28/05/2018

SoSeLit #05 – Gostar de ler não faz você ser melhor que ninguém.

| Arquivado em: CAFÉ LITERÁRIO.

Desculpe-me chegar já jogando certas “verdades” na cara da sociedade, mas gostar de ler realmente não nos tornar melhores do que pessoas que não gostam de ler, ou que gostam de gêneros diferentes dos nossos. O fato é que infelizmente nem o mundo da literatura consegue fugir do "pré-conceito" e dos padrões preestabelecidos por nós mesmo. E sim, - existe preconceito literário. 

imagem: Shutterstock
“– Nossa você ainda lê revista em quadrinhos? Isso é tão infantil.”
“– Romance de banca? Credo isso nem pode ser chamado de literatura.”
“– Eu só leio livros com mais de 500 páginas, menos que isso nem considero livro.”
“– Ai, eu não leio romances eróticos por que só tem sexo e nada de história."
“– Não leio livros da modinha, só gosto de clássicos.”

Vamos deixar uma coisa clara; cada um lê o que quiser, quando quiser e se quiser. E é muito errado julgar os gostos e preferenciais de outras pessoas por que elas não são as suas.  E tudo bem se fulano está lendo as revistas em quadrinhos dele, sicrano os romances de banca ou beltrano adora livros da "modinha". O importante é que cada um leia o que gosta e que traz algo de positivo para sua vida.

Tem muita gente que se acha mais “cult” por que só lê livros clássicos, mas se esquece que esses livros só se tornaram o que são hoje anos depois da morte de seus autores. E aqui vai mais uma verdade; provavelmente aquele livro que você fala mal agora, daqui uns cem anos pode se tornar um clássico. E sim, isso serve para essa blogueira que vos escreve também, quando falamos da saga Crepúsculo e da série Belo Desastre. E tudo bem! Afinal, o fato de eu não gostar não significa que eu esteja certa, e sim apenas que o autor (a) não conseguiu me cativar com a sua história.

E podem me julguem por achar os livros na Jane Austen um porre e  ter "pesadelos" com as obras de Machado de Assis. Porém, isso não significa que eu não goste de clássicos. Amo toda a tragédia de Romeu e Julieta, assim como já li e reli várias vezes Caninos Brancos, O Morro dos Ventos Uivantes e adoro as obras de Graciliano Ramos e Carlos Drummond de Andrade.

Amo ler revistas em quadrinhos, mangás e graphic novels, e isso não faz de mim uma leitora melhor ou mais descolada. Na verdade só reforça o fato que eu gosto de ler. E vamos ser honestos, até bula de remédio eu leio e detalhe, sabe aqueles efeitos colaterais raríssimos? Sim, eu automaticamente começo a sentir todos.

Como mencionei na SoSeLit do mês passado, tem gêneros que não leio e sempre fico com o pé atrás quando vejo um livro recém-lançado se tornar “unanimidade”.  Porém, antes de sair falando mal ou de ficar olhando torto para pessoa que leu e amou aquele livro, eu procuro conhecer a história antes de expressar minha opinião. Afinal, o que pode ser um livro “ruim” para um, pode ser o livro da vida para outra. E essa regrinha de boa convivência vale para tudo em nossa vida. 

Ser leitor independente do gênero literário, gosto e número de páginas que lemos não nos tornam melhores que os outras pessoas não curtem o mesmo que a gente, ou que simplesmente preferem ter outro hobby do que ler.  Por que aquilo que nos torna melhor são nossas atitudes em relação ao próximo e ter qualquer tipo de preconceito não combina com isso ().

Até o próximo SoSeLit!

A Sociedade Secreta Literária é formada pelos blogs: Barba Literária , Eu Insisto, La Oliphant, LivrosLab, Pétalas de Liberdade, Um metro e meio de Livros e o My Dear Library. A nossa intenção ao criar o grupo é falar de assuntos bons e “ruins”, e que normalmente as pessoas não falam abertamente na blogosfera. 

Comentários via Facebook

14 comentários:

  1. Gostei do post Ane. Vivemos em uma geração mimimi, onde tudo gera preconceito ou até mesmo achismo demais. Eu particularmente não aprecio livros do gênero hot, mas respeito quem gosta e também espero ser respeitada nas minhas escolhas. Se as pessoas procurassem abrir mais a mente e aceitar as opiniões e gostos do outro, o mundo seria um lugar infinitamente melhor. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Ane! Tudo bom?
    Adorei o seu texto, trás muitas verdades que merecem sim serem ditas.
    Inclusive eu vivo sofrendo preconceito literário no meu ambiente de trabalho kkk e já devo ter cometido tal gafe tbm, mesmo sem querer ou me desculpando depois (eu sempre me arrependo das coisas que eu falo rs.)
    Obrigada pelo comentário lá no meu blog.
    Volte sempre!

    ~ miiistoquente

    ResponderExcluir
  3. Aneee, ainda não vi divulgação desse post no facebook, mas eu quero compartilhar!
    Deeeus, tudo faz tanto sentido aqui. Sabe que eu e minha mãe encapávamos livros de banca para conseguir ler em público? HAHAHAHAHA
    Hoje, a gente ri, mas nem deveríamos.
    Ler o que a gente gosta é o mais importante realmente.
    Beeeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Ari, você ARRASOU! Nossa, parabéns! É exatamente isso, cara. Eu não leio várias coisas (livros hot, por exemplo, livros de terror ou de aventura, acho mega ZZzZz), mas cada um lê o que quiser e não lê o que quiser também, cada um é livre para comprar e ler a história que bem entender e tá tudo bem. E não ler também está tudo bem. A leitura é para ser algo bom, gostoso, prazeroso. Não para ter algo regrado e cheio de "normas e usos". Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  5. Oie,
    Total entendo este negócio de não botar muita fé em livros que TODOS gostaram, eu também fico com um pé atrás. mas é sempre bom dar aquela conferida né? Vai que é bom mesmo.
    Quanto aos romances de bancas confesso que eu ainda amo ler isto, mesmo sendo completamente previsível, isso ainda me diverte e nossa muita gente se espanta quando digo que leio este tipo de livro hehehehe.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ane!
    Como sempre, um texto super sensato e ícone!
    Outro dia quase fui linchada por não ter curtido Agatha Christie e Laranja Mecânica... eu gosto mesmo é de um novelão hahhaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Menina, essa é a verdade que precisa ser dita. É muito preconceito literário que tem por aí. Mas nem ligo. Leio o que me agrada e respeito o gosto de cada um.

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  8. Oi Ariane,
    Na verdade ler é subjetivo. Pq está muito relacionado ao gosto de cada um. Hoje as pessoas falam muito mal de Crepúsculo, mas é pelo fato de ter sido muito explorado e tal. Eu curto e não vou jogar meus livros fora. Agora tem coisas que realmente não vou curtir pq tudo está ligado ao gosto. E gosto não se discute, se respeita ^^
    Curti sua posição.
    Bjos
    http://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  9. aaaaa me abraça. Eu odeio quando alguém quer ser melhor que outra por causa dos livros que lê. Para ser leitor, só precisa ler, até mesmo bula de remédio. E nenhum gênero é melhor que outro.
    É tipo aquele povo que diz que quem assite tv é alienado, mas vive caindo em fake news da internet.
    beijos
    http://lolamantovani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá, Ane.
    Eu fiz um post falando sobre isso uns tempos atras lá no blog. Existe muito preconceito sim. Acredito que toda leitura é válida, mas cada um tem que ler o que gosta e deixar o outro fazer o mesmo. Tem vários gêneros que não gosto, mas quem gosta que continue lendo hehe. Eu leio bula de remédio e propaganda de mercado hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ane!

    Adorei o post e a reflexão! Concordo total. Existe mesmo um preconceito, e que é totalmente sem fundamento O que importa é ler o que gosta. Seja clássico, lançamentos, livro de banca, cada um tem seu gosto e não deve se envergonhar disso!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oii Ane!
    Verdade, não dá pra ter preconceito com nada inclusive com gosto literário. Até porque gosto é gosto, cada um tem o seu e não há o que se discutir com aquilo que cada um sente como melhor para si. Muitas vezes as pessoas misturam falar mal com crítica, pois a crítica cabe para livros, escrita de autores e tal, a crítica enriquece o trabalho de alguém e pode ser construtiva trazendo elementos valiosos para quem produziu determinado trabalho. Mas falar mal ou menosprezar não tem relação com crítica, e é o que muitas pessoas fazem para se sentirem melhores que outras.

    Mas valorizemos o que há de bom nesse mundo, que as pessoas possam perceber o valor da leitura, seja qual for ela.
    Bom fim de semana!
    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Olá
    Eu tento não ter preconceito com nenhum tipo de livro e nenhum autor. Claro que nem tudo agrada a gente, mas isso é gosto pessoal. Eu gosto de ler e leio de tudo, desde reportagem na internet, livros gigantes, livros infantis pequenos, tudo tudo (sei a composição de todos os produtos que tenho no banheiro). Eu não me acho melhor que ninguém por ler, mas, sempre que possível, indico livros pras pessoas e recomendo que elas leiam.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  14. oie, arrasando como sempre Ane, muito bom seu texto, ler é importante, ler é preciso e julgar o que o outro lê é tão patético que chega a doer kkk!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Instagram

© 2010 - 2018 My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in