08/04/2018

SoSeLit #4 – Como me tornei uma chata literária.

| Arquivado em: CAFÉ LITERÁRIO.

Uma coisa é fato, quanto mais você lê mais crítica (o) e exigente você fica em relação as suas leituras. E pensando nisso o tema proposto para o SoSeLit desse mês é: O que mudou no meu gosto literário depois do blog.

imagem: Shutterstock
Confesso que em questão de gosto propriamente dito, pouca coisa mudou. Continuo dando preferência por fantasias e romances gracinhas, porém hoje alguns autores que antigamente eram os meus favoritos acabaram passando o bastão outros autores que fui conhecendo ao longo dos últimos anos. Um exemplo, é a Nora Roberts que lá no começo dos anos 2000 era a minha autora de romances favoritas, mas que recentemente as obras recentes que li dela, não me encantaram tanto assim.

Outra autora que hoje em dia os livros não chamam mais tanto a minha atenção é a Meg Cabot. Li e reli muito os livros da autora na minha adolescência, porém hoje por mais que a narrativa seja fluida, sinto que estou “velha demais” para as histórias que a autora escreve, e isso atrapalhou bastante o meu envolvimento com as últimas obras que li dela.

Além disso, admito que antigamente eu amava livros como, Entrevista com o Vampiro e qualquer história em que os vampiros fossem protagonistas. Porém, não sei se a série Crepúsculo realmente me traumatizou, ou se foi o estilo que ao menos para essa leitora aqui “perdeu a graça”, ao ponto de fazer anos que não leio nada com essa temática. Tudo bem que nos livros da Cassandra Clare, os vampiros são criaturas presentes, mas eles não são o foco das histórias, até por que se não fosse por isso com certeza eu já teria desistido de ler os livros.

Admito que me tornei meio chata em relação as minhas leituras de uns tempos para cá, e que sim, - tenho um "pré-conceito" com livros da modinha. Alguns se mostram justificáveis outros acabo mordendo a língua, mas o que fica muito claro quando comparo as minhas leituras de três ou mais anos atrás com as de agora, é que está ficando cada vez mais “difícil” encontrar aquele livro “perfeito”.

Acho que um pouco dessa mudança é normal, afinal vou fazer trinta e três anos e por mais que algumas histórias infantojuvenis ou young adult sejam interessantes, não sou o público-alvo dos autores que escrevem esses tipos de obras.  Outro ponto é que a minha percepção em relação ao mundo também acabou evoluindo no decorrer dos anos, e com isso muitos livros que li no passado e foram maravilhosos, hoje não são tão maravilhosos assim.

Como leitora sei que preciso sair um pouco da minha zona de conforto literária e me arriscar em gêneros que não leio com tanta frequência. A verdade é que por mais que na adolescência, livros da Agatha Christie fossem presença constante na minha lista de leitura, com o tempo livros do gênero também deixaram de chamar a minha atenção. É algo que preciso mudar? Com certeza, mas enquanto romances fofos e fantasias continuarem a fazer esse coração de leitora bater mais rápido, sei que vou sempre dar preferência aos livros do gênero.

Através do blog tive e tenho a oportunidade de conhecer novos autores e histórias que às vezes lembram algo que já li, ou que realmente apresentam uma proposta original. Tem livros e séries que chegam de mansinho e conquistam meu coração e outros que só leio para “falar mal”, com propriedade (sim sou dessas). Porém, sei que hoje busco narrativas que além de me entreter, passem alguma mensagem importante que me façam refletir e principalmente, que me emocionem e que suas histórias permaneçam comigo por um bom tempo.

Vai ser difícil encontrar os tais livros perfeitos? Talvez. Provavelmente dos cinquenta/sessenta livros que eu vá ler esse ano dois ou três se destaquem. Só que se tem uma coisa que esses anos todos de blog e livros me ensinou, é que mais vale a qualidade do que a quantidade, e tudo bem se em alguns momentos a minha chatice literária acabar falando mais alto.

Por que isso, é apenas a evolução natural pela qual todo mundo passa na vida, seja no mundo real ou no literário. Nós crescemos, mudamos e com isso nossos gostos e por que não dizer amores acompanham essas mudanças também. Então não se assuste, quando você perceber que as histórias daquele seu autor ou autora favoritos, não conseguem mais deixar o seu coração quentinho. Isso é super normal e com certeza, você vai encontrar novas histórias e autores fantásticos.

Até o próximo post!

A Sociedade Secreta Literária é formada pelos blogs: Bela Psicose, Eu Insisto, La Oliphant, Literasutra, Um metro e meio de Livros e o My Dear Library. A nossa intenção ao criar o grupo é falar de assuntos bons e “ruins”, e que normalmente as pessoas não falam abertamente na blogosfera. 

Comentários via Facebook

22 comentários:

  1. Oi Ane, tudo bem?
    Acho que esse processo é muito natural e faz parte do nosso amadurecimento como pessoas mesmo.
    Eu, que sempre adorei fantasias, tenho lido poucas. Estou numa fase total thriller/policial (gênero que sempre curti), intercalando com romances fofos hahaha!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  2. Ane não acho que você tenha se tornado uma chata, mas deu uma amadurecida e seu gosto foi mudando, ficamos mais seletivas naturalmente e os gostos vão mudando, autoras favoritas perdem o posto kkk
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Ane! Tudo bem?
    Acho que ficaria tudo muito chato se nossos gostos e favoritos fossem o mesmo pra sempre. Talvez seja por isso que viver seja interessante, é tudo bem imprevisível...
    Desculpe a demora em responder seu comentário.
    Volte sempre!

    ~ miiistoquente

    ResponderExcluir
  4. Nõ é ser chata é exigir mais do livre, você dedica um tempo para ler e espera algo bom.
    Faz tempo que não leio, muitos livros que eu leio pego do netgalley e muitos são de autores desconhecidos e é uma supresa boa até.
    O ruim do livro modinha é que as pessoas falam como se fosse algo fora do normal,melhor dos melhores e ai cria-se uma expectativa e acaba virando uma decepção.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ane

    "Falar mal com propriedade"... adorei isso! Hahahaha
    Às vezes também faço isso só para "provar" que eu estava certa ao julgar mesmo sem conhecer, é mais forte que eu! Hahahah
    Acho suoer normal essa evolução. Na época de Crepúsculo eu li tudo quanto foi livro de vampiro/lobisomem e assim como você estou há anos sem ler nada do gênero, acho que fiquei saturada, sei lá.
    Eu sou mais do NA, thriller e drama, faltasia já não me enche muito os olhos, mas HP segue sendo um amor eterno. Realmente é nossa fase, a gente muda, nossas concepções mudam, então ficar mais cricri é super de boa. Também estou chegando nos 30 e, querendo ou não, a essa altura de campeonato não é tudo que a gente engole. Então segue o baile! Hahahahah

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  6. Menina, eu falava sobre isso esses dias, em como enxergo diferente hoje algumas histórias que li no passado. Eu me identifiquei com vários pontos que vc citou. Nora Roberts era a minha musa, só comprava livro dela (ainda tenho vários aqui que comprei e nunca li), mas hoje em dia ela já não me atrai como antes. Agatha Christie tb é uma que lia direto, assim como Arthur Conan Doyle. Faz tempo que não leio nada deles, e tb quero remediar isso. Mas é assim mesmo. A gente vai amadurecendo e nossos gostos mudam. Isso não é algo ruim. Faz parte da vida, hehe!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

    ResponderExcluir
  7. Oi Ane, tudo bem!
    Com o amadurecimento passamos a enxergar de forma diferente, talvez mais objetiva tramas que quando éramos mais jovens nos encantava, mas isso faz parte do crescimento. Meus gostos não mudaram tanto, apenas deixei de ler alguns autores, que me agradavam antigamente.

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Amei o post. Acho que quanto mais lemos, mais temos tendência a não gostar das coisas. Criamos um parâmetro de qualidade e quando um livro não supera outro, já era.
    Beijos
    lolamantovani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Acho que o amadurecimento trás um pouco de diferença no que passamos gostar mais ou menos, é natural. Super me identifiquei com ler tudo e falar mal com propriedade, faço isso muito hehehehe.

    ResponderExcluir
  10. Oi Ane,

    Realmente se pararmos para olhar para trás, aquele 'tipo' de livro que era perfeito para nós naquele momento, hoje é algo comum, que de favorito passou a ser normal, nossas criticas vão aumentando conforme lemos mais e mais, mas sempre terá um livro que nos preencherá naquele momento.
    Bjs!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  11. Oi Ane
    Eu também gostava dos romance da Nora Roberts ,principalmente de uma dinastia (acredito que seja MacGregor o nome da familia),cujo o patriarca arranjava um parceiro(a) perfeito para seus netos .
    Mas com o tempo perdido o encanto pelos livros da Nora e também por aqueles romances de bolso Sabrina.

    Eu acho que com o tempo de certa forma vamos mudando de gosto literário mesmo, mas alguma coisa sempre fica que é o amor pelos meus livros.E no meu caso ,o meu amor por Agatha Christie ,que está comigo desde 2005

    Beijão

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  12. Concordo que com o tempo nós ficamos bem mais exigentes, só não concordo com o que disse em relação ao género young-adult, no início da minha vida adulta não achava grande graça e hoje leio mais e gosto mais de young-adult que antes.
    Uma coisa que tenho tentado é não ganhar expectativas para tentar aproveitar mais os livros, mas outro ponto que vai de encontro é o facto de haver autores que já não e despertam tanto atenção como antes, no meu caso também a Nora Roberts.

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  13. Exatamente assim.
    Por isso sou tão crítica quando vou ler. Tantas obras as pessoas amam, AMAM, e comigo o negócio não desce nem chorando.

    Tenha uma ótima quarta-feira.

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane,
    Eu acho que fiquei mais crítica, mais 'chata' em relação a alguns assuntos, porém continuo AMANDO clichês! HAHAHAHA Só precisam ser bem feitos, HAHAHAHAHA.
    E vou te falar que eu nunca me dei bem com Nora Roberts, tá? Não consigo me envolver :(
    Ah, uma coisa que o blog me ensinou é não ter medo de livros enormes ;) #FicaADica rs
    Beeeeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu amo esse tipo de coluna no blog!!! ☺

    Eu leio tem "pouco tempo", desde 2011 e sinto também que meu gosto mudou MUITO! Tem muitas autoras que antes eu amava tanto e hoje sempre que leio algo acabo ficando meio mal, não me identifico mais. Às vezes por não me identificar com as personagens, ou porque acho os enredos mais bobos, ou porque a narrativa é simples demais.

    Sinto eu tenho ficado muito crítica em relação a essas coisas. O que por um lado acaba sendo bom, creio eu, já que eu quero escrever livros também e quero que sejam bons e para isso acredito que é bom ter uma visão mais crítica. Também vejo um lado ruim quando eu pego um livro despretensioso e não consigo gostar. Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  16. Oi, Ane!

    Adorei o post! É inevitável mesmo mudar, mesmo que um pouquinho, os hábitos de leitura ao longo dos anos. Eu também me sinto meio velha lendo Meg Cabot, já me agrada como antes, e hoje em dia curto mais romances digamos que maduros do que os romances adolescentes hahaha sobrenatural então quase não tenho mais paciência, mas isso eu já acredito que seja algo de fase, de quando um gênero vira febre e tudo mais.

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi Ari, assim, eu não leio pra falar mal pq eu prefiro ler o que eu gosto mesmo kkkkk mas acontece de não gostar, faz parte, eu antigamente lia muita fantasia, mas hoje beeem menos, acho que eu tb mudei, e tb não curto mais tramas adolescentes. Nossa, eu realmente mudei rsrsrsrrs

    Bjs, Mi


    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  18. wonderfull post & wonderfull sharing dear,best wishes for you..
    https://clicknorder.pk online shopping in pakistan

    ResponderExcluir
  19. Oi Ane
    Também vou fazer 33 anos e sim também me tornei mais exigente com os livros que escolho para ler. Acho que tudo tem uma fase e conforme vamos crescendo e amadurecendo o tipo de livro também vai mudando. Eu adoro livros jovem adultos ou adolescentes, mas não são todos. No momento curto mais romances adulto, de época e até ficção científica. As mudanças fazem parte.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi Ariane,
    Entendo seu pensamento. Curto bastante Meg Cabot, mas isso pq li seus livros muito jovem e sua escrita me cativou. Provavelmente se lesse ela pela primeira vez hoje não curtiria tanto. Então creio que sim, cada estilo acaba sendo influenciado pelo que vivemos. O que é bem normal hoje eu dar chance para coisas novas. O que é bem legal, amplia nosso mundo e nos traz um impeto de novidade ^^
    Bjos
    http://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Olá, Ane.

    Realmente quanto mais lemos mais críticos ficamos. De alguma forma, morro de medo disso acontecer. Falo das histórias que mesmo sem erros ou qualquer problema que pudesse ter, não fosse mais tão bela assim. Porque de algum ponto de vista é como uma imagem perfeita estilhaçando na sua frente; ou um conto de fada que nunca se realizou. Porém, é como disse, devemos buscar experiências novas que façam nosso coração saltitar de felicidade. E nos traga ensinamentos novos.

    Obrigada pela postagem.

    Abraços.

    R.W.

    newsfallenbooks.com

    ResponderExcluir

Instagram

© 2010 - 2018 My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in