25/10/2018

Correndo Descalça por Amy Harmon.

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.




ISBN: 9788576866879
Editora: Verus
Ano de Lançamento: 2018
Número de páginas: 349
Classificação: Ótimo.
Sinopse: Quando Josie Jensen, uma desajeitada menina prodígio da música, conhece Samuel Yates, um garoto confuso e revoltado descendente dos índios Navajos, uma amizade improvável floresce. Apesar de ser cinco anos mais nova, Josie ensina a Samuel sobre palavras, música, sonhos, e, com o tempo, eles formam um forte vínculo de amizade. Após se formar no colégio, Samuel abandona a cidadezinha onde vivem em busca de um futuro, deixando sua jovem amiga com o coração partido. Muitos anos depois, quando Samuel retorna, percebe que Josie necessita exatamente das coisas que ela lhe oferecera na adolescência. É a vez de Samuel ensinar a Josie sobre a vida e o amor e guiá-la para que ela encontre seu rumo, sua felicidade. Profundamente romântico, Correndo Descalça é a história de uma garota do interior e um garoto indígena, sobre os laços que os ligam a suas casas e famílias e sobre o amor que lhes dá asas para voar.

S
empre li resenhas positivas dos livros da autora Amy Harmon, porém somente com o lançamento de Correndo Descalça tive finalmente a oportunidade de conhecer o estilo de escrita da autora. Não é segredo para ninguém que acompanha o blog a mais tempo que essa blogueira que vos escreve adora um bom drama. E se esse drama vier acompanhado de uma pitadinha de romance é melhor ainda.  E Correndo Descalça é exatamente esse tipo de livro, em que a autora mescla com maestria os dramas do dia a dia com um romance sutil e belo.

Josie Jo Jensen desde muito jovem precisou aprender a lidar com perdas. Aos nove anos depois de perder a sua mãe, ela assume para si a responsabilidade de cuidar do pai e dos irmãos e com isso deixando cedo demais a infância para trás. Por um bom tempo o seu único refúgio são os livros, até que a chegada do casal Sonja e Doc a pequena cidade de Levan traz uma nova e inesperada mudança em sua vida. Com Sonja, Josie descobre uma nova paixão, a música. Josie passa a ter aulas de piano e entre as suas histórias e composições favoritas ela cresce e se torna uma adolescente solitária.

Mas, em uma manhã como outra qualquer, Josie conhece alguém mais deslocado e solitário que ela, Samuel Yates. Samuel é decente dos índios navajos e precisa lidar constantemente com o bullying no colégio e com a desconfiança de alguns moradores da pequena cidade que o vêm como um garoto problema. Uma amizade entre duas pessoas tão diferentes à primeira vista parece totalmente improvável, porém entre clássicos da literatura e da música, Josie passa a compartilhar com Samuel seus sonhos ao mesmo tempo em que ensina para ele o poder das palavras.

E através dessa convivência um sentimento mais forte acaba nascendo entre eles. Só que ambos são muito jovens para viver uma história de amor Samuel decide seguir seu caminho longe de Josie, que por sua vez se vê novamente precisando lidar com novas e dolorosas reviravoltas que a vida lhe reserva.

Anos de passam e quando eles de reencontram, Josie não é nem a sombra da pessoa que Samuel conheceu. Nem mesmo a música que tanto Josie amou no passado parece oferecer algum consolo para a dor que tomou conta de seu coração. E agora é a vez Samuel ensiná-la a ver a vida com outros olhos e principalmente a se permitir a amar e ser amada novamente.

Confesso que comecei a leitura de Correndo Sozinha sem saber muito ao certo o que iria e o que eu queria encontrar. Queria um livro que me emocionasse? Sim. Um livro que me deixasse encantada com um belo romance? Também. Mas, para minha felicidade Correndo Descalça não apenas conseguiu atingir esses dois objetivos, como foi um pouco mais além disso. Pois, conforme a leitura ia avançando, me via cada vez mais envolvida com as pequenas sutilezas contidas na narrativa e principalmente, com a sensibilidade como a autora desenvolveu a narrativa e seus personagens.

Em muitos momentos me identifiquei com a Josie, não só porque assim como ela, eu encontro nos livros e na música um porto seguro, mas pelo fato de ter precisado deixar a infância e até mesmo a adolescência cedo demais para cuidar dos outros. Eu conseguia compreender a solidão “auto imposta” da personagem, e o medo que suas atitudes acabassem por magoar as pessoas que ela ama.

Já com o Samuel eu tive não uma relação de amor e ódio propriamente dita, só que não nego que meus sentimentos pelo personagem em muitos momentos foram bem conflitantes. Tipo, eu conseguia entender a necessidade dele proteger a Josie e mostrar o seu valor, porém às vezes a forma como ela faz isso é muito dura e até mesmo um pouquinho “insensível”. Porém, é justamente a forma como o romance entre ele a Josie foi construído que tornar Correndo Descalça uma leitura tão sensível. Aqui vemos como a amizade simples e descomplicada de adolescência se transforma em um amor que sobrevive há anos de distância.

Os personagens secundários embora não tenham uma participação muito ativa também desempenham um papel fundamental para o desenvolvimento da narrativa, em especial a Sonja e o pai da Josie. Eles se mantiveram ao lado da Josie nos momentos mais difíceis e cada um ao seu modo a ajudou a sobreviver não só a perda de pessoas queridas, mas de sonhos e oportunidades perdidas.

Gostei bastante como a Amy Harmon trabalhou os temas religião e espiritualidade também. Em nenhum momento isso deixou a narrativa pesada, pelo contrário contribuiu para aumentar ainda mais a sensibilidade do enredo. A minha única ressalva aqui é que senti que o final ficou um pouco “atropelado”, como se autora estivesse com pressa ou não soubesse direito como finalizar a história. 

“Algumas coisas não podem ser explicadas ou compartilhadas, porque perdem o brilho quando são passadas adiante.”

Correndo Descalça possui uma história muito sensível e emocionante e que ao mesmo tempo em que nos leva a refletir sobre as nossas dores. Amy Harmon construiu um romance terno e bonito, que apesar de todos os reveses se manteve forte em meio a fragilidade da vida.

Comentários via Facebook

14 comentários:

  1. Oi, Ariane! Tudo bom?
    Eu adoreeeeeei esse livro. Foi na surpresa também porque nunca tinha lido nada da autora, mas como ela sabe trabalhar bem um drama! Me deu chills e me fez querer abraçar os personagens e proteger todos eles do mundo, especialmente do meio pro final.
    A Josie é uma baita protagonista; a história dela foi uma das melhores coisas do livro.
    Ótima resenha!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha Ane. Me pareceu ser um livro muito bonito e, de certa forma, edificante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Tenho curiosidade em ler as obras da autora.
    Suas histórias parecem ter boas mensagens.

    até mais,
    Nana e Leticia - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  4. Olá, Ane.
    Eu tenho esse livro aqui na estante, veio em uma das caixas literárias que eu assino, mas não sou tão fã desse gênero, por isso acabei deixando lá. Mas recentemente eu li Beleza Perdida e amei a escrita da autora e por isso vou dar uma chance para ele. Ainda mais agora lendo sua resenha. Fiquei ainda mais interessada.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Ane,
    Eu gosto muito da autora, quero ler esse livro assim que acabar o 'Infinito + Um' que está parado na minha estante há alguns meses, rs.
    Eu comecei a ler, mas por prazos de parceria, tive que parar. Mas ela sempre me emociona com suas histórias, então estou otimista para esta também!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ane!
    Um final atropelado realmente é de se decepcionar um pouco, mas pela sua resenha a leitura foi bem tocante e prazerosa. Nunca li nada da Amy e por enquanto não tenho taanta vontade assim, mas não descarto a hipótese no futuro.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Oi Ane! Eu gostei muito do livro e achei a história muito sensível e comovente. É um lindo livro e se você gostou, recomendo Beleza Perdida. É meu favorito. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ane!

    Também adoro quando juntam drama e romance num lugar só. Acho a capa bem fofa e pela sinopse a história parece ser bem comovente, principalmente pela forma como eles se ajudam em épocas diferentes da vida. Assim que possível vou conferir a obra também. Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ane

    Se eu te falar que não quis solicitar esse livro por causa da capa você vai me achar maluca? Tenho um certo problema com pés e olhar essa capa me dá muita agonia! Hahahahahaha
    Sobre o enredo, que bom que a história acabou te conquistando. Eu gosto de histórias onde há alguém forçado a amadurecer por conta das circunstâncias da vida, sempre me emocionam.
    Estava um pouco preocupada quanto ao relacionamento, mas pelo visto não há nada muito problemático a não ser essa rudeza aí do cara.
    Vou tentar ler mais pra frente, vou ver se tem o eBook, assim não preciso ficar olhando pra capa! Hahahahahahaha

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Ane.
    Eu sempre leio resenhas elogiosas sobre esse livro. Mas ainda não me senti fisgada. Não sei o motivo, mas acho que o drama deve ser meio pesado e não ando numa fase boa pra isso. Sua resenha ficou perfeita, conseguiu passar seus sentimentos quanto a história.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oii, Ane.
    Eu ainda não tinha lido nenhuma resenha desse livro, parece ser bom.
    Também não gosto de finais atropelados, acho tão chato isso. Às vezes a história toda é ótima, mas o final corrido acaba estragando e nos decepcionando, o que é uma pena.

    Beijos! Dear Masen

    ResponderExcluir
  12. Oi Ane, tudo bem?
    Gostei da resenha! Eu só não ando comprando muito plots com "personagens quebrados". :(
    Acho que tenho preferido romances mais leves, com dramas/problemas mais comuns. Pelo menos na minha fase atual hahaha!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  13. Confesso que não conhecia essa autora e acredito ser a primeira resenha com alguma obra dela que eu leio. Não sou muito fã de dramas, mas gosto de ler naqueles momentos que sinto necessidade de reflexão sabe? E saber que tem um romance no meio, deixa a leitura mais prazerosa (mesmo com coisas tão sérias na trama).
    Acredito que daria uma chance pra leitura sim <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane,

    Dela li Beleza Perdida e gostei muito da escrita por ser leve e tocante e pelo visto e livro tem a mesma pegada.
    Já coloquei ele na lista e espero gostar da história!
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir

Instagram

© 2010 - 2018 My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in