Meio Rei por Joe Abercrombie.

14/07/2016

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788580415612
Editora: Arqueiro
Ano de Lançamento: 2016
Número de páginas: 288
Classificação: Ótimo
Sinopse: Mar Despedaçado – Livro 01.
“Jurei vingar a morte do meu pai. Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro.”
Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem. Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava. Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo.

Estou a alguns minutos olhando para tela de meu notebook sem saber ao certo como começar essa resenha. Meio Rei, o primeiro livro da trilogia Mar Despedaçado, foi um livro que realmente me surpreendeu.  Fui fisgada logo no primeiro capitulo pela narrativa do autor Joe Abercrombie, que de uma forma bem simples e sem grandes pretensões conseguiu criar uma história incrível. 

No reino de Gettland o valor de um homem é determinado pela quantidade de batalhas que ele venceu. Não existe um defeito maior do que não conseguir brandir a espada ou segurar um escudo. Por esse motivo, Yarvi o filho caçula do rei Uthrik com a rainha Laithlin passou a vida toda sendo desprezado pelo pai. Nascido com uma mão deformada ele é considerado uma vergonha para família e motivo de piada entre os fortes e arrogantes guerreiros do reino.  Porém se falta a Yarvi a força física necessária para acompanhar o pai em batalhas, a vida o “compensou” dando inteligência de sobra.

Com uma mente afiada e os ensinamentos de mãe Gundrign, Yarvi estuda para se tornar um sábio ministro, e passar o resto de sua vida curando e aconselhando o rei. Só que em uma noite chuvosa a noticia trazida por seu tio Odem arruína todos os seus planos de um futuro de paz e contemplação. Seu pai e seu irmão foram assassinados em batalha, não dando a Yarvi outra opção a não ser assumir o trono. Agora o jovem rei, terá que se tornar um guerreio mesmo que não tenha nascido com habilidade para isso.

Ele jurou se vingar do assassinato de seus familiares, mas quis o destino frustrar os planos de Yarvi novamente. Vitima de uma terrível traição ele acaba preso e sendo vendido como escravo. Porém, mesmo em seu calvário ele não desiste de cumprir seu juramento e principalmente de se vingar da traição que sofreu. Não importa como e nem quanto, mas ele vai retornar ao seu reino e ao seu trono. Custe o que custar.

Meio Rei é uma daquelas tramas que já te surpreende pelo fato de seu protagonista ser um personagem fora os “padrões” dos livros do gênero. Yarvi nasceu e cresceu em uma sociedade guerreira e por ser “incapaz” de segurar uma espada, ele se tornou uma pária no meio onde vive. À primeira vista o Yarvi nos passa a sensação de ser um garoto tanto amargo, que usa o seu raciocino rápido com uma boa dose de sarcasmo para tentar causar os mesmo danos que uma espada causaria. Porém conforme a narrativa avança vai se tonando cada vez mais perceptível como o desprezo do pai afetou a sua autoestima.

Mesmo possuindo outros talentos, em muitos momentos ele próprio despreza a si mesmo, se isolando das pessoas ou criando uma barreira de proteção entre si e o mundo ao seu redor. Particularmente gostei muito do modo como o Joe Abercrombie soube trabalhar essa “fraqueza” do protagonista, pois isso o tornou mais humano. E cá entre nós, acho que todo mundo anda um pouco cansado de personagens “perfeitos” demais e até mesmo ”irreais”.

Outro ponto que difere Meio Rei das narrativas mais “tradicionais” é que o autor não perdeu muito tempo com longas descrições e detalhes que poderiam ter sobrecarregado a obra. Tudo aqui é muito rápido e direto o que torna a narrativa ainda mais fluida. E apesar de que em determinados momentos Abercrombie deixa algumas coisas um pouco “óbvias” demais, o autor soube como contornar isso através de diálogos inteligentes e boas cenas de ação.

Os personagens secundários ao menos nesse primeiro livro não tiveram tanto destaque, embora todos tenham desempenhado um bom papel no desfecho da trama. Acredito no decorrer da trilogia a Isrium, vai se tornar uma peça importante na trama e por esse motivo é bom tanto o Yarvi, como nós leitores ficarmos de olho nela.  Afinal, Meio Rei foi apenas o capitulo inicial de uma história que tem campo para crescer e nos surpreender ainda.

“ – Quando se está no inferno – murmurou Yarvi –, só um demônio pode apontar a saída. ”

Com um protagonista forte, personagens carismáticos e ótimos diálogos, Meio Rei é uma leitura rápida e envolvente. Foi o primeiro livro que li do autor Joe Abercrombie, e posso afirmar como toda certeza que nós dois começamos com o pé direito. Mal posso esperar para ler outras histórias do autor. Se você assim como eu é fã de fantasia, ou apenas está em busca de uma boa aventura Meio Rei é uma excelente opção de leitura. #ficaadica!

Comentários via Facebook

18 comentários:

  1. a capa é linda, mas de verdade é uma trama que sai da minha zona de conforto e que por hora não me atrai

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Até então eu não tinha visto falar da obra, mas gostei do que vi por aqui. Realmente, nós já estamos cansados de personagens irreais e perfeitos. E acho que o protagonista de meio rei é um personagem ideal para criar esse estereotipo presente na maioria dos livros. Fiquei curioso para saber o desfecho da história. Além disso, gostei bastante da capa.

    Abraços,

    Decidindose.com \o/

    ResponderExcluir
  3. Eu sou fã, mas sou uma fã reticente... Depois da novela na qual a continuação de "As crônicas do gelo e fogo" se tornou estou desconfiada com autores de fantasia de maneira que só me sinto tentada a começar a ler quando a série termina. Li recentemente o primeiro paragrafo desse livro em algum lugar, não lembro onde, me deixou arrepiada demais e agora você me deu a primeira resenha. Estou instigada, lindamente acompanharei as resenhas do livro e quando a série estiver em vias de terminar ataco ela!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Oie,
    já ouvi falar do livro, mas não tinha me chamado atenção.
    Gostei bastante da resenha.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ane!
    Ainda não tinha visto uma resenha desse livro. Só posso dizer que, se antes eu estava interessa, agora necessito desse livro.
    Adoro quando os protagonistas fogem do padrão.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
  6. Oi Ane, tenho que admitir que Meio Rei não foi um dos livros da Editora Arqueiro que tinha me chamado a atenção quando foi lançado. Mas tenho sido surpreendida demais pelos livros da editora, e estou adorando todas as leituras. que bom que Meio Rei consegue surpreender também, depois de ler sua resenha até fiquei curiosa para ler. Eu adoro personagens imperfeitos, e que bom que o autor conseguiu trazer isso ao livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ane! Minha colaboradora solicitou esse livro, mas ainda não resenhou lá no blog. Eu não costumo ler livros assim... Mas gostei dos pontos positivos que você destacou. Realmente é interessante quando surge um personagem que não sei encaixa nos estereótipos que já conhecemos. E se tem uma coisa que eu gosto é sarcasmo, então já gostei do Yarvi! Ahahah!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Logo de cara o livro não me chamou muito a atenção, mas depois que li sua resenha fiquei com muita vontade de ler o livro. Leituras envolventes são sempre muito boas!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  9. Olá, Ane.
    Eu não solicitei esse livro para a editora porque fiquei com receio dele ser bem descritivo e ter uma narrativa mais lenta. Mas que bom que não é assim, agora fiquei querendo ler ele. E também o protagonista chama a atenção pro ter defeitos, coisa que raramente ocorre nos protagonistas que são sempre perfeitos.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Que capa lindaaaaa!
    Fora que a história parece ser incrível também!
    Beijoss
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
  11. oi
    confesso que não esperava muito desse livro quando li a sinopse não, mais a sua resenha chamou a atenção e parece ser uma leitura boa e envolvente, cheio de mistério. gostei da resenha e de conhecer um pouco do livro.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Nossa, sim!!! Não aguento mais esses personagens perfeitos. Antes, todos eram incrivelmente belos, e agora, todos tem atitudes ousadas e diferentes do que se espera da época, repletos de força e perfeitos. Mas não é assim! É preciso um contrabalanço em tudo, e esse personagem sim parece perfeitamente ~humano. Alguém que não escolheu não seguir os padrões, que tem suas fraquezas, demonstra isso, e por outro lado, sua inteligência sagaz o faz seguir até *espero* conseguir sua vingança. Amei sua resenha, e amei mais ainda a premissa da obra, preciso pra já!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane! Eu nunca li nada deste autor e este livro me interessou mais do que a série anterior que foi lançada no Brasil. Eu também prefiro personagens imperfeitos, pois são mais críveis e de fácil identificação.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane,
    Confesso que esses nomes difíceis me confundem e prefiro não pegar uma série assim antes de finalizar algumas leituras complexas, como é o caso de As Crônicas de Gelo e Fogo (estou no livro 3 e sei que vou me perder bonito se misturar, rs).
    Nem tinha me passado pela cabeça solicitar para a Arqueiro... Talvez depois de terminar GOT, eu pegue ele...
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Essa é a primeira resenha do livro que li e tenho que confessar que já amei ele, adoro livros envolvente assim e só pela resenha fiquei muito curiosa! Já quero pra mim
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá! Tudo bom?
    Eu me senti atraído por esse livro, viu. Não conhecia, mas adorei a história e essa coisa de tirar aquele padrão de homens guerreiros, que vencem sempre e que tem a força - aquele famoso homem "macho".

    QUero ler.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com
    Instagram: @vidaeletras

    ResponderExcluir
  17. Olá Ane,
    Ainda não conhecia esse livro e confesso que não fiquei interessada na leitura. A premissa não me conquistou em nenhum sentido, o que é uma pena, pois parece ser boa.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  18. Oii Ane!
    Olha, eu vi um marcador desse livro esses dias, mas não fazia ideia do que se tratava! Gostei muito da premissa, e mais ainda de fugir dos padrões atuais.
    Adorei a sua resenha!

    Beijos,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por