O Diário de Rywka por Rywka Lipszyc.

29/10/2015

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788565765671
Editora: Seguinte
Ano de Lançamento: 2015
Número de páginas: 216
Classificação: Bom
Onde Comprar: Submarino.
Sinopse: Diário comovente de uma jovem judia em edição enriquecida com textos que ajudam a compreender um dos períodos mais sombrios da história da humanidade No final da Segunda Guerra Mundial, foi encontrado um diário perto das ruínas dos crematórios de Auschwitz-Birkenau. Este diário pertencia a Rywka Lipszyc, uma adolescente judia que viveu com sua família no gueto de Lodz, na Polônia. Seu relato só veio a público setenta anos depois, e logo se tornou um documento importante por registrar a vida dos judeus em Lodz — o medo constante da deportação, o trabalho forçado nas oficinas, a fome e a miséria. Mas, acima de tudo, os escritos de Rywka eram sua forma de resistir e de protestar, numa tentativa de dar sentido ao mundo ao seu redor.

Confesso que a historiadora que existe em mim, tem certo fascínio por histórias que se passam durante a Segunda Guerra Mundial. Por esse motivo assim que soube da existência de O Diário de Rywka, senti aquela necessidade imediata conhecer a história dessa jovem judia, que viveu no último gueto na Polônia a ser liquidado. Porém, talvez o meu excesso de expectativas tenha atrapalhado um pouco as coisas, pois logo nas primeiras páginas percebi que encontraria algo um pouco diferente daquilo que eu estava esperando.

Escrito entre outubro de 1943 a abril de 1944, o diário de Rywka Lipszyc narra desde acontecimentos cotidianos do gueto de Lodz, com também transmite através de seus relatos muitas vezes um tanto confusos todo o sofrimento pelo qual ela passava. Sofrimento esse que chegava a ser mais psicológico do que físico, pois mesmo tendo uma fé inabalável, o medo e a pressão do ambiente em que Rywka vivia eram constantes. Rywka encontrou na escrita uma maneira de expor suas reflexões sobre as pessoas e a vida. Escrever se transformou em uma necessidade para ela. Escrever era sua forma de organizar seus pensamentos deixando assim sua mente e seu coração mais leves.

Dividido em quatro partes, O Diário de Rywka funciona mais como um livro de História, do que como “leitura de final de semana”. O livro começa com uma breve introdução sobre a obra e a grande importância histórica que ela tem. Já na segunda parte temos o diário propriamente dito, enquanto na terceira conhecemos um pouco mais sobre o gueto de Lodz, e a sua dinâmica funcionamento antes e durante a guerra.  E por ultimo na quarta parte ficamos sabendo da intensa pesquisa realizada para descobrir o destino final de Rywka Lipszyc.

Esse foi sem sombra de duvidas  um dos livros mais complexos que li nos últimos tempos. Não apenas pela forma como seu conteúdo é dividido, mas pela quantidade de informação que se encontra nele. Ele é tão minuciosamente detalho que admito que em um determinando momento, esse “excesso” de informação tornou a leitura um pouco maçante.

Outro ponto que dificultou o meu envolvimento com a história, foi o próprio conteúdo do diário. A narrativa do diário de Rywka  é muito mais factual do que uma narrativa que transmite os sentimentos da autora. Em algumas partes ela até tenta passar para o papel o que está sentindo, porém a sensação que eu tive pelo menos, é que a Rywka se sentia um pouco culpada ao fazer isso. Culpa em expor o que ela sentia, culpa por expor as necessidades dela.

E apesar da história da Rywka ser comovente, eu não consegui criar uma conexão com ela.  Ao contrário do que aconteceu quando li, O Diário de Anne Frank e O Diário de Zlata em que não apenas criei empatia por suas autoras, como também me senti verdadeiramente envolvida com suas histórias.  Algo que infelizmente não aconteceu aqui.

28 de janeiro de 1944:
“Estou esperando que a guerra acabe. Ah, e essa esperança é trágica também!”.

O Diário de Rywka foi uma leitura interessante do ponto de vista histórico, mas do ponto de vista pessoal, foi uma história que não me cativou tanto como eu espera. Uma pena realmente (...).

Comentários via Facebook

24 comentários:

  1. Como adoro enredos que se passem na Segunda Guerra, certamente vou conferir essa obra. Aliás, não a conhecia. Nunca tinha visto resenha e nem nada do gênero.
    Quanto ao excesso de informações, isso não me incomoda. Acho que talvez acabe curtindo mais a obra do que você.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro. Serão seis livros para três vencedores.

    ResponderExcluir
  2. Parece ser uma leitura enriquecedora, já que fala da Segunda Guerra Mundial, na visão de uma garota judia. Já chamou minha atenção por isso. O livro parece transmitir os sentimentos Rywka, quando ela passava por esse período, e literatura assim sempre chama atenção do leitor. Quem não quer sentir emoções? Então foi uma ótima escolha sua. Tô com muitos livros na minha lista pra ler, e até agora não sai do lugar pra comprar, mas enfim... Quando puder vou tentar ler O Diário de Rywka. :)
    http://aprovidenciablog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. tudo que envolve a segunda guerra me atrai bastante, eu gosto de ler e estudar estes periodo, acho-o muito chocante e a maior brutalidade que ja aconteceu na Terra, este com certeza entra na listinha
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Ane! Eu gosto bastante de livro que tenha histórias passadas nesta época, embora sejam sempre bem tristes, ainda assim me fascinam, pois foi um período da História muito importante e chocante. Uma pena que você não tenha sido envolvida, mas ainda assim fiquei interessada.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha Ane. Não conhecia este livro, apesar de apreciar bastante obras que retratem a Segunda Guerra Mundial e apesar de suas ressalvas, fiquei interessada em conhecer o título. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Ane!
    Que pena que não cativou você (no sentido pessoal), é o meu tipo de leitura preferida, não consigo ler algo por ler, sabe? Por exemplo, algo apenas histórico, eu sempre sofria para ler algumas livros recomendados pelo meu professor de História e Literatura, quando não me envolvia emocionalmente.
    Acho que não vou ler não, por mais que goste de histórias da Segunda Guerra Mundial.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie,
    confesso que não passaria nem perto deste livro. Não é muito meu estilo de leitura e a capa então, não me convenceu nem um pouco.

    bjhos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  8. Estou me sentindo completamente perdida com tantas resenhas que vejo em blogs de livros que nunca vi.

    Blog.
    Facebook.

    ResponderExcluir
  9. Oi Ane!
    Livros que falam sobre a Segunda Guerra Mundial sempre chamam minha atenção... Gostei muito da sua resenha e acredito que seja um ótimo livro! Fiquei morrendo de vontade de ler!
    Obrigada pela indicação!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá, Ane.
    Num primeiro momento me interessou. Diário e segunda geurra chamam a minha atenção, mas depois lendo sua resenha, acho que esse livro não é para mim. Eu gostei muito de O Diário de Anne Frank e acho que esse por ser muito complexo e mais como um livro de história, não iria me agradar.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Olá Flor
    Tudo bem?
    Confesso que ando fugindo de certos tipos de Leituras, não vou deixar de ler,mas se puder evitar no momento, principalmente livros que são relacionados a segunda Guerra mundial, meche bastante com emocional da Gente e muito triste todas aquelas Tragedias e sendo real nos ainda mais, gostei da Premissa e da Resenha apesar de você ter se decepcionado um pouco!Talvez eu leia em outro momento.
    Beijinhos
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Só tinha visto divulgação do livro pelo facebook, achei que por se tratar de um diário retratando por um olhar o sofrimento da segunda guerra mundial seria bem interessante, mas pela sua resenha acredito que não seja minha leitura ideal, não conseguiu me conquistar. Ótima resenha, completa e sincera!

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane!
    É difícil pensar que um livro como esse pode não ser cativante, né? O potencial é enorme. Por outro lado, tantas informações (embora isso seja interessante) podem mesmo tornar a leitura maçante. É preciso uma dosagem muito bem feita para funcionar. Enfim, uma pena que um livro que podia ser inesquecível tenha sido uma decepção.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Bom, uma pena que o livro tenha te decepcionado em alguns aspectos. Eu não sou muito fã de História e Segunda Guerra é um dos assuntos que menos me atraem, então talvez se pegasse o livro para ler poderia até acabar achando interessante por não term nenhuma expectativa sobre a história.

    Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  15. Anne Frank é uma figura tão cativante e seu diário tão central em minha tragetória de leitora, tem citações a ele em meu diário, que tenho receio de ler outros diários dessa epoca... quase como se fosse uma traição a Anne ou um preconceito literário - bobagem néh?! -

    Que pena que a leitura não engrenou e foi frustrante... Chato quando isso ocorre e que bom que você foi franca na resenha, assim fico avisada de não esperar muito do livro caso decida ler!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  16. A nossa expectativa sempre acaba tirando a graça das coisas né haha também sou fascinada por histórias passadas na segunda guerra mundial, então provavelmente também gostaria bastante

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem especial de halloween lá no blog, vem conferir!

    ResponderExcluir
  17. Oi Ane =)
    eu tenho um sério problema com livros que tratam sobre a guerra, na verdade acho que é um bloqueio, não sei.
    Esse ainda não li, e sinceramente apesar da sua ótima resenha sobre o mesmo eu não sei se lerei :/

    Beijos de Luz,
    Marinah | Meu Doce Apartamento - Literatura, Culinária, Caseirices e muito amor!♥

    ResponderExcluir
  18. Eu tb tenho essa coisa pela 2 guerra... Não sei porque isso. E já gostei desse livro por esse motivo. Valeu mesmo a dica!

    >> Vida Complicada <<

    ResponderExcluir
  19. Oi Ane!
    Parece ser um livro bem forte e emocionante, mas acho que não leria por enquanto. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Oi
    Que pena que não conseguiu conectar com a história, mais pelo menos
    conseguiu algo positivo ao ler. Nem conhecia esse livro e nem chamou minha antenção.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Oi! Não conhecia esse livro, mas ja fiquei super interessado por se tratar de um assunto que eu amo!
    Beijo
    mundoemcartas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Ps. Não que eu ame a guerra. Eu amo estudar sobre ela, rs!

    ResponderExcluir
  23. Eu gosto muito desses livros, com temas sobre a Segunda Guerra me faz pensar bastante.
    Post it & Livros

    ResponderExcluir
  24. É um saquinho quando o livro não supera nossas expectativas. Mas sabe o que eu acho que pode ter acontecido? Por você já ter lido outros que tratam do mesmo assunto, talvez o tema tenha ficado um pouco repetitivo. Enfim, adoro ler livros sobre a 2ª Guerra Mundial, acho que sempre nos ensina algo de relevante, sabe? E é impressionante como a escrita e a leitura ajudavam as pessoas nessa época, né? Viva as palavras! ♥

    Beijos,
    Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por