05/11/2018

Me afogando.

| Arquivado em: DIVAGANDO.

imagem: Shutterstock

Sinto que estou me afogando em um mar de palavras não ditas.
Sinto que estou sendo puxada pela correnteza de sonhos que deixei morrer.
Me pergunto em qual momento deixei de lutar pelo o que eu acreditava.
Quando permiti que a opinião do outros fosse mais importante que a minha fé.

...

Isso me desperta e emerjo às cegas das águas de minha tristeza e volto a respirar.
As estrelas acima de mim são tão lindas.


texto escrito por: Ariane Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

Comentários via Facebook

13 comentários:

  1. Sempre prezei pelo tempo, tudo passa rápido demais para não fazer o que a gente tem vontade, para não ser quem a gente é. Todo minuto é precioso e o que a gente tem dentro da gente também!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Ari, tudo bom?
    As vezes me sinto como o texto.. a vida toda eu deixei que os outros levassem a minha vida.. hoje com quase 40 anos vejo que estou no mesmo lugar e não fiz basicamente nada para mudar.. sempre tive medo de correr atrás e não ter aprovação das pessoas..

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, Ane.
    Acho que por uma grande parte da minha vida eu vivi uma vida que os outros queriam para mim. Hoje em dia ainda bem que despertei e não ligo para a opinião dos outros e acredito em mim e nos meus sonhos. Parabéns pelo seu texto, creio que muita gente vai se identificar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oi Ane! Eu não ligo muito para a opinião alheia, as vezes sou até rude quando alguém cisma que sabe o que devo fazer ou como agir. Acho que quem sabe o que nos feliz, somos nós. Belo texto.Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Que texto profundo Ane. Desejo toda a felicidade do mundo pra ti e que o seu coração sempre permaneça em paz. Beijo!


    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Que lindo, lembra meus textos e poemas dramáticos que escrevo haha
    Trouxe aquele toque de sinceridade, como que já aconteceu com alguém, e temos a sensação de acontecer a nós também. Continue escrevendo que quero ler mais dos seus poemas ^-^
    Beijos ❤

    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ane

    Adorei o texto; breve, mas profundo. Às vezes também me sinto assim, sabe? Por vários motivos há coisas que quero colocar pra fora, mas não consigo. E quanto mais guardo, mais elas me sufocam. São gotas que vão enchendo o tanque e em alguma hora ou eu coloco pra fora ou me afogo.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus, Ane! Que texto! Me vi muito representada nele porque sou daquelas pessoas que guarda tudo por um bom tempo, sem externalizar e isso é horrível.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  9. Oi Ane. Tudo bem?
    Belo texto! Afinal que nunca se sentiu assim?
    Às vezes é tão difícil colocar os sentimentos em palavras.

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Ane. Que poesia exceente. Me sinto aninhada por suas palavras.
    Beijos de uma nova admiradora.
    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  11. Oi Ane.
    Eu prezo muito pela minha liberdade e por tentar ser feliz, já que sofro com a depressão hpa muitos anos. Já fazem alguns anos que não me incomodo mais com a opinião alheia, afinal nossa felicidade depende unicamente de nós mesmo. Ótimo texto para refletirmos. Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, Ane!
    Que triste e que lindo!
    E tudo fica ainda mais intenso com a imagem que você escolheu.
    Lindo!

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  13. seu texto vem de encontro com tudo o que eu senti nos últimos meses Ane, mas verdadeiramente me senti tocada pela forma como você parece descrever meus sentimentos em palavras

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Instagram

© 2010 - 2018 My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in