Resenha - Manuscrito encontrado em Accra por Paulo Coelho.

31/03/2013


Manuscrito encontrado em Accra por Paulo Coelho.


ISBN: 9788575428221
Editora: Sextante
Ano: 2012
Número de páginas: 176
Classificação: 4/5
Onde Comprar: FNAC, Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Livraria da Travessa, Submarino - Compare os Preços





Sinopse: 14 de julho de 1099. Enquanto Jerusalém se prepara para a invasão dos cruzados, um grego conhecido como Copta convoca uma reunião com os jovens e velhos, homens e mulheres da cidade. A multidão formada por cristãos, judeus e muçulmanos chega à praça achando que irá ouvir uma preleção sobre como se preparar para o combate, mas não é isso que Copta tem a lhe dizer.






Não é segredo para ninguém que sou grande fã do autor Paulo Coelho, mas desde que li O Zahir em 2008 eu não tinha pegado mais nenhuma obra do autor para ler. Uns dos motivos foram as minhas mudanças e adaptações às cidades novas que me mantiveram longe das bibliotecas. Também por que eu meio que optei por evitar livros com a temática que ele costuma abordar. Não sei bem ao certo o que me levou a isso, simplesmente resolvi dar um tempo. Porém quando o Manuscrito encontrado em Accra foi lançando, aquela pontinha de curiosidade começou a falar mais alto. Ainda bem que sou uma pessoa curiosa.

Como vocês podem ver o livro em si é bem curtinho e não tem como fazer uma resenha extensa sobre ele, até mesmo por que aqui não é contada uma história com a estrutura a qual estamos acostumados a encontrar nos livros de uma forma geral. Como o próprio nome do livro já diz ele é um Manuscrito, ou seja, ele conta um fato que aconteceu, um pedaço de uma história “real”. Do meu ponto vista ele chega até ser um livro mais “filosófico”, por relatar questões existências que acompanham o ser humano até hoje.

O personagem central desse relato é o grego Copta que era considerado um grande sábio, pelo povo que habitava Jerusalém antes da invasão cruzada.  Na véspera dessa invasão as pessoas se reuniram na praça a espera das sábias palavras do Copta para enfrentar tanto a guerra como a derrota que batia em suas portas. Porém a mensagem que o Copta tinha para eles naquela noite era que: independente do que acontecesse durante e depois da guerra, encontrar a verdadeira felicidade dependeria única e exclusivamente de cada um.

 O que eu mais achei interessante é que algumas das questões levantadas pela população daquela época são tão atuais, que me vi percebendo que mesmo com todos os avanços tecnológicos que temos hoje, nas questões “primárias” infelizmente evoluímos muito pouco. Outro ponto que me chamou bastante a atenção foi o contexto e o período histórico religioso por traz do manuscrito. 

Eu particularmente gostei muito do prefácio onde o autor cita acontecimentos importantes tanto da vida pessoal dele próprio, como fatos que fazem parte da história e que acabaram esquecidos ou se perderam com o tempo. A minha única dúvida é se o nome do sábio grego tem alguma relação com a Igreja Ortodoxa Copta que surgiu no Egito, país de origem do manuscrito ou se só é uma curiosa coincidência.

Por mais complexo que o livro possa parecer ele consegue ser uma leitura leve e bem agradável, o que me surpreendeu bastante, pois eu estava esperando um livro um pouco mais denso por conta da sinopse e do prefácio. Não é um livro que vá agradar a todos e eu tenho pela consciência disso.  Pois como eu mesma comentei acima ele tem um lado filosófico muito forte e algumas pessoas simplesmente não tem paciência para ler algo desse tipo. Mas para quem está buscando leitura mais “zen” ele é uma ótima opção.

Para quem tiver interesse e oportunidade de ler o livro; Leia! Claro sem muitas expectativas e ou “pré-conceitos” já estabelecidos dessa forma mesmo que a leitura não agrade em um todo, também não vai decepcionar.
Fica a dica!




Comentários via Facebook

17 comentários:

  1. Oie, na minha adolescencia li muito Paulo Coelho, porém depois de um tempo não sei porque ele não passou a me agradar mais.
    Mas o livro parece ser bem interessante, sem criar muitas expectativas !
    Adorei a resenha !!
    Beijos
    Raíssa Lis
    Flor de Lis - http://florderaissalis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Ane! Já li muitos livros do autor, os que mais gosto são o Alquimista e Na Margem do Rio Piedra, não sei se estes você leu. O que gosto na obra dele é esta mistura de filosofia e das experiências de sua vida, que sempre nos deixam pensando sobre a nossa própria vida.

    Boa Páscoa e boa semana. Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Eu não sei se fico feliz ou alegre quando você diz que estava esperando uma leitura mais densa, mas se deparou com uma mais leve. Pois, pow, é Paulo Coelho! Eu não gosto tanto do autor, e talvez nem tenha o direito de criticá-lo já que eu li apenas uma obra do cara. Mas me instigou a ler esse livro aí...
    clicandolivros
    feliz páscoa!

    ResponderExcluir
  4. eu já li coisas do paulo coelho quando era mais nova, mas não gostei muito não xp
    por isso não leria esse livro

    ResponderExcluir
  5. Ei Ane,Paulo coelho é um máximo não é?

    Olha amei a postagem de hoje,ótimo seu trabalho,parabéns mesmo!
    Bjus,uma FELIZ PÁSCOA a você e familiares!
    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não gosto muito do autor, nem pouco... porque nunca li nada dele hehehehe. Até tentei, mas não foi. Tem autor que não vai mesmo. Bom saber que você é fã, fiquei sabendo mais uma coisa a seu respeito hehehe

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Uma vez eu li uma parte de livro de Paulo Coelho, Onze Minutos, que tinha uma temática um pouco mais pesada, mas por incrível que pareça, também tinha uma linguagem simples e direta. Faz algum tempo que quero comprá-lo para terminar de ler. Vivem falando bem do autor, por ter dado, literalmente, um salto na literatura nacional e realmente quero conhecer melhor seu trabalho. Ótima resenha!

    Clara
    labsandtags.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Ane, eu sou uma das pessoas que não tem paciência para a maioria das obras do Paulo Coelho por causa dessa filosofia toda, acabo cansando do livro e nunca consigo terminar. Só li um livro do autor, e até gostei, mas foi 11 minutos, e a história toda era bem diferente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Realmente Coelho carrega com si esse pré-conceitos das pessoas
    Nunca li nada dele, logo não posso falar.
    Gostei da resenha
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias
    Livroterapias

    ResponderExcluir
  10. Não gosto do autor, nunca consegui
    ler um livro dele, por isso nem posso criticar.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pela sua resenha, adorei.
    A forma como você descreve o livro dá vontade de ler. Eu já li bastante Paulo Coelho, porém ainda não me decidi se eu gostou ou não dele.
    ^^
    Angel Sakura
    @euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  12. eu não curto muito o estilo do Paulo Coelho. Já li As Valkirias e tentei começar A bruxa de Portobello (ou algo assim), mas simplesmente não engrena. É o tipo de autor que eu queria gostar, mas não consigo haha!
    Beijocas

    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Já li livros do Paulo Coelho e até que gostei, esse livro me desperta a curiosidade apesar de eu não saber bem o que esperar dele. Adorei a resenha.
    Beijos

    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Admiro muito o feito do Paulo Coelho - ser lido no Brasil e no exterior com uma intensidade jamais antes vista - mas a escrita dele não me desce muito bem...

    ResponderExcluir
  15. Tenho vontade de ler alguma coisa do Paulo Coelho mais até agora nada :(
    Ótima resenha!

    Beijos,
    http://sonhando-com-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá Ane, estou igual a você, gosto muito dos livros do Paulo Coelho e já li alguns, meu preferido é Na Margem do Rio Piedra eu Sentei e Chorei, nem me lembro quantas vezes já li e reli, mas faz bastante tempo que não leio nada dele, e lendo sua resenha deu saudade de ler suas obras, você dizer que o livro é bem filosófico me deu mais vontade ainda, adoro livros assim que nos fazem pensar e refletir e com certeza seguirei sua dica, assim que tiver oportunidade com certeza irei ler.

    BjOs!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Não me interesso muito por esse tipo de livro, mas até que fiquei com vontade de ler!

    Beijos.
    Páginas na Estante
    @alyneadriana

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por