Os detalhes fantásticos nas obras de Nashi.

12/11/2017

| Arquivado em: ARTE 

Oie pessoas!

Sumi de novo, eu sei (...). Mas como expliquei nesse post a vida adulta anda um pouco complicada. Além disso, estou dando uma atenção maior aos meus projetos pessoais e a minha saúde, tanto física como emocional.

Por esse motivo, até o final do ano vai ter semanas que estarei mais ausente daqui, e espero contar com a compreensão de todos vocês (). Porém, falando de coisa boa no post de hoje quero compartilhar com vocês mais uma artista maravilhosa que encontrei nos feeds da vida.

Catch me if you can
O que mais me chamou atenção nos trabalhos da artista alemã Nashi, foi à leveza e as cores que ela usa. É visível que a grande inspiração dela são  personagens de mangás, livros que amamos e claro, - personagens da Disney.

Fiquei encantada com os detalhes e a beleza singela que cada obra dela possui. Nashi mistura vários elementos que juntos criam uma atmosfera lúdica e divertida, o que dá a cada ilustração um toque único e maravilhoso.

Então nada melhor para começar a semana, do que dar a vida uma pitada de cor e fantasia ().

Algumas Obras:  
Beauty and the Beast
Moon Magic Sparcle
Green Spirit Bulbasaur
Alice in the bottle
Fresh Lemon Pikachu
Confesso que estou completamente apaixonada pelo Green Spirit Bulbasaur, até por que ele é o meu Pokémon favorito (). Em Alice in the bottle e Beauty and the Beast as referências aos clássicos em que foram inspiradas estão fortemente presentes nos elementos que a artista usou. Dá para perder fácil alguns minutos admirando tanta beleza, não é mesmo? 

Espero que vocês tenham gostado do post de hoje e que a semana de vocês seja repleta de cor!

Beijos ;***

+ Naschi.
deviantArt

Wishliterária - Novembro.

02/11/2017

| Arquivado em: LANÇAMENTOS.

Olá pessoas! O que vocês estão fazendo nesse feriadão?

Essa blogueira que vos escreve está aproveitando para colocar as leituras e os estudos em dia. E falando em leituras, Novembro chegou e com ele a última wishliterária do ano. Ou seja, essa é sua última chance de atualizar sua listinha de presentes para o bom velhinho.

Pega papel e caneta ai ;)






Sinopse: "Cadê vocês? Me respondam."
Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele. Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto. Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?






Sinopse: Phillip Pullman volta ao mundo da trilogia Fronteiras do Universo, para outra aventura eletrizante envolvendo daemons, aletiômetros, o Magisterium e, claro, o Pó. La Belle Sauvage é o primeiro volume de uma nova trilogia chamada O Livro da Sombras, e se passa dez anos antes dos acontecimentos de A Bússola de Ouro, se centrando em Lyra e Pantalaimon, ainda bebês. Apesar de ser uma história diferente, os fãs de Fronteiras do Universo vão reconhecer muito do mundo e dos personagens que povoam La Belle Sauvage. Enquanto o protagonista, Malcolm, se envolve em uma assustadora aventura para tentar salvar a pequena Lyra das garras do Magisterium, outros mistérios e vilões surgem para complementar a trama que já conhecemos tão bem. "Sempre quis contar a história de como Lyra acabou morando na Faculdade Jordan. Este livro e o próximo cobrem dois momentos da vida dela: partindo bem do início e retornando vinte anos depois. Quanto ao terceiro livro, ainda é segredo." - Phillip Pullman.





Sinopse: Quando o diabo encontra um anjo... Lucy Craddock-Hayes está satisfeita com a vida tranquila no interior. Até o dia em que tropeça num homem inconsciente — um homem inconsciente e nu — e perde para sempre sua inocência. Ele pode levar ao paraíso... O visconde Simon Iddesleigh apanhou de seus inimigos até quase morrer. Agora ele está determinado a se vingar. Mas quando Lucy cuida dele para restaurar sua saúde, a sinceridade da jovem surpreende sua sensibilidade calejada — e desperta um desejo que ameaça consumir os dois. Ou ao inferno. Encantada com a inteligência perspicaz de Simon, com seus modos urbanos e até com seus sapatos de solado vermelho, Lucy rapidamente se apaixona por ele. Embora sua honra o mantenha longe dela, a vingança envia os agressores de Simon à sua porta. Enquanto o visconde entra em guerra contra seus inimigos, Lucy luta pela própria alma, usando a única arma que tem — seu amor...





Sinopse: “Como podemos aproveitar o fracasso?” “Como podemos usar nossa imaginação para melhorar a nós e os outros?”. J.K. Rowling responde essas e outras perguntas provocadoras em Vidas muito boas, versão em livro do famoso discurso de paraninfa da autora da série Harry Potter na Universidade de Harvard, que chega às livrarias brasileiras no dia 7 de outubro. Baseado em histórias de seus próprios anos como estudante universitária, a autora mundialmente famosa aborda algumas das mais importantes questões da vida com perspicácia, seriedade e força emocional. Um texto cheio de valor para os fãs da escritora e surpreendente para todos que buscam palavras.

+ Lançamentos
Na minha listinha de estão O Príncipe Serpente, A Força que nos Atrai e Dias de Despedida. E vocês? Compartilhe nos comentários!

Beijos e até o próximo post ;***

O começo do recomeço ...

29/10/2017

| Arquivado em: DIVAGANDO.

imagem: Shutterstock

Deixo frases soltas na areia, mesmo sabendo que logo o vento e as ondas vão apagá-las.
Fecho os olhos e recebo a chuva de braços abertos, as suas gotas frias se misturam com as lágrimas quentes que eu nem senti cair.

Páginas completas que não escrevi,
Figuras coloridas que perderão a cor,
Pedaços fragmentados de sonhos.

Pequenos fragmentos de sonhos.

Olho fotos antigas que não reconheço.
O reflexo no espelho revela várias histórias inacabadas à espera de um final feliz.
Um caos colorido que perdeu sua cor, se tornando frio e cinzento com um dia de inverno.

Meus pés correm sem sair do lugar,
Tropeço em obstáculos que criei,
Pedaços fragmentados do medo.

Pequenos fragmentos do medo.

Mas aprendi a enfrentar meus medos.
Ao final de cada história inacabada ganho um presente.
Uma nova página em branco.
Um novo quadro para preencher de cor.
Um começo, para um novo começo do recomeço.

Deixo frases soltas na areia,
Sou um caos de cores e tons de cinza.
Como histórias inacabadas que sempre começam a partir de um novo começo do recomeço.

Novo começo.
Recomeço...


texto escrito por: Ariane Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

Quando a Bela Domou a Fera por Eloisa James.

26/10/2017

| Arquivado em: RESENHAS.

ISBN: 9788580416800
Editora: Arqueiro
Ano de Lançamento: 2017
Número de páginas: 320
Classificação: Muito Bom
Sinopse: Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher. Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas. No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?

Confesso que Quando a Bela Domou a Fera não foi um livro que me chamou a atenção logo no seu lançamento.  Sendo bem sincera, essa blogueira que vos escreve estava um pouco "cética" em relação à história escrita por Eloisa James. Mas acabei vencida pela curiosidade e para minha felicidade surpreendida com um romance super gracinha.

Linnet Berry Thrynne é considerada a mais bela e doce das moças que circulam pelos salões da alta sociedade de Londres na temporada. Tanto que a jovem e a sua família estão crentes que ela será pedida em casamento pelo príncipe Augustus. Porém após se ver no meio de um escândalo de proporções épicas, ela precisa desesperadamente de um marido que não conheça a sua má fama.

A oportunidade surge na forma de Piers Yelverton, o conde de Marchant um homem com recluso e com um péssimo temperamento.  Ao partir para o País de Gales, Linnet acredita que Piers se apaixonará perdidamente por ela. Porém logo a jovem percebe que conquistar o coração do arredio conde de Marchant não será tão fácil assim. Afinal Piers faz o seu melhor em ser desagradável em suas tentativas de afastar Linnet.

Conforme os dias se passam o feitiço vira contra a feiticeira e Linnet aos poucos vai se encantado com Piers. E por mais que corra o risco de acabar com o coração quebrado, ela está disposta a fazer o que for preciso para domar o coração ferino do conde.  Nesse jogo de sedução a muralha de gelo que Piers criou para se defender começa a derreter, fazendo com que ele comece a rever as suas convicções, se permitindo pela primeira vez em anos a pensar no amor.

Que adoro romances históricos, não é novidade para ninguém. Porém depois de ler muitos livros do estilo em sequência, aquela sensação que eu estava lendo o mais do mesmo começou de verdade a me incomodar. Por esse motivo ao iniciar a leitura de Quando a Bela Domou a Fera, evitei criar muitas expectativas esperando que a narrativa me surpreendesse. E foi exatamente isso que aconteceu.

Eloisa James criou um romance clichê que se destaca por possuir não somente diálogos inteligentes, mas uma pitada de sarcasmo que deixa a narrativa divertida e ainda mais interessante de se acompanhar.  Além disso, Linnet e Piers são protagonistas cativantes que fogem um pouco do estereótipo que normalmente encontramos nos livros do gênero, - a mocinha frágil e indefesa e o mocinho belo e perfeito. Eles são pessoas “comuns” e possuem suas qualidades, defeitos e limitações, e isso é tão legal que conforme vamos avançando na leitura mais próximos a eles nos sentimos.

Outro ponto interessante é que a autora soube como dar aos personagens secundários, espaço para que eles consigam se destacar e colaborar para o desenvolvimento da história. Gostei bastante do Sébastien, primo do Piers e do pequeno Gavan. Além disso, a entrada de um segundo casal na trama deixou tudo ainda mais divertido e gostoso de acompanhar.

O único ponto negativo que a história possui em minha opinião, foi que o final me pareceu um pouco “forçado”. Não é nada assim que prejudique a narrativa como um todo, mas me deixou com a sensação que a autora tentou inserir um toque de ação na história que não funcionou muito bem.

“– Você é sempre sarcástica assim?
– Não. Sou uma dama bastante doce. Mas você faz despertar o pior em mim."

O meu maior receio em ler Quando a Bela Domou a Fera, era que inconscientemente me levasse a comparar sua história com outras que já li. Mas, apesar de não ser de todo original, Eloisa James sou como escrever uma versão sensual, leve e bastante envolvente do meu conto de fadas favoritos.  Ou seja, valeu a pena começar a leitura sem nenhuma expectativa e me surpreender.

Quando a Noite Cai por Carina Rissi.

22/10/2017

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.

  ISBN: 9788576865803
  Editora: Verus
  Ano de Lançamento: 2017
  Número de páginas: 476
  Classificação: Bom
Sinopse: Briana Pinheiro sabe que não é a pessoa mais sortuda do mundo. Sempre que ela está por perto algo vai mal, especialmente no trabalho. Por isso é tão difícil manter um emprego. E a garota realmente precisa de grana, já que a pensão da família não anda nada bem. Mas esse não é o único motivo pelo qual Briana anda perdendo o sono. Quando a noite cai e o sono vem, ela é transportada para terras distantes: um mundo com espadas, castelos e um guerreiro irlandês que teima em lhe roubar os sonhos... e o coração. Depois de ser demitida — pela terceira vez no mês! —, Briana reúne coragem e esperanças e sai em busca de um novo trabalho. É quando Gael O’Connor cruza seu caminho. O irlandês de olhar misterioso e poucas palavras lhe oferece uma vaga em uma de suas empresas. Só tem um probleminha: seu novo chefe é exatamente igual ao guerreiro dos seus sonhos. Enquanto tenta manter a má sorte longe do escritório, Briana acaba por misturar realidade e fantasia e se apaixona pelo belo, irresistível e enigmático Gael. Em uma viagem à Irlanda, a paixão explode e, com ela, o mundo de Briana, pois a garota vai descobrir que seu conto de fadas está em risco — e que talvez nem mesmo o amor verdadeiro seja capaz de triunfar...

Tem momentos na vida que tudo o que precisamos é de um livro bem açucarado para aquecer nossos corações.  Em partes foi exatamente isso que encontrei na leitura de Quando a Noite Cai da autora Carina Rissi. Com uma narrativa leve esse é aquele livro que não chega a surpreender, mas que com um romance clichê entrega o que promete uma história doce e bonitinha.

A dona sorte e Briana não estão se entendendo muito bem nos últimos tempos. Briana não consegue manter-se em nenhum emprego, parece até que a moça é um ímã para catástrofes. A prova disso é quando depois de mais tentativa desastrosa de conseguir um emprego a jovem é atropela pelo enigmático Gael O’Connor.

Após o acidente por um daqueles acasos estranhos que só o destino explica, Gael acaba se encantando com o jeito atrapalhado de Briana e oferece a ela uma vaga de emprego em sua empresa.  Incrédula com a virada de sua sorte Briana aceita, afinal ela precisa do dinheiro para manter a pensão em que ela e a família moram aberta.  O problema é que Gael é praticamente irmão gêmeo de Lorcan, o guerreio irlandês que há anos povoa os sonhos de Briana.  E talvez separar os sonhos da realidade se torne uma tarefa mais difícil do que ela imagina.

Quando ambos partem para a Irlanda, a atração que sentem um pelo outro fica ainda mais intensa. E por mais que eles tentem manter tudo no âmbito profissional e da amizade, o sentimento a cada dia se mostra mais forte e irresistível. Porém, Gael guarda um segredo de Briana, segredo este que se for descoberto deixará a jovem de coração partido. Conforme se aproxima da verdade, Briana vai percebendo que seus sonhos podem conter a respostas que procura e a chave para libertar o seu amor.

Quando a Noite Cai é uma história clichê do começo ao fim. Não que isso seja um defeito, até porque mesmo com tudo sendo óbvio a autora soube como construir um enredo envolvente. Gostei dos elementos da cultura irlandesa que a Carina Rissi usou como plano de fundo da história, e é visível que a autora fez uma extensa pesquisa para dar ao enredo o toque místico e misterioso que a cultura possui. Só que nem tudo foram flores (...).

Adoro histórias que mesclam fantasia e realidade, porém aqui infelizmente esse recurso não funcionou muito bem. A narrativa intercala o momento presente com os sonhos de Briana, só que mesmo se revelando uma peça importante no desenvolvimento do enredo, essas passagens deixam a narrativa com o ritmo mais lento e até um pouco cansativa.  Além disso, não nego que a imaturidade da protagonista também me incomodou em especial pelo modo “fácil” com ela aceita a falta de respostas e as mudanças de humor constantes de Gael.

Confesso que o maneira fast como a Briana se apaixona por Gael e o modo como relacionamento deles se desenvolve me deixou com uma impressão que aquilo não era tão “verdadeiro”como a autora tenta passar. Em especial por conta do passado do Gael. Tudo foi muito simples e volto a dizer fácil, deixando a sensação que as respostas dadas pela a autora foram poucas ou totalmente insuficientes. Não nego que achei a Briana e o Gael um casal fofo e torci para que os dois tivesse um final feliz. Porém acho que ao invés da autora ter se perdido com detalhes que não agregaram tanto a narrativa ela podia ter explorado de uma forma mais “realista” e não tão fantasiosa o relacionamento dos dois.

Os personagens secundários conseguem se destacar dando a narrativa um toque divertido. Gostei muito da Aisla irmã da Briana e do Lorenzo melhor amigo do Gael.  A Aisla é aquele tipo de pessoa que mesmo quando tudo está dando errado consegue manter a esperança e apesar de a primeira vista parecer um pouco cabeça de vento, é bem mais madura do que a protagonista. Já o Lorenzo é um personagem peculiar com um ótimo senso de humor.

Quando a Noite Cai é um livro gostoso. A escrita da Carina Rissi é fluida e nos conquista aos pouco.  Senti falta de algumas respostas mais conclusivas e de um maior desenvolvimento da relação dos protagonistas. Porém mesmo com suas falhas a leitura foi prazerosa e me deixou com mais vontade de ler outros livros da autora.

“– Pode repetir isso para si mesma, se traz algum conforto. Mas eu sei o que vi. Vocês se encontram. E, quando isso acontece , nada mais pode ser feito.”

Para quem está em busca de um livro que escorre açúcar nas páginas, Quando Cai a Noite possui uma narrativa açucarada, leve e perfeita para os românticos de plantão. Admito que eu esperava um pouco mais, só que mesmo não se mostrando uma das histórias mais surpreendentes que li, me vi  ao final com aquele sorriso no rosto e com o coração mais quentinho.

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por