Sponsor

Mostrando postagens com marcador Alma?. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Alma?. Mostrar todas as postagens
agosto 10, 2013

Alma? por Gail Carriger

10 de agosto de 2013.

• ISBN: 9788565859042
Editora: Valentina
Ano de Lançamento: 2013
Número de páginas: 308
Classificação: Ótimo
Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.


Sinopse: Protetorado da Sombrinha (Livro 01)

Alexia Taraobtti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta. E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido. Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado?

Sabe aquela história que começa meio “sem pé em sem cabeça”, mas que no decorrer de cada capítulo ser torna impossível de parar de ler?  Pois, Alma? da autora Gail Carriger segue bem essa fórmula. A capa e a sinopse entregam um pouco a história que o livro aborda, porém se só de olhar ambos aquela pontinha de curiosidade aparece, eu garanto a vocês que durante a leitura ela só aumenta.

Alexia Tarabotti está longe de ser o que se espera de uma dama do século XIX. Fora o seu jeito nada delicado e gracioso de ser, Srta. Tarabotti não possuiu alma o que faz dela uma pernatural, - nem humana e nem sobrenatural.  Tal “qualidade” bastante incomum, principalmente em uma sociedade dividida entre os seres humanos e os seres sobrenaturais. Imagine você vivendo na Inglaterra em pleno reinado da rainha Vitória e correndo o risco de encontrar vampiros, lobisomens e até fantasmas nos bailes de gala da alta sociedade londrina? Pois é nesse mundo que embarcamos com a Srta. Tarabotti, e por mais incrível, confuso e assustador que tudo isso possa parecer, quem realmente devemos temer aqui não são as criaturas da noite.

Alma? possui uma mescla ótima de vários elementos e estilos de literatura, que além de se casarem muito bem entre si, conta com personagens maravilhosamente construídos. Acho que fazia um bom tempo que não lia um livro e não me identificava tanto com uma protagonista, como eu me identifiquei com a Alexia. Tudo bem que a primeira vista ela pode ser completamente doida, pavio curto, sarcástica e até um pouquinho “sem noção”. Porém é justamente esse jeito meio “estabanado” dela, que a torna uma personagem mais humana mesmo ela própria estando um pouco longe de ser “humana”, por assim dizer.

Tipo, ela foge do padrão de mocinhas atuais que são ou muito perfeitas, ou extremamente sem graça. Alexia é comum, - de um jeito único é claro, mas comum. O mesmo ocorre com o protagonista da história, o irresistível lobisomem Lorde Macon. Ele possui um carisma e uma personalidade tão marcante, mas sem ser o tal príncipe encantado ou o bad boy que precisa de “colo”. Ele é ranzinza, mandão e completamente estressado, só que essas características que normalmente o tornariam um personagem chato fazem dele engraçado e encantador. Além disso, o relacionamento bem no estilo “cão e gato” dele e da Alexia deixa toda a atmosfera do livro divertidíssima e ao mesmo tempo romântica e sexy.

Outro personagem que merece destaque é o auxiliar de Lorde Macon, o também lobisomem professor Randolph Lyall.  Lyall é mais reservado e até mais “sensato” do que seu alfa, embora ele não tenha o mesmo carisma que o seu chefe, ele cativa o leitor por conta do seu raciocínio rápido, como pela sua sutil ironia, o que dá a narrativa um toque a mais de comédia.   Um personagem que me cativou bastante e se tornou um dos meus personagens favoritos é Lorde Akeldama. Ele é um vampiro tão cheio de excentricidades que foi praticamente impossível eu não gostar dele “a primeira vista”. Ok! Quanto mais excêntrico e “estranho” for o personagem mais eu gosto, mas algo no Akeldama faz dele um personagem tão querido, que confesso que realmente me apeguei e sofri em alguns momentos com ele.

Mesmo os personagens secundários (os humanos), a família fútil de Alexia, sua amiga melhor amiga Yvi e o mordomo Floote conseguem de uma maneira mais discreta e pequena se destacar na narrativa. O que deixa bem claro que Gail Carriger sabe trabalhar muito bem um enredo com vários personagens. Outra característica que gostei muito na escrita da autora foi que ela conseguiu balancear bem o romance, a aventura e a comédia durante a narrativa, de forma que em momento algum a leitura se tornou monótona.

Esse mundo paralelo criado por Gail Carriger é tão fantasioso e surreal, e ao mesmo tempo muito próximo a nossa realidade de hoje. A meu ver a autora soube de uma forma muito delicada fazer uma leve critica aos valores que temos hoje já que, ambos os protagonistas estão longe de ser o estereótipo perfeito tanto da sociedade daquela época como a de hoje também. Tanto a ambientação da história e como a riqueza de detalhes do período histórico em que ela se passa presentes na narrativa tornam o livro leve e super agradável. É aquele típico livro que você fica tão envolvido com a história que só se da conta de como se envolveu com a leitura quando ele “repentinamente” acaba.

Bem, a única coisa que acho que deixou um pouco a desejar, foi esse final repentino. Talvez se ele tivesse umas duas ou três páginas a mais, eu não ficaria com a sensação que o livro acabou do nada. Assim, pela forma como a história foi se desenvolvendo eu estava esperando um final mais marcante e que deixasse aquele gancho para o segundo livro da série. Porém ele terminou tão fechadinho que estou bastante curiosa para saber como, e de que ponto a autora vai continuar a história.

“Tenho gastado muito tempo e energia,desde que nos conhecemos, tentando não gostar de você – admitiu ele, por fim. Mas não respondeu à pergunta da Srta. Tarabotti.”

Alma? é o tipo de leitura que agrada os fãs de vários gêneros literários. Divertido, romântico e cheio de aventura, ele conquista o leitor logo no primeiro capítulo.  Garanto que você nunca mais verá a época vitoriana com os mesmos olhos.




Instagram

© 2010 - 2021 Blog My Dear Library | Ariane Gisele Reis • Livros, Música, Arte, Poesias e Sonhos. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in