A Indomável Sofia por Georgette Heyer.

31/03/2016

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9781402238802
Editora: Record
Ano de Lançamento: 2016
Número de páginas: 406
Classificação: Ótimo
Sinopse: Sofia Stanton-Lacy é alegre, impulsiva e de uma franqueza desconcertante, características que não combinam com o que se espera de uma mulher em sua posição na sociedade londrina do início do século XIX. Educada durante as viagens de seu pai, órfã de mãe, ela chega à casa de sua tia em Berkeley Square para derrubar as convenções e surpreender a todos com seus modos independentes e sua língua afiada. E Sophy parece ter chegado no momento certo: seus primos estão com muitos problemas. O tirânico Charles está noivo de uma jovem tão maçante quanto ele, já Cecilia está apaixonada por um poeta, e Hubert tem sérios problemas financeiros.  A prima recém-chegada decide então ajudar a todos com sua determinação e impetuosidade, e acaba enfrentando agiotas, roubando os cavalos de seu primo e atirando de raspão em um honrado cavalheiro. Embora sejam sempre mirabolantes e arriscados, seus planos sempre dão certo e tudo parece estar sob seu controle. O que ela não espera, porém, é que seu primo Charles, que aparentemente não vê a hora de arrumar um marido para ela, de repente passa a enxergá-la com outros olhos...

Os romances de época estão sempre marcando presença aqui no blog. E se tem algo que me deixa extremamente feliz, é conhecer um autor novo dentro de um gênero que adoro. As histórias de Georgette Heyer (1902 – 1974) há muito tempo vinham despertando a minha curiosidade, e quando finalmente tive a oportunidade de ler algo da autora, levou poucos minutos para que me visse completamente envolvida por sua escrita.

Antes de partir em uma viagem diplomática para o Brasil, Sir Horace visita a irmã Lady Ombersley para fazer um pedido especial. Que durante a sua ausência sua filha, Sofia Stanton-Lacy fique sobe os cuidados da irmã. Há principio Lady Ombersley fica um tanto receosa em aceitar a tutela da sobrinha, já que seu filho mais velho Sr. Charles Rivenhall pode não gostar nenhum pouco de ter uma hóspede praticamente desconhecida em casa. Só que após ser convencida pela lábia do irmão, Lady Ombersley e toda família se vêm ansiosos por receber a doce e delicada Sofia em Berkeley Square .

Porém assim que a jovem chega, fica claro que Stra. Stanton-Lacy pode ser chamada por muitos adjetivos, menos o de delicada. Sofia está mais para um furacão, e Lady Ombersley precisa recorrer a todos os seus sais aromáticos durante a estada da sobrinha em sua casa. Em especial por conta de Charles que é temido como um verdadeiro tirano por todos da família.  Mas sendo Sophy uma jovem órfã de mãe, criada em entre soldados, viajando pelo mundo ao lado de um pai que a criou para ser independente, ela jamais se deixa intimidar por tipos rabugentos e mal-humorados como Charles.

A bem da verdade é que Srta. Stanton-Lacy não está nem um pouco preocupada em se meter onde não é chamada e bagunçar um pouco as coisas. Afinal, alguém precisa fazer Charles ver o quanto suas atitudes são prejudiciais para a felicidade da família. Porém em seu caminho está a Srta. Eugenia Wraxton, que tem como o maior desejo levar uma vida regrada e tranquila ao lado do futuro marido, Sr. Charles Rivenhall. Uma coisa é certa, após a passagem de Sofia a Berkeley Square, nunca mais será a mesma.

Escrito em 1950, A Indomável Sofia possui em sua história elementos bem diferente da que encontramos nos romances de época atuais.  Além de uma narrativa mais clássica, seu enredo não conta com aqueles momentos “rompantes” de paixão a que estamos acostumados. Na história de Georgette Heyer o romance é extremamente sutil, ficando mais em segundo plano e isso faz toda diferença no desenvolvimento da trama e de seus personagens. Sophy é uma personagem determinada e totalmente fora dos padrões das damas “respeitáveis” do início do século XIX. 

Ao chegar a Berkeley Square, Sofia encontra sua família completamente perdida e temendo que qualquer “passo em falso“, desagrade Charles. Por isso cada um tenta resolver seus problemas da melhor forma que consegue, pois ninguém quer ser alvo da fúria tirana do Sr. Rivenhall. Sofia podia muito bem se acovardar perante a presença do primo mais velho e cuidar da sua própria vida.  Mas ela não somente o enfrenta de igual para igual, como se envolve nos problemas da família e passa a tentar resolve-los como se fossem seus. Ela não tem medo de expressar o que sente e muitas vezes de dizer o que pensa, e isso torna Sofia uma personagem forte e cativante.

Sempre que a narrativa ameaça ficar um pouco “monótona”, Sophy e Charles protagonizam diálogos inteligentes e cheios de ironia. E são justamente nesses momentos em que a autora nos permite conhecer o “verdadeiro” Sr. Rivenhall. Você vislumbra o homem que se esconde por trás de uma mascará de autoritário e frio, ao mesmo tempo em que vai descobrindo os motivos que o levam a agir assim.  Confesso que pela premissa eu esperava encontrar um romance mais doce e super clichê, e o fato do relacionamento de Sophy e Charles ter sido tratado de forma um tanto quanto superficial me incomodou um pouco.

Tipo você fica esperando por algo que quando acontece meio que não corresponde muito as suas expectativas. Não que isso seja de todo negativo, visto que no conjunto da obra temos uma história rica em detalhes e personagens encantadores. Georgette Heyer não somente criou uma trama envolvente, como também permitiu que os personagens secundários se destacassem dando a narrativa uma dose certa de drama familiar e bom humor. Mas, quanto ao romance propriamente dito,  é inevitável sentir aquela sensação que faltou alguma coisa.

 “– Às vezes me parece – replicou o Sr. Rivenhall – que sensibilidade é uma virtude totalmente desconhecida por você.
– É mesmo, fale-me sobre ela! – disse Sophy, com imensa cordialidade.”

Com uma protagonista inesquecível e sem um romance adocicado, A Indomável Sofia possui uma história muito bem construída com pequenos detalhes  e bons personagens que a torna única. Uma ótima opção de leitura para os fãs de romances de época, ou até mesmo aqueles que estão em busca de algo mais leve e não tão clichê. Recomendo!

Comentários via Facebook

20 comentários:

  1. Ti com um tal de DUQUE E EU aqui em casa. Não sou fã desses livros de épica, mas acabei me rendendo por ler tantas coisas sobre a série. Gostei desse tb. Se o do duque cair nas minhas graças é vem possível que eu venha para esse en seguida hahahaha

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
  2. Gostei da resenha Ane. Amo romances de época e estou namorando este livro já tem um tempinho. Uma pena que você tenha sentido falta de algo no romance do casal. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ane!
    Quando soube que esse livro foi escrito em 1950, eu fiquei surpresa. Jurava que era mais atual. Por conta disso, fiquei bem interessada na história. Ver se tem alguns pontos que diferem dos romances de épocas atuais.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
  4. Eu amo o fato de não ser tão clichê, mesmo sendo de época e romance. Parece ótimo pra se ler em um domingo levinho :)

    ❥Blog:Gordices Literárias

    ResponderExcluir
  5. Amo romances históricos e já fiquei curiosa para saber mais sobre esse. Mesmo que a paixão aparentemente seja mais contida nesse livro, a expectativa de uma personagem principal bem desenvolvida me agrada bastante.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  6. Eu amooo romances de épocas, adoro seu blog pq vc resenha muitos livros assim <3 haha Eu to com MUITA vontade de ler esse livro, achei a capa linda e sua resenha só me conquistou ainda mais. Fiquei com mais vontade de ler, vou colocar ele na lista de compras para o mes de abril hahahah
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, Ane.
    Também amo romances de época e tenho vários deles na estante para ler. Eu já tinha visto uma outra resenha desse livro e claro que me interessou. Essa Sofia parece ser fogo e assim que der eu vou ler. E que capa linda.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Amei o livro, amo romance *U*

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Ane,
    Estou com uma listinha de livros de época para ler, e desde a divulgação desse estou curiosa com a história.
    Pena que ficou faltando algo em relação ao romance. Espero que eu goste.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  10. Ane, gosto muito de romances históricos e com essa atenção especial que as editoras tem dado ao gênero estou sempre bem atenta aos lançamentos e este tem me encantado exatamente por esse lado mais sério e não tão permeado de clichês
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi
    Esse livro parece ser legal e é bom saber que possui elementos diferentes dos romances históricos que encontramos hoje em dia, a personagem parece ser bem decidida.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Ane!
    Poxa, uma pena o romance ter sido um pouco superficial... Mas curto muito os outros elementos do livro, drama familiar, protagonista forte, bom humor... Eu nunca tinha ouvido falar da autora, mas daria uma chance pra essa leitura!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oii Ane, tudo bem?
    Confesso que romance não é o meu gênero literário favorito mas eu ando com vontade de ler algum de época kkkk
    Adorei sua resenha e o blog, já estou seguindo! :)
    Beijos,
    Isa – Night Phoenix Books

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane!
    Eu sou apaixonada por romances históricos também e tinha visto elogios desse livro. Sua resenha me fez querer ler ainda mais rápido.
    Adoro conhecer novas autoras do gênero, não li nada dela ainda.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Amei a resenha. Eu leio todos os gêneros literários (menos autoajuda, não que eu não precise :´>) mas amei esse livro apesar de tudo :D
    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Ane! A energia desta protagonista foi contagiante e mesmo o romance sendo diferentes dos atuais, me encantou em igual medida. Quero muito conferir outras obras da autora.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  17. Auuuunw, ameiiiii sua resenha.Tenho gostado muito dos romances de época.Parecem ótimos <3

    Beeijão :)
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá Ane, tudo bem?

    Menina fiquei super tentada a pegar esse livro com editora, mas acabei passando ele para Sarah, mas ela me falou muito bem! Faz um bom tempo que estou fugindo de romances de época, não sei por que mas até o momento não tenho animo nenhum para ler romance de época, de qualquer forma pretendo ler este livro um dia, adorei a resenha e fico muito feliz que tenha gostado.

    Beijinhos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Hum...esse é um livro que eu gostaria muito de ler. Lendo sua resenha, sobre a forma que a autora escreve, lembrei de Mary Shelley não sei porque. kkkkkkkkkkkkkk
    Gosto muito de mocinhas que são uma explosão de sentimentos, nesses tipos de livros. Curti saber que não fica no clichê e que o romance aparece apenas como plano de fundo.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  20. Oi, Ane!
    Pasmem! Não sabia que esta autora já faleceu. Uma pena!
    Quero muito ler esse livro. Adoro o gênero e adoro mais ainda quando livros assim fogem do clichê usual. É bem provável que eu realmente goste. Só o fato da escrita ser um pouco mais clássica já me anima bastante.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por