sofrimento as pessoas.

Neal Shusterman ainda nos presenteia com o vilão caricato é verdade, mas que apesar da sua prepotência e desejo por sangue e poder consegue ser carismático. E mesmo que eu não goste muito dessa separação explicita entre o bem e o mal em narrativas, eu consegui entender os motivos do autor para deixar isso tão claro na história. Afinal a humanidade conseguiu chegar a um nível de evolução científica e tecnológica em que a única coisa que nos espera é uma vida eterna, agradável e feliz. Mas será que a ciência e a tecnologia são capazes de eliminar o que de pior existe no instinto humano?

Outro ponto positivo é o fato do autor ter focado na evolução da história como um todo deixando o suposto romance entre os protagonistas como plano de fundo. Isso faz com que a narrativa fique mais interesse e gostosa de acompanhar, pois quanto mais o autor revela os segredos da Ceifa e a forma como esse mundo utópico funciona, mais sobre eles queremos saber.

O Ceifador uma foi grata surpresa e sem sombra de dúvidas é uma das minhas melhores leituras do ano até o momento. Sua narrativa é repleta de mistérios e reviravoltas que me deixaram simplesmente chocada em alguns capítulos. Além disso, Neal Shusterman soube como deixar pontas soltas e perguntas para serem respondidas no próximo livro da série. De minha parte só posso adiantar que estou bem curiosa para saber o que o futuro reserva para Citra e Rowan.

“Remorso. Arrependimento. Sofrimentos grandes demais para suportarmos. Porque, se não sentíssemos nada, que espécie de monstros seríamos?“

Confesso que ao iniciar a leitura de O Ceifador esperava uma história completamente diferente e acabei surpreendida da melhor forma possível. Mesmo com os ares futuristas, Neal Shusterman aborda aqui questões atuais em uma narrativa inteligente marcada por reflexões sobre o caráter humano, vida e a morte. Tudo isso com uma escrita fluida e envolvente que vai fazer você perder algumas horas de sono para descobrir o que te espera no próximo capítulo.

Comentários via Facebook

25 comentários:

  1. Oi Ane, a proposta em si não me atraiu e apesar dos seus bons comentários a respeito ainda tenho algumas reticências com a história
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu amei a história? Amei! Já quero muito ver ♥ Acho que você iria gostar de 'Admirável mundo novo' se você ainda não leu não deixe de ler!

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Ane, todo mundo diz isso, que se surpreendeu com a história! Eu ainda quero conferir porque li um livro desse autor e gostei bastante! Amei a resenha, super completa!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia o livro, e confesso que não gostei muito da história pelo pouco que li.. Não gosto muito de livros assim, rs .. Mas, bem interessante a resenha.

    Daniele

    Dezesseis

    ResponderExcluir
  5. Amei sua resenha, super completa. Confesso que esse tipo de livro não é o meu favorito, mais obrigada pela dica! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Ane, tudo bom?
    Ainda tô meio indecisa quanto a querer ler esse livro e deixar pra próxima. Minha experiência de leitura com o outro livro do autor não foi tão boa :/
    Mas que legal saber que deu certo pra ti! Adoro quando os personagens são bem construídos <3

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Ane, sua linda, tudo bem?
    Essa parece ser uma história incrível. Adoro livros que trazem reflexões como essas. Antes de mais nada, como deixar a cargo de uma pessoa decidir quem morre ou quem vive? E vemos que tem algo errado, pois quando perceberam a proximidade entre Citra e do Rowan armaram para que ficassem um contra o outro e no final um dos dois tivesse que morrer. Por quê? Não há lugar nesse mundo perfeito para o amor? E como sei que não existe perfeição esse tipo de mundo me dá arrepios! N]ao vejo a hora de ler. Adorei sua resenha!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Ane.
    A Seguinte tem lançado ótimos livros ultimamente. Esse enredo é muito interessante, acho que não lembro de ter visto nada parecido. Mas o autor inova mesmo, vide Fragmentados onde amei a escrita dele. Esse é um livro que está na minha lista com certeza.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Estou vendo o pessoal falar bastante desse livro... Parece ser uma ótima leitura! ;)

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ane!
    Eu amei esse livro! Ele foi bem diferente do que pensei e se tornou uma melhores leituras desse ano. Ansiosa pela continuação.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  11. Oi Ane!
    Eu acho que também seria surpreendida por essa obra.
    Nada nela me chama a atenção, mas vejo tantos elogios que fico curiosa para saber o que eu iria achar...
    Talvez eu ame, assim como você. Tomara, né?
    Assim que ler, te conto tudo ;)
    Beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Anne! Gosto muito de livros assim e fiquei louca de vontade de ler. Adorei a sinopse e sua resenha da história ficou ótima, bem detalhada! <3

    Beijo!
    controversios.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane,
    Por que? Por que vc tem que dizer que foi a melhor leitura do ano, eim? rsrs
    Estava pensando em esperar a seguinte lançar o restante da série, mas agora nao sei se me aguento.
    Uma pena o vilão ser um pouco caricato, mas a opção do autor parece ser justificável mesmo.
    E ainda bem que o livro foca mais na estória em si do que no romance dos protagonistas.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi
    que bom que o livro foi uma boa surpresa e já é considerado uma das melhores leituras, eu só ando lendo elogios desse livro e a sua foi mais uma , achei interessante esse negocio de ceifador.

    http://momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ane! A proposta do livro sem dúvida é bem interessante, ter essa perspectiva do futuro e a relação do bem e do mal. Imagino que para esses jovens, não deve ser fácil ser treinado para matar. Apesar de despertar uma curiosidade, acredito que não leria, pois não faz meu estilo rsrs bjos, adorei sua resenha. <3

    Click Literário

    ResponderExcluir
  16. Oi Ane!
    Tudo bem??
    Adorei a resenha!! Tb gosto de livros mais "fortes" de vez em quando!!
    Beijos
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=M7zspSSsLHM
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
  17. Amei a história! Já curti sua página!
    Beijokas!
    dreamsdsweet.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oi Ane! Li Fragmentados do autor e gostei demais de sua escrita e desta forma aposto que Ceifador vai me agradar muito. Espero curti assim como você.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  19. Amei a resenha,esse livro parece ser bem diferente e ao mesmo tempo interessante
    Beijos
    lolamantovani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Oi Ane,
    A trama do livro parece ser diferente de tudo que eu já li, talvez no futuro e se eu tiver uma oportunidade, vou querer conferir.

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Oi Anne
    Eu confesso que evito livros pesados.Prefiro uma leitura mais leve e um suspense envolvente de vez e quando.

    Mas o que importa é como o autor construiu sua narrativa e desenvolvru seus personagens.
    E pelo jeito nesse quesito ele arrasou.Deve ser sim uma otima leitura ,mas eu não sei se leria.

    Otima resenha

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  22. Oi Ane!
    Assim como você,fui muito surpreendido por essa história.Não esperava gostar tanto assim.Acho que foi a distopia que mais se aproximou de abordar questões sociais tão importantes e de uma forma tão próxima do leitor.
    Já virei fã do autor kkkkkkkkk
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Ane,
    Já ouvi vários comentários positivos sobre esse livro, mas ainda não cheguei a ler
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  24. Li esse livro mes passado e amei ele, fiz resenha lá no blog tb. Não vejo a hora de sair o segundo para saber o que vai acontecer.

    www.jesselira.com.br

    ResponderExcluir
  25. A capa me chamou a atenção desde que começou a aparecer nos blogs. Eu não fazia idéia do que realmente se tratava, pois não tinha lido nem mesmo a sinopse, embora eu saiba o que é um ceifador. Nesse mundo imaginário do autor, será que existe a felicidade, a busca por algo melhor? Creio que não, uma vez que não há nada para o qual lutar: nascimento, vida, doença e morte estão ligados ao ser humano e a qualquer ser vivo. Quero ler o livro e ver como o autor apresenta esse mundo e como os seres que nele vivem se relacionam e como lidam com a morte que é escolhida por outro ser humano.

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por