Victoria e o Patife por Meg Cabot.

08/06/2017

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788501401748
Editora: Galera Record
Ano de Lançamento: 2017
Número de páginas: 256
Classificação: Bom
Sinopse: Neste romance histórico juvenil escrito pela autora de “O diário da princesa”, acompanhamos a trajetória de Victoria. Criada pelos tios na Índia, ela é enviada a Londres aos 16 anos para conseguir um marido. Mas é na longa viagem até a Inglaterra que a jovem encontra o amor, na figura de Hugo Rothschild, o nono Conde de Malfrey. Tudo estaria ótimo se não fosse a insuportável interferência do capitão do navio, Jacob Carstairs. Por que ele não pode confiar na escolha de Victoria? Por que ele não a deixa em paz? Estaria Hugo escondendo algo?

Fazia muito tempo que não lia nada da  Meg Cabot. Por isso, após ler a sinopse de Victoria e o Patife fiquei bastante curiosa em conferir esse romance de época juvenil da autora. Porém apesar de ter se mostrado uma narrativa rápida e fluida, tenho que confessar que nem tudo foram flores durante a leitura.

Criada por seus tios na Índia, Lady Victoria Arbuthnot está a caminho de Londres para conseguir um marido. Mas durante a longa viagem a filha do falecido Duque acaba conhecendo o nono Conde de Malfrey, Hugo Rothschild que a pede em casamento sob a luz do luar. Lady Victoria está certa de que encontrou o amor de sua vida, afinal Hugo é tão charmoso e bem, ele é um Conde. Quem imaginaria que ela fosse conseguir o noivo perfeito então pouco tempo?

Tudo podia estar correndo as mil maravilhas, mas Victoria precisa lidar com as constantes interferências do capitão Jacob Carstairs em sua vida. Jacob está decidido a abrir os olhos da jovem em relação ao noivo, ao mesmo tempo em que ela tenta fazer o possível para manter o capitão enxerido longe de seus assuntos. Só que o problema é que aparentemente Jacob Carstairs, tem o dom de aparecer sempre nos mesmos lugares que ela. E o pior, o capitão parece saber um segredo que pode fazer com que o casamento de Victoria com o Conde de Malfrey não aconteça.

Victoria e o Patife possui uma narrativa totalmente clichê e até certo ponto acabou sendo uma leitura divertida. Só que o meu grande problema aqui foi a protagonista. Em nenhum momento consegui sentir empatia pela Victoria, muito pelo contrário em muitas situações eu quis dar uns tapas nela. Lady Victoria Arbuthnot é o tipo de pessoa prepotente e intrometida, que acha que sabe o que é melhor para todo mundo, porém não consegue ver o que é melhor para si mesma.  Confesso que alguns capítulos foram um tanto “sofridos”, especialmente quando a protagonistas destacava suas qualidades de interferir na vida dos outros.

Gostei do modo como o Jacob foi desenvolvido. Há principio ele passa a impressão de ser rapaz arrogante que quer apenas se divertir implicando com a Victoria. Só que conforme a narrativa avança vamos percebendo que a preocupação dele com ela é genuína. E tipo mesmo ele merecendo uma “pessoa melhor”, não nego que ficava com um sorriso bobo no rosto todas as vezes que Jacob e Victoria protagonizavam uma cena mais fofa.

Senti falta de um aprofundamento maior nos personagens secundários em especial no Conde de Malfrey. Não sei, mas senti que ele foi meio que “mal aproveitado”, na história. Os outros personagens possuem uma participação relativamente pequena, deixando a narrativa muito focada na Victoria, o que acabou me incomodando um pouco também.

Sempre gostei da escrita da Meg Cabot, pois suas histórias são despretensiosas, leves e divertidas. Porém, infelizmente não nego que esperava mais de Victoria e o Patife. Além disso, fato do meu santo não bater com o santo da protagonista fez com que eu não conseguisse me envolver tanto com a história como gostaria. Victoria e o Patife possui um enredo clichê e super bonitinho, mas me deixou com aquela terrível sensação de que faltou alguma coisa.

“– Na verdade – continuou ele, ainda usando aquele tom grave e sério –, acho que seria bem emocionante se casar com alguém que não precisa de você, mas que apenas... deseja estar com você. ”

Para quem está buscando uma leitura leve, com momentos engraçados e um romance fofo, Victoria e o Patife se apresenta como uma boa opção. E mesmo que alguns pontos não tenham me agradaram tanto como gostaria, não nego que ao final terminei a leitura com o coração mais quentinho.

Comentários via Facebook

19 comentários:

  1. Oi Ane, tudo bem?

    Pois é, ainda estou na metade do livro e ainda não consegui gostar da protagonista, mas de todas as forma a Meg tem uma narrativa fácil de ler, né?


    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi Ane, tudo bom?
    Eu li muito pouco da Meg até hoje, mas gostei do que vi até agora. Acho a narrativa dela bem suave e relaxante, são histórias pra desestressar.
    Não conhecia esse, mas adorei a premissa. Romance histórico é sempre bem-vindo!
    Ótima resenha.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha Ane. Amo a escrita da Meg Cabot, mas fiquei meio cabreira em saber que a protagonista deixa a desejar. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ane!
    Tenho super problemas com personagens tipo a Victoria. Já sei que não vou gostar dela.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Três Anos do blog A Colecionadora de Histórias

    ResponderExcluir
  5. Amo um romance clichê, e Victoria me parece muito aquela protagonista clichê de romances adolescentes também, mesmo tendo te irritado, acho que eu aguentaria a leitura por conta de Jacob, que faz o tipo de personagem que eu gosto de ver/ler nesse tipo de romance. rs Faz MUITO tempo que não leio nada da Meg. Preciso retornar a ler essa autora <3

    Beijos
    Meu Outro Lado

    ResponderExcluir
  6. Já li algumas resenhas desse livro e achei demais, por mais que seja clichê é uma história que me encantou! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  7. Ai que saudades de ler algo da Meg, foi ela que me desenvolveu o gosto por ler ♥ Amo essas leituras mais leves e sério que a protagonista não te conquistou? Que pena! Você já leu "Liberte meu coração" escrito pela princesa Mia/Meg Cabot? Acho que você vai curtir!

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Nunca li nada da autora, mas tenho vontade... Poxa, é uma pena que não tenha gostado da protagonista, é bem ruim quando isso acontece. Gostei da resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  9. Amei a resenha e que capa linda. Faz bastante tempo que não leio nada da Meg, vou ler esse o quanto antes
    Beijos
    lolamantovani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi
    eu terminei de ler ele essa semana, eu gostei da história e achei bem leve, mas confesso que achei a Victoria intrometida mesmo, e eu percebi que ela gostava que sua prima sentisse inveja dela.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, Ane.
    O autor pode ser bom, a história gostosa e os personagens incríveis, mas se o protagonista não nos conquista, o resto perde toda a graça. Eu não gostei muito dessa capa e infelizmente os últimos livros que li da Meg não me conquistaram. Então não sei se lerei esse.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Oi Ane, o livro me pareceu um tantinho juvenil demais para o meu gosto. Que pena que você não gostou 100%, é chato quando a gente sente que faltou alguma coisa na história, né? Um beijo!

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane

    Eu tenho meio que um caso de amor e ódio com a Meg Cabot.Gosto da escrita dela, mas dificilmente gosto das protagonistas.
    Achei a mais intoleravel de todas a de "Pegando fogo".
    Ainda não li esse porque tenho um pé atrás com ele, porém acho interessante ver algo de epoca voltado ao universo juvenil.Acho que nunca li nada assim

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  14. Eu adoro um romance fofo, e não há nada de errado com um bom clichê de vez em quando, mas protagonista que não desperta empatia não dá pra mim não. E a premissa da história é tão legal! Uma pena essa sensação de ter faltado algo. O último livro que li tb me deixou com essa sensação. Ninguém merece, mas fazer o quê, né?!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

    ResponderExcluir
  15. Ooi Ane, apesar de não ser meu gênero favorito, adorei a resenha.
    beijos bom final de semana
    http://bellapagina.blogspot.com.br
    Facebook: Bella Página

    ResponderExcluir
  16. Poxa, é um saco quando a gente não vai com a cara da protagonista, né? Aconteceu isso comigo quando li A Seleção e por isso algumas partes da leitura foram complicadas, então super te entendo! Mesmo assim, também curto a escrita da Meg, os livros dela são sempre bem bonitinhos <3
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  17. Oi Ane!
    Você acaba de me salvar, rs. Eu ia comprar esse livro, mas estava com um pé atrás porque a Meg escreveu algumas coisas que me decepcionaram. Acho a autora extremamente competente, gosto da escrita, mas ultimamente estou achando tudo tão superficial.
    Não sei... Falta algo que me prenda aos livros dela. Por ser romance histórico, eu até me animei, mas acho que vou adiar a leitura um pouco.
    Beeeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Pior coisa que tem é protagonista chata. Só esse detalhe já faz com que a leitura trave e não flua da mesma maneira. Uma pena, porque a história parece legal, apesar dos clichês. Mas olha, nesse último volume de A Mediadora eu também me irritei um pouco com a protagonista. Acho que a Meg tem o dom de construir personagens chatas quando quer hahahha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Ane, faz muito tempo que não leio nada da Meg, os enredos dela sempre me deixaram com essa expectativa por mais e acabava recebendo menos da trama, isso me deixava bem aborrecida
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por