Mostrando postagens com marcador Dia Internacional da Mulher. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Dia Internacional da Mulher. Mostrar todas as postagens
08/03/2017

Vamos Juntos?

| Arquivado em: CAFÉ LITERÁRIO.

Olá leitores tudo bem?

Confesso que pensei muito sobre escrever ou não escrever esse post. Afinal, não gosto de abordar assuntos "complexos" aka polêmicos aqui no blog. Porém depois de passar alguns dias refletindo percebi que se não colocasse para fora esses pensamentos, eles continuariam me perturbando como aquela ideia que às vezes temos e que não expressamos em voz alta por medo.

imagem: Jessy Rone
Quem me conhece pessoalmente ou acompanha o blog há mais tempo sabe que levanto a bandeira pela igualdade de gêneros e que sou contra qualquer forma de preconceito. Na verdade acho inadmissível ver certas coisas acontecendo em pleno 2017.  É inadmissível que durante o último Carnaval, uma mulher tenha sido agredida a cada três minutos no Rio de Janeiro.

Em todo o Brasil o 180 registrou 2.132 atendimentos, sendo que mais da metade, 1.136 certa de 53,4% foram relativos a violência física (UOL). E esses são os dados só do último Carnaval. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a taxa de feminicídios no Brasil é de 4,8 para 100 mil mulheres – a quinta maior no mundo.

É por isso precisamos sim, falar do Feminismo e da Igualdade de Gêneros

A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente. - Chimamanda Ngozi Adichie

Ninguém fala para um homem que desfila pela rua sem camisa que ele está pedindo para ser estuprado. Ninguém o julga se ele foi assaltado tarde da noite. Não questionam do por que ele estar na rua e não no conforto de seu lar. Ninguém o ameaça física o verbalmente pelo fato dele ser homem.

Um homem pode ter o direito de decidir focar na carreira ao invés de se casar e ter filhos. Ele jamais será chamado de vagabundo por sair aos finais de semana, beber e ficar com uma mulher por noite. Não vão taxa-lo de louco na TPM quando sua atitude for grosseira. Se sua mulher cuida da casa e dos filhos ela não faz nada além da sua “obrigação”. Quando ele faz exatamente as mesmas coisas, é visto por muitos com uma espécie herói, o marido e pai dedicado.

Eu poderia continuar listando tudo o que está errado, por que às vezes de verdade dói perceber o quanto nossa sociedade reprime e culpa a mulher. É estarrecedor ver como alguns homens acreditam que tem o direito de tirar proveito de uma mulher só por que cresceram achando que são uma raça superior. O quanto somos objetivadas em músicas, livros e filmes e isso é simplesmente aceito como normal. Como o abuso, opressão e o desrespeito são romantizados e ainda permitimos isso. 

Por esse motivo hoje 08 de março, Dia Internacional da Mulher, resolvi trazer esse textão. Por que precisamos sim, lutar por uma sociedade mais justa e segura para todos. Precisamos ensinar as crianças desde cedo a respeitar as diferenças. Que meninos, meninas, gays e transexuais têm direitos e deveres iguais.  Que perante Deus e o Universo somos todos iguais.

Vamos juntos construir um futuro melhor, por que juntos somos capazes de mudar as coisas.  Independente da sua religião ou das suas opiniões políticas. Vamos nos lembrar por um instante que somos todos humanos e que o mundo já está divido e caótico demais, para cultivarmos e espalharmos mais ódio gratuitamente.

Vamos espalhar respeito e amor. É de amor que o mundo precisa .

Instagram

© 2010 - 2020 Ariane Gisele Reis | My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in