Mostrando postagens com marcador Editora Intrínseca. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Editora Intrínseca. Mostrar todas as postagens
22/01/2012

Lonely Hearts Club por Elizabeth Eulberg

Lonely Hearts Club por Elizabeth Eulberg.                                                             

Ficha Técnica:

Editora: Intrínseca
Autor: Elizabeth Eulberg 
ISBN: 9788580570496
Ano: 2011
Edição: 1
• Número de páginas: 240
Classificação: 4 estrelas
Onde Comprar: FNAC, Livraria Cultura, Livraria Saraiva

Livraria da Travessa, Submarino Compare os Preços.

Sinopse:                                                              


Lonely Hearts Club - Porque ninguém precisa de um 

namorado para ser feliz.

Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo. Exceto claro, os únicos quatro caras que nunca decepcionam uma garota — John, Paul, George e Ringo. E foi justamente nos Beatles que ela encontrou uma resposta à altura de sua indignação: Penny é fundadora e única afiliada do Lonely Hearts Club — o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz. Lá, ela sempre estará em primeiro lugar, e eles não são nem um pouco bem-vindos. O clube, é claro, vira o centro das atenções na escola McKinley. Penny, ao que tudo indica, não é a única aluna farta de ver as amigas
mudarem completamente (quase sempre, para pior) só para agradar aos namorados, e de constatar que
eles, na verdade, não estão nem aí. Agora, todas querem fazer parte do Lonely Hearts Club, e Penny é
idolatrada por dezenas de meninas que não querem enxergar um
namorado nem a quilômetros de
distância. Jamais. Seja quem for. Mas será, realmente, que nenhum
carinha vale a pena?


Resenha:                                                                                                                                                    


Surpreendentemente divertido! Acredito que nada define melhor este livro do que isso. Confesso que

mesmo querendo há muito tempo lê-lo, eu tinha certa resistência em colocá-lo na minha lista de leitura,
por ter lido em várias resenhas que nele continha muitas referências ao Beatles. E sinceramente eu não
gosto dos Beatles, e por esse motivo sempre fui deixando ele para depois. Como me arrependi.

O livro é uma graça! Sabe aqueles livros que te levam de volta a escola? Pois bem, se bateu aquela
saudade desse tempo, Lonely Hearts Club é o livro perfeito para você acabar com ela. A narrativa é
tão leve e descontraída que é impossível o leitor não se identificar com Penny, Tracy e Diane, ou
até mesmo não acabar reconhecendo os traços de alguém que conheceu na época de escola
na personalidade de algum dos personagens.

Embora realmente o livro tenha muitas referências aos Beatles, isso foi algo que não interferiu muito na 
minha leitura, de certo modo as referências “exageradas” ajudaram a compor a história.Claro que em 
alguns momentos o fato de você não conhecer as músicas incomoda um pouco, mas nada que faça 
você não gostar do livro.

A narração consegue cativar o leitor a cada capítulo. O único ponto negativo do livro em minha opinião, 
é que o final estava meio óbvio. Claro que mesmo já prevendo como acabaria eu dei pulinhos e suspiros 
de felicidade. Afinal o livro é tão bonitinho que seria meio impossível não ficar com cara de boba lendo 
o final.

Adorei a forma como a autora deu atenção a cada personagem, dando a eles características e 
traços tão marcantes. Sendo o livro de estréia da Elizabeth Eulberg, ela realmente está de parabéns! 
Afinal não são todos os autores que conseguem desenvolver um livro bom e curto com muitos personagens.

Eu fiquei meio deprimida quando o livro acabou. Ele é tão curtinho e tão gostoso de ler que quando acaba você fica com vontade de começar a ler tudo de novo. É simplesmente impossível desgrudar do livro! Adorei cada capítulo e com certeza ele foi um dos melhores e mais divertidos livros que li em 2011.
Eu recomendo!

02/05/2011

Crescendo por Becca Fritzpatrick

Crescendo por Becca Fritzpatrick.

Ficha Técnica:

Editora: Intrínseca
Autor: BECCA FITZPATRICK
ISBN: 9788580570090
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas: 288
Classificação: 4 estrelas
Onde Comprar: FNAC, Livraria Cultura, Livrarias Saraiva, Livraria da  Travessa, Submarino - Compare os preços.

Sinopse:                                                                                                

A vida de Nora Grey ainda está longe de ser perfeita. Sofrer uma tentativa de assassinato não foi à melhor das experiências, mas, pelo menos, Nora ganhou um anjo da guarda: Patch, que de angelical não tem absolutamente nada. Ele é lindo, irresistível, misterioso... e está com ela. O problema é que ele sido cada vez mais evasivo, e, o pior: parece muito interessado na grande inimiga de Nora, Marcie Millar.
Não fosse isso, Nora jamais teria notado Scott Parnell, velho amigo da família que acaba de voltar para a cidade. Ainda que Scott a deixe furiosa na maior parte do tempo, é impossível não se sentir atraída. Lá no fundo, porém, ela tem certeza de que ele guarda um segredo.


Resenha :                                                                                                                                                   

Uma coisa é certa: Sempre quando você tem muitas expectativas a respeito de algo você acaba se decepcionando.  Crescendo ficou um pouco abaixo das minhas expectativas, mas antes que os fãs na série me atirem pedras me deixem explicar os meus motivos.

Para começar senti falta da Nora do primeiro livro. Várias vezes me perguntei; onde estava a Nora divertida e  determinada do primeiro livro? Teria ela passado algum tempo com Bella Swan e aprendido com ela, a com ser insegura e chata? Por que falando sério em alguns trechos do livro era quase insuportável aguentar o ciúme da Nora.
                                
Patch quase nem aparece no livro, o que também me fez perguntar; teria ele ido bater um papo com Edward Cullen, e só resolvia aparecer quando sua amada estava em perigo? Sinto muito, mas é quase automático comparar algumas coisas e alguns fatos em Crescendo com Lua Nova da saga Crepúsculo.

A narrativa da Becca Fritzpatrick continua maravilhosa! A leitura é fácil e agradável, mas nem sempre isso significa que o livro é bom. Crescendo é enrolado e a autora em vez de ter explorado o lado sombrio e misterioso da trama deu muito foco a Nora e seu ciúme de Patch com Marcie.

Sim Marcie é insuportável, mas você ler Nora usando Scott para fazer ciúmes em Patch foi ridículo. Era extremamente irritante ler os trechos que Nora e Scott apareciam juntos, porque era visível que ela estava com ele só para atingir Patch. Sim Scott tem um segredo, mas o segredo dele é tão óbvio que chega ser hilário.

Adoro o jeito com que Becca Fritzpatrick escreve, mas assim como em Sussurro algumas coisas foram óbvias demais. Não precisei pensar muito para descobrir quem era o verdadeiro vilão da história. Vee apesar de não gostar muito dela, neste livro ela esta menos cabeça dura e realmente procura ajudar sua amiga. Crescendo traz muitas revelações bombásticas e o final é de tirar o fôlego, mas ele está muito abaixo de Sussurro.

Quero muito ler a continuação da série, já que adoro temas ligado a anjos e por gostar de Patch e seu sarcasmo. Mas espero que no próximo livro, as coisas não sejam tão óbvias, que a autora explore mais o lado sombrio e misterioso da história porque em minha opinião é justamente isso que esta faltando á série Hush – Hush; mais ação e menos drama adolescente.

30/08/2010

Sussurro por Becca Fitzpatrick

Sussurro por Becca Fitzpatrick

Ficha Técnica:

•Editora: Intrínseca
•Autor: BECCA FITZPATRICK
•Origem: Nacional
•Ano: 2010
•Edição: 1
•Número de páginas: 264
•Acabamento: Brochura
•Formato: Médio

Prólogo
 
Um juramento sagrado, um anjo caído, um amor que não deveria existir.



Entrar em um relacionamento não estava nos planos de Nora Grey. Pelo menos até a chegada de Patch. Seduzida por seu sorriso despretensioso e pelo olhar que parece enxergar através dela, Nora se sente incapaz de pensar com clareza.
É quando uma sucessão de acontecimentos assustadores começa a cercá-la. Enquanto isso, Patch parece surgir em todos os lugares e mostra que sabe absolutamente tudo sobre sua vida. É impossível decidir entre atirar-se nos braços dele ou fugir do perigo que o ronda.
Na busca de respostas, Nora se aproxima de uma verdade ainda mais avassaladora que seus sentimentos por Patch. De repente, ela está no centro da eterna batalha travada entre anjos caídos e seres imortais - e quando chegar a hora de escolher um dos lados, a decisão errada poderá custar sua própria vida.


Sem sombra de duvidas o Sussurro, é um dos melhores livros que nos últimos tempos. Uma mistura deliciosa de romance, mistério e ação fazem com que você não consiga desgrudar do livro.
No começo eu fiquei meio assim, já que a Nora e o Patch se conheceram na aula de biologia e, isso me fez lembrar outro casal (...). Mas quando eu percebi que a semelhança só era essa, a história foi me conquistando capitulo, após capitulo.
O prólogo é simplesmente impecável! Aguça ainda mais o leitor. Ele se passa na França em 1565. A primeira vista os diálogos são meio vagos, mas a história pula de 1565 para os dias de hoje, deixando no ar o por que do prólogo.
Nora apesar de ter apenas 16 anos, e está longe de ser uma garota frágil e indefesa. Ao contrario ela determinada e leva os estudos muito a sério. Sua maior fraqueza é o fato que ela não confia muito nas pessoas, o que talvez não seja tão ruim assim. Nora ainda está superando a perda do pai e tenta levar uma vida normal.
Seus problemas começam, quando o professor de biologia decide trocar as duplas do laboratório. Em vez de Vee sua melhor amiga, agora ela se vê obrigada a fazer par com Patch. Um garoto debochado, convencido e com um humor sarcástico que parece se divertir ao irritá-la.
O problema é que junto do aparecimento de Patch em sua vida, muitos acontecimentos estranhos e assustadores começaram a rondar Nora. Colocando em risco a sua vida e das pessoas que a cercavam.
Nesse contexto, o Sussurro é um livro que prende o leitor do começo ao fim. A autora consegue com que você se sinta dentro da história realmente, pois os personagens além de muito bem elaborados passam a sensação que são reais. E não exemplos de perfeição, mais humanos por assim dizer.
Fica ai a minha dica, para quem gosta de um bom romance, cheio de mistério e pitadas de humor.
Adorei o Sussurro, e não vejo à hora da continuação ser lançada no Brasil.


08/07/2010

Saga Crepúsculo por Stephenie Meyer

Antes de começar escrever, a resenha da saga Crepúsculo, eu vou deixar duas coisas bem claras: Primeira, eu não sou fã – fanática pelos livros e muito menos pela autora Stephenie Meyer. Mas no meu ponto de vista, qualquer critica seja ela construtiva ou destrutiva tem que ter base e fundamento. E isso você só consegue conhecendo o tema profundamente.
Segundo, acho que o requisito "virilidade", deveria ser deixado de lado ao falarmos de Edward Cullen. Acredito que a grande maioria das pessoas que gostam de histórias de vampiros, já tenha lido um ou mais livros da Anne Rice, e sabem que alguns de seus personagens embora seguissem a cartilha dos vampiros tradicionais que, bebem sangue humano, não brilham no sol e são teoricamente maus, tinha um comportamento um tanto duvidoso.
Quem leu Sangue e Ouro deve ser lembrar muito bem, da cena em que o Marius e o Thorne, tomam banho juntos na mesma banheira. E em o Vampiro Armad, o próprio tinha uma relação muito estranha com o Marius (embora os dois sejam meus personagens favoritos dentre todos os livros das Crônicas Vampirescas), sem falar que o Armad teve um leve "romance", com um jovem inglês. E por ultimo o queridinho de 8 entre 10 góticas, ou aspirantes a góticas: O Vampiro Lestat, sim ele mesmo em seu livro que leva o mesmo nome relata em um trecho: "A minha vida agora é, apenas Nick e eu". E quem leu sabe que é o Nick e não a Nick. Ou seja, se o Edward Cullen é a fada encantada das florestas de Forks, ele não nunca esteve totalmente sozinho nessa, então vamos deixar de lado o requisito "virilidade", ao julgar um vampiro ok?!
Agora vamos ao que interessa a minha resenha sobre a saga o Crepúsculo.

 Saga  Crepúsculo por Stephenie Meyer. 


Ficha Técnica:


•Editora: Intrínseca
•Autor: STEPHENIE MEYER
•Origem: Nacional
•Ano: 2009
•Edição:1
•Acabamento: Brochura
•Formato: Médio
•Volumes: 4



Crepúsculo não é ruim, isso não quer dizer que eu achei bom também. Eu diria que ele é regular. A narrativa é simples, a leitura é fácil, mas a Stephenie tem uma mania que eu simplesmente abomino em qualquer autor, me permitam abrir um parêntese para esse pequeno comentário (eu odeio quando os autores ficam enrolando para desenvolver a história, ai chega ao ultimo capitulo, saem atropelando tudo. Você termina de ler e fica: ué acabou! Isso me irrita profundamente). Mas voltando o livro, a história é bonitinha até. A Bella é típica adolescente que se acha o patinho feio, cheia de inseguranças recém chegada a uma nova cidade, escola nova e do nada vira o centro das atenções. Ai ela conhece primeiro o Jacob e a principio ela o trata meio com indiferença afinal para ela, ele é piralho filho do amigo de pai dela. Mas na escola ela finalmente encontra aquele que passaria a ser sua vida, e assim do nada Bella e Edward se apaixonam. Sim do nada, o típico amor a primeira vista. E eis que surge a frase mais romântica de todos os tempos: "E o lobo se apaixonou, pelo cordeiro." Melações a parte surge o bando do mal, e olha quem o James resolve caçar, suspense (...) a Bella. E ai dos 24 capítulos, a Stephenie resolve atropelar o que seria o melhor momento do livro, nos dois últimos capítulos. Lamentável...
E fim, no Crepúsculo é apresentado ao que se tornaria o amor doentio, chegando a limite da idolatria de Bella Swan e Edward Cullen.


Indo para ao Lua Nova, ou como carinhosamente alguns chamam o livro: "A fase suicida da Bella."Confesso que muitas vezes tive vontade de jogar o livro pela janela. Foi difícil agüentar a Bella em corte meus pulsos, por que o Edward foi embora. Sinceramente falando o que salvou o livro de um fracasso total, foram os Lobos e, o clã Volturi.
Os Lobos deram ação à história, sem falar que no filme eles são fofos! Gostei também dessa parte do Lua Nova, por que surgiram personagens emocionalmente mais saudáveis, do que a Bella. Fazendo com que ela sai-se, um pouquinho do centro da trama. Foi pouca coisa, mas ajudou bastante a ler o livro até o final.
Mas para mim o que realmente salva, a saga mesmo é o clã Volturi. Vampiros a moda antiga, pelo menos a Stephenie, não arruinou por completo a reputação dos vampiros.
Nem vou tecer muitos comentários sobre esse livro, por que em minha opinião apenas uma palavra o resume: "Irritante."


Chegamos ao melhor livro da saga, Eclipse: sim ele é o melhor!Surgem novos personagens, a história ganha mais ação, e muitos com a Rose e o Jasper ganham mais destaque na trama.
Claro que o triangulo amoroso, continua a ser o ponto central da história, mas o ponto chave é que tanto os outros Cullen com os lobos ganham mais espaço, tornando o livro interessante, e menos enfadonho do que o, Lua Nova.
A implicância do pai da Bella, com o Edward é engraçada, já que no fundo ele sabe que a relação da filha com o namorado é algo meio doentio e como um bom pai ele só quer o melhor para ela.
Foi realmente muito bom conhecer a história da Rose, ajudou a entender o porquê ela era tão chatinha nos dois primeiros livros, embora eu continue não gostando muito dela. Já o Jasper foi uma surpresa e tanto, saber da sua história. O que hoje é um vampiro do bem, e que usa seu poder para acalmar as situações a sua volta, já foi um ser ensandecido e sedento de sangue. Se a Stephenie, fosse mais esperta ela em cada livro teria dado um destaque maior a cada um dos vampiros, mas pelo menos no Eclipse ela, se lembrou disso.
Falando nela, como já é de costume dos 27 capítulos do livro, ela mais uma vez atropelou tudo para os três últimos.
Outra coisa que me deixou irritada, e acho que todo mundo vai concordar comigo é. Se o homem da sua vida te pede em casamento, obvio que você vai aceitar sem pensar duas vezes. Mas a Bella (...), sim a Bella ficou levando o Edward no banho Maria, até que por fim aceitou. Eu realmente não entendo essa garota.
Mas como eu já disse, no começo esse é o melhor livro da saga toda, ou o menos irritante e meloso como vocês preferirem.


Vamos para o ultimo livro e o mais aguardado: Amanhecer.
Dica número um, só leia esse livro se você tiver com muita, mas muita paciência. Mas se mesmo sem muita paciência você ainda quiser ler, sugiro que você comece pelo Livro III – Bella, na pagina 286 que é onde o livro fica de fato menos monótono.
Mas resumindo o começo, Bella e Edward se casam vão para uma ilha que fica aqui no Brasil passar a lua de mel. Incrivelmente ela fica grávida de um morto, (vampiros não tem fluidos corporais, ou seja, não tem com eles terem filhos), voltam para Forks. Mesmo, com o Carlisle e o Edward tentando convencer, ela a fazer um aborto já que ninguém sabe o monstrinho ela está prestes a trazer para o mundo e esse monstrinho está a matando aos poucos, ela insiste em ter seu amado bebê.
Aos fracos de estômago eu sugiro pular o livro II – Jacob, por que tem umas cenas muito nojentas, sem falar que essa parte além de muito parada, chega até a dar sono.
No livro III finalmente a Bella se torna vampira, e o olha que lindo, em sua primeira caçada ela vai de vestido de seda e salto. Sim ela vai me caçar cervos na floresta, vestida para um baile, melhor nem comentar né.
A criança é um doce, todo mundo se encanta por ela. Nem de longe apesar de uma gravidez sofrida e da batalha de vida e de morte que foi seu nascimento, ela representa perigo real de extinção para os humanos. Depois de tudo, só faltou a Stephenie, descreve- lá com um ser de lindas asas brancas e auréola.
Mas o pior está por vim, quando você pensa que finalmente vai ter uma luta de verdade entre os Cullen os Volturi, a "batalha" termina. Sim isso mesmo acaba, fim!Para mim isso foi um verdadeiro suicídio literário. Uma das coisas mais sem nexo que li na minha vida.
Confesso que foi difícil ler até o fim, por que embora os três primeiros livros não sejam as melhores obras da literatura dos últimos tempos, eu esperava um final melhor, ou mais digno para Saga.
Como eu disse a principio os livros não são ruins, embora também não sejam maravilhosos. É um a leitura valida já que conhecimento nunca é demais. Além de que é errado falar mal de algo que não se conhece de fato. Principalmente por que a saga toda em si foi escrita para um publico em especial, que foi atingido em cheio.
Fica ai minha dica de leitura, para quem ainda se interessar em ler a saga o Crepúsculo. Apesar de ser quase um suicídio literário, tem parte engraçadas e personagens que vale apena conhecer.

Instagram

© 2010 - 2021 Ariane Gisele Reis | My Dear Library • Divagações, Livros e Música. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in