Boa Noite por Pam Gonçalves.

16/10/2016

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788501106698
Editora: Galera Record
Ano de Lançamento: 2016
Número de páginas: 240
Classificação: Muito Bom
Sinopse: Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação - em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

Uma das metas que essa que vos escreve estabeleceu para 2016 é ler mais livros nacionais. E a oportunidade de não apenas alcançar essa meta, mas também de conhecer uma nova autora surgiu com Boa Noite da Pam Gonçalves. Já conhecia a Pam blogueira e booktuber, e claro que estava com aquela pontinha de curiosidade para conhecer a Pam escritora. Com uma história quase  clichê, Boa Noite se revelou uma leitura envolvente que consegue se destacar por abordar temas atuais de forma leve e ao mesmo tempo realista.

A boa filha, boa aluna, boa menina a nerd esquisitona, esses foram os rótulos que durante toda a adolescência acompanharam Alina. Porém agora prestes a começar o curso de Engenharia da Computação em uma cidade nova, morando em uma república com pessoas que não conhecem o seu passado, Alina vê a oportunidade perfeita de deixar todos os rótulos para trás e começar de novo. Não que ela tivesse algo para esconder ou se envergonhar,  mas ser sempre a boazinha nunca fez dela a garota mais popular do colégio e no fundo Alina sempre quis ser descolada e sentir que pertencia a um grupo.

O inicio dessa nova vida se mostra promissor para Alina, e nem mesmo o preconceito e as piadinhas sem graça dos rapazes do seu curso conseguem desmotiva-la. Muito pelo contrário fazem com que Alina se sinta desafia a mostrar que eles estão errados. Seus companheiros de república são maravilhosos, e logo ela está indo para as festas mais badaladas da Universidade com Manu, Talita, Bernardo e Gustavo. Nesse ambiente de festas, bebidas e romances curtos uma página de fofocas surge. Nela são postadas todo o tipo de fofocas sobre os universitários, mas são as mensagens de abusos e uso de drogas que realmente tornam a página popular.

De repente o sonho de ser uma pessoa diferente se torna um pesadelo para Alina, e ela se vê tragada para um lado não tão glamouroso da vida universitária. E mesmo que sua vontade seja voltar para casa e sua rotina tranquila de antes, Alina percebe que lá não é mais o seu lugar. E que agora é a sua chance de realmente fazer a diferença.

Com um plano de fundo que aborda temas como, abuso sexual e o uso de drogas nas universidades, preconceito racial, homofobia e o machismo que infelizmente ainda está muito presente em nossa sociedade, Boa Noite é uma leitura que prende nossa atenção logo nos primeiros capítulos. Pam Gonçalves trabalha bem como esses elementos, embora em minha opinião tenha faltado um aprofundamento maior em alguns. E o fato de tudo se desenvolver rápido demais na história foi algo que infelizmente me incomodou um pouco também.

Além disso, fiquei com a impressão que a personagem principal não tinha muita “personalidade” e que se deixava levar muito pelos outros.  Sabe aquela típica pessoa “Maria vai com as outras”? Foi exatamente essa a visão que tive da Alina. Ela tem uma necessidade tão grande de fazer amigos e se enturmar que acaba se permitindo ser arrastada para lugares e situações que no fundo a própria Alina sentia que não combinavam com ela. Igual quando você sabe que uma coisa não vai dar certo e faz mesmo assim (quem nunca?). E tudo bem, entendo que para ela é tudo novo e que de certa forma ela buscava esse novo começo.

O problema é que as coisas não acontecem de forma gradativa e sim em um intervalo relativamente pequeno, o que acaba reforçando ainda mais a sensação que a Alina deixa-se levar muito facilmente pelas outras pessoas. Tanto que os personagens secundários conseguem se destacar mais do que a própria protagonista na história, mesmo ela se “redimindo” um pouco no final.

Gostei especialmente da Manu e fiquei bastante curiosa para saber mais sobre ela. A Manu possui aquele tipo de personalidade intrigante em que é visível que tem muito do seu passado que ela busca esconder. Outro personagem que me chamou atenção é Gustavo, que além de ser um fofo tem uma história própria bem interessante. A Talita e o Bernardo também desempenham um papel importante na trama, apesar de ambos ficaram mais em segundo plano na narrativa.

Boa Noite foi um livro que me surpreendeu, pela forma leve como a autora abordou temas tão complexos e pesados. No contexto geral gostei bastante do que encontrei aqui, porém não posso negar que senti uma certa superficialidade e que teria gostado mais se alguns pontos tivessem tido um aprofundamento maior. As coisas vão evoluindo de forma muita acelerada e quando você se prepara para o grande clímax a história acaba. E isso me deixou um pouquinho frustrada, afinal sou aquele tipo de leitora que adora reviravoltas impactantes, momentos de tensão e cenas emocionantes.

Pam Gonçalves soube aproveitar o cenário atual para escrever uma história que mesmo possuindo um final bem clichê, nos deixa com aquele sorriso bobo no rosto. Só que o mais importante aqui é a mensagem que a autora passa, sobre a igualdade de gênero, você ser você mesmo e que no mundo não há mais espaço para nenhum tipo de preconceito. A caminhada é longa e ainda estamos andando devagar e a passos curtos, mas o importante é que essa mudança já começou.

“Sentirei saudade, mas ali realmente não é mais o meu lugar. Eu preciso encarar a situação. Não vou deixar que outras pessoas definam que sou.”

Com uma narrativa fluida, Boa Noite é um livro que traz reflexões importante e ao mesmo tempo que agrada quem está em busca de uma leitura rápida e despretensiosa. Um começo realmente promissor para uma jovem autora nacional. Recomendo!

Comentários via Facebook

14 comentários:

  1. Ooi! Até então eu não sabia sobre o que se tratava o livro da Pam. Achei a premissa até que interessante, mas pela resenha parece um livro todo clichê que eu acabaria odiando, mesmo com os temas abordados.
    Beijos
    Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  2. Oiii Ane

    Acho que esse e o primeiro livro da Pam e pelo que vc contou os errinhos dela ate que foram bem leves, então ponto pra ela como autora. Uma pena que temas importantes terminaram sendo tratados de maneira superficial, eu acho que talvez por ela trazer muitos desses temas de uma vez, em uma unica historia, aconteceu isso.
    Para o ano que vem eu quero ler mais livros brasileiros. Daqui aonde eu moro fica complicado adquirir o livro em formato físico, mas com a Amazon em nossas vidas o problema ta resolvido pois os preços deles em ebooks são muito bons e não ha desculpa pra ler pelo menos um desses livros tao bons de vez em quando. A literatura brasileira (a latino americana em geral) esta crescendo muito e nossos autores não perdem em nada para os gringos, merecem ser muito valorizados.

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  3. Oii,
    O primeiro livro dela eu fiquei bem curiosa para ler, mas esse nem tanto. E se um dia eu ler, já seu que vou ficar com raiva da Alina. Eu não gosto quando a personagem não tem personalidade própria, que vai pela cabeça de outras pessoas.
    Bjs!

    Refúgio da Ju

    ResponderExcluir
  4. Tenho MUITA vontade de ler esse livro e me animou mais ainda sua resenha.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha Ane. Apesar da autora não ter desenvolvido tão bem alguns temas, fica claro que ela tem talento e que soube tratar de algumas temáticas que infelizmente fazem parte da nossa realidade. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ane!
    Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre esse livro, e sua conseguir aguçar a minha curiosidade em lê-lo. Principalmente por trazer uma mensagem bacana para o leitor.
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amgas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Ane, sua linda, tudo bem?
    Estava muito curiosa sobre esse livro, é a primeira resenha que leio. Que pena que ela não aprofundou muito e que a personagem não agradou tanto. Acredito que esse assunto nunca irá se esgotar, pois as pessoas querem ser aceitas. O problema é que infelizmente, acabam comprometendo quem são para conseguir. De modo geral parece ser uma boa leitura, mais leve como disse. Adorei sua resenha e sua sinceridade como sempre!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    já tinha visto a capa por ai, mas ainda não estou convencida de sua leitura.

    bjos
    Blog Vanessa Sueroz
    Promoção Amor Roxo

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Eu já tinha visto alguns vídeos da Pam, mas não sabia que ela tinha publicado livros. Pela resenha, vi que a história traz temáticas interessantes e bem atuais, além de levantar algumas bandeiras. Gostei!
    Só não curti muito a capa.
    Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. oi flor, apesar das suas pequenas ressalvas percebe-se que é um enredo bem interessante e com temas cotidianos que nos farão pensar
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá, Ane.
    Já li outras resenhas desse livro e a sua é a primeira que vejo abordar os pontos negativos do livro. Acho que quando os autores abordam muitos assuntos não focam em nenhum deles e fica essa sensação de que faltou profundidade. Quanto a protagonista que você descreveu, já li vários livros com personagens semelhantes, e nem sei se gosto ou não hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  12. Oi Ane!
    Parece um livro cheio de "boas intenções", pena que escorrega na personalidade da protagonista.
    Isso de faltar um aprofundamento em alguns temas e certas coisas acontecerem rápido demais, me pareceu típico de histórias que querem abordar um grande número de assuntos, mas não conseguem fazer isso adequadamente com todos. Um pena. Talvez se o passo fosse um pouquinho menor, o resultado final teria sido mais satisfatório, né? Que bom que, apesar dos pesares, você conseguiu encontrar o seu sorriso ao final da leitura, rsrs :)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ane!
    Pelo que você falou da Alina, já sei que vou ter birrinha com ela.
    Que bom que no fim das contas você gostou da leitura.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção 5 Anos de Além da Contracapa
    Participe do sorteio Halloween Literário

    ResponderExcluir
  14. Eu fiquei curiosa com relação a essa obra da Pam! Mas, fiquei com um pouquinho de medo de ser um grande clichê. Mas, apesar desse ponto que me desagrada um pouco, acho que ela conseguiu inserir na história algumas reflexões legais, como essa questão do preconceito e igualdade de gêneros. Gostaria que a Alina fosse um pouquinho mais forte e interessante, mas personagens "Maria vai com as outras" me deixam meio chateadas hahaha Beijos!!

    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por