Sponsor

Mostrando postagens com marcador Quase Honrosa Liga de Piratas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Quase Honrosa Liga de Piratas. Mostrar todas as postagens
janeiro 10, 2021

O Código dos Bucaneiros por Caroline Carlson

| Arquivado em: RESENHAS

D
e
uns anos para cá, venha lendo cada vez menos infantojuvenis. Em partes porque conforme o tempo foi passando, o meu gosto literário foi mudando. Além disso, não nego que tenho um pouco de receio da narrativa acabar não me envolver tanto e isso, me levar a abandonar o livro. Mas felizmente, esse não é o caso de O Código dos Bucaneiros da autora Caroline Carlson.

O terceiro livro da trilogia, A Quase Honrosa Liga de Piratas traz uma história que agrada todos os públicos, com sua narrativa leve, bem humorada e nos fala sobre o poder da perseverança diante dos desafios que a vida nos impõe para alcançarmos um objetivo. A escrita da autora é fluida e os personagens, incluindo “vilões” possuem uma personalidade cativante, o que tonar a leitura ainda mais divertida.

Resenha

 
ISBN: 9788555340086
  Editora: Seguinte
  Ano de Lançamento: 2016
  Número de páginas: 320
  Classificação: Muito bom

Sinopse: A Quase Honrosa Liga de Piratas – Livro 3
A filiação da jovem Hilary Westfield à Quase Honrosa Liga de Piratas não durou muito tempo. Depois de descobrir que o líder da organização, o capitão Dentenegro, estava envolvido com um grupo de criminosos que quer dominar o reino, Hilary decidiu se tornar uma pirata autônoma. Contudo, a fiel tripulação que a acompanha em suas aventuras em alto-mar acredita que ela seria a pessoa ideal para combater Dentenegro e assumir a liderança da QHLP, o que leva a garota a desafiar o capitão para uma batalha. O problema é que a disputa nem vai começar se Hilary não conseguir reunir duzentos seguidores para lutar ao seu lado. Assim, a jovem pirata parte numa missão de recrutamento que pode ou não envolver piratas temíveis, damas delicadas mais temíveis ainda… e galinhas.


Pode conter spoiler dos livros anteriores, se você não quiser correr o risco pode pular quatro parágrafos.


A jovem Hilary Westfield já passou por diversos aventuras e provou que uma menina pode ser sim, uma ótima pirata. Porém o que ela não imaginava é que teria pela frente um desafio ainda maior, enfrentar o capitão Dentenegro pela liderança da A Quase Honrosa Liga de Piratas (QHLP).  A verdade é que essa ideia descabida nunca tinha passado por sua cabeça, já que após descobrir os planos corruptos do capitão, o Terror das Terras do Sul como é conhecida, está mais que satisfeita em ser uma pirata autônoma.

Só que a fiel tripulação do Pombo, acredita que Hilary é a pessoa certa para derrotar o traiçoeiro Dentenegro e devolver um pouco da honra a QHLP. Mesmo com medo de fracassar e acabar sendo exilada no Abrigo Pestilento para Piratas Mal-humorados, ela aceita a missão e desafia Dentenegro para a batalha que decidirá quem será o novo líder da QHLP. Mas para que a batalha seja possível, Hilary vai precisar reunir duzentos apoiadores, tarefa essa que será dificultada pelos estratagemas do temível capitão.

Enquanto isso, na Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, Claire continua sendo treinada pela Srta. Pimm para se tornar a próxima Encantadora do reino de Augusta. Porém a jovem ainda não tem pleno poder sobre a magia e assim como Hilary, tem uma inimiga de peso para enfrentar, a traiçoeira Filomena.

Será que Hilary e Claire serão capazes de derrotar seus inimigos e salvar a magia do reino? Entre aventuras em mares tempestuosos e emboscadas as duas vão aprender o valor da amizade e a importância de nunca desistir de lutar por seus objetivos.

O Código dos Bucaneiros possui uma narrativa despretensiosa e agradável de se acompanhar. Gosto muito do fato da autora Caroline Carlson, optar por trazer uma aventura diferente a cada livro, ao mesmo tempo que preserva a linha do tempo da história. Sim é necessário ler os livros na sequência, justamente porque aqui os acontecimentos dos livros anteriores não constantemente repetidos ao longo da narrativa, mas servem de base para o enredo. Isso no meu ponto de vista acaba tornando o ritmo da leitura rápido e menos maçante, sem que a essência da obra se perca.

Desde o primeiro livro, O Tesouro da Encantadora a trilogia A Quase Honrosa Liga de Piratas se revelou uma história contagiante em que a escrita da autora, consegue nos transportar para um barco pirata e para todas as emoções vividas por eles em alto-mar. Porém o que mais me conquistou aqui, foi perceber a evolução que cada personagem teve.

Mesmo sendo uma história com um toque cômico, afinal as regras da QHLP são tão sem sentido que é impossível não dar boas risadas durante a leitura, é visível o quanto a Hilary e a Claire amadureceram entre o primeiro livro e o último. Em diversos momentos ambas demonstraram suas fragilidades e o medo de não serem capazes de corresponderem as expectativas e a fé que os outros depositaram nelas. Isso as torna ainda mais próximas de nós leitores, pois todos nós em algum momento de nossas vidas já tivemos medo de decepcionar que amamos.

Os personagens secundários como a carismática Srta. Greyson e os atrapalhados piratas Jasper e Charlie continuam roubando a cena, assim como a fofíssima Gárgula. A inserção de novos personagens contribuiu para dar uma nova dinâmica a história, do mesmo modo que velhos conhecidos como almirante Westfield acabou se revelando um pilantra ainda maior do que Dentenegro. Filomena apesar de não ter tido uma participação tão expressiva, não decepciona no papel e tem um final merecido por todas as suas falcatruas.

“Qualquer pirata pode encontrar um tesouro ou empunhar uma espada, mas quase nenhum tem coragem suficiente para encarar as coisas das quais realmente têm medo.”


Os jornais "sérios" e de mexerico, cartas assim como os bilhetes misteriosos presentes nos livros anteriores, continuam marcando presença e funcionam com um excelente recurso narrativo para deixar o enredo ainda mais divertido.

Os diálogos se mantêm bem construídos e embora a atmosfera da história como um todo preze pela leveza, é perceptível a mensagem que a autora busca passar com ao longo da trilogia é que, independentemente dos obstáculos que tenhamos pela frente com uma boa dose de perseverança e bons amigos podemos vencê-los.

O Código dos Bucaneiros fecha a trilogia A Quase Honrosa Liga de Piratas com chave de ouro. Sem dúvidas Caroline Carlson nos presenteou com a série linda e ideal para quem gosta de leituras singelas para relaxar e dar boas risadas.


Veja Também:

O Tesouro da Encantadora por Caroline Carlson
O Terror das Terras do Sul por Caroline Carlson

fevereiro 19, 2015

O Terror das Terras do Sul por Caroline Carlson

| Arquivado em: Resenhas.


Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788565765497
Editora: Seguinte
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 384
Classificação: Muito Bom
Sinopse: A Quase Honrosa Liga de Piratas - Livro 02.
Em 'O tesouro da Encantadora', Hilary viveu grandes peripécias em alto - mar até encontrar o maior tesouro do reino, desaparecido havia muito tempo, e sua dona, a Encantadora das Terras do Norte. Como recompensa, recebeu um certificado de filiação à 'Quase Honrosa Liga de Piratas' e o título de 'Terror das Terras do Sul'. Neste novo volume da série, a Encantadora voltou ao seu posto, e Hilary acompanha a redistribuição dos objetos mágicos pelo reino. Mas o presidente da QHLP não está satisfeito - Hilary precisa se envolver numa atividade verdadeiramente pirática logo, como matar um monstro marinho ou derrotar um líder pirata num duelo, senão perderá seu título - e sua filiação à Liga. Antes que consiga recuperar sua reputação, a garota fica chocada ao descobrir que a Encantadora foi sequestrada. Contrariando as ordens do presidente da Liga, Hilary se junta à gárgula e a seus amigos para investigar o caso, ainda que resgatar Encantadoras não esteja na lista de atividades próprias a um pirata.

Um de meus maiores receios sempre que começo a leitura de um livro mais infantojuvenil é sofrer do terrível mal da “meia idade literária”. Infelizmente às vezes isso é inevitável, afinal conforme vamos “envelhecendo” nossos gostos vão mudando também. Porém, a autora Caroline Carlson consegue escrever histórias que cativam tanto crianças como adultos. E foi exatamente por esse motivo que a narrativa da autora me conquistou desde e primeiro livro da série A Quase Honrosa Liga de Piratas.

Pode conter spoilers do livro anterior. Que não quer se arriscar pode pular dois parágrafos.

Depois de enfrentar e sobreviver aos perigos que só o alto-mar é capaz de proporcionar, a intrépida Hilary Westfield finalmente conseguiu realizar seu sonho. Ela não apenas recebeu a sua tão almejada certificação da Quase Honrosa Liga de Piratas, como também ganhou o titulo de O Terror das Terras do Sul. Porém, enquanto a nossa pirata navega pelos sete mares ajudando o Capitão Jasper a distribuir entre a população do reino de Augusta os objetos mágicos do Tesouro da Encantadora alguém em especial não anda muito feliz com esse seu comportamento anti-pirático.

O Capitão Dentenegro presidente da QHLP exige que a pequena Hilary honre seu titulo e faça algo que os piratas “de verdade” costumam fazer: matar um monstro marinho, derrotar um líder pirata em um duelo ou ela perderá tudo. Mas, ao mesmo tempo em que ela precisa decidir logo qual dessas tarefas cumprir algo terrível acontece no reino, - A Encantadora é sequestrada.  Dividida entre o medo de perder aquilo pelo qual lutou tanto para conquistar e os laços de amizade com a Stra. Primm, a valente Hilary parte como seus amigos através de mares traiçoeiros em busca de sua nova aventura.

Nesse segundo livro da série Caroline Carlson, não apenas manteve o nível da história, evitando com que a série caísse na famosa “maldição do segundo livro”, mas conseguiu fazer com que a continuação ficasse ainda melhor. Hilary é uma daquelas protagonistas contagiantes, e durante a leitura é perceptível à evolução tanto dela como dos demais personagens da trama. O Terror das Terras do Sul possui uma narrativa leve, divertida, rápida e envolvente, do tipo que faz com que você se imagine desbravando os sete mares e vivendo aquelas aventuras.

Acredito que o que torna a série tão especial é justamente essa ligação que você cria com a história e seus personagens. Gostei muito da forma com a autora construiu todo o enredo nesse segundo livro. Mesmo que a sua conclusão final seja que coisas estavam bem “óbvias”, a história é tão gostosa de ler que quando você se aproxima dos capítulos finais já começa a sentir aquela pontinha de saudade desses piratas tão queridos, - e claro da gárgula mais (fofa), digo mais temível dos mares de Augusta.

“- De certa forma, é como enxergar o mundo do avesso – ele disse. – A terra deveria estar no horizonte e o mar sob seus pés e não ao contrário.”

Preparem-se marujos para zarpar para um mundo encantador cheio de aventuras, mistérios e fantasia.  Recomendo!


Veja também:
O Tesouro da Encantadora.

junho 09, 2014

O Tesouro da Encantadora por Caroline Carlson


ISBN: 9788565765312
Editora: Seguinte
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 400
Classificação: Ótimo
Onde Comprar: Livraria Cultura, Livraria Saraiva - Compare os Preços.
Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.



Sinopse: A Quase Honrosa Liga de Piratas - Livro 01
Há muitos anos, quando objetos mágicos eram tão comuns quanto panelas nos lares de Augusta, a magia era controlada por uma feiticeira muito poderosa: a Encantadora das Terras do Norte. Certo dia, cansada de sofrer ataques de cidadãos que queriam usar os poderes de maneira ilícita, ela resolveu se vingar: recolheu a maioria dos itens mágicos do reino e desapareceu, deixando os cidadãos sem notícias de seu paradeiro nem desse magnífico tesouro. Anos depois, quando Hilary Westfield decidiu que queria ser pirata, nem imaginava que estava prestes a participar da caça ao maior tesouro de todos os tempos. Afinal, tudo o que a preocupava era fugir da Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, onde as jovens da alta sociedade aprendiam a valsar, desmaiar e se comportar à mesa. Hilary não via utilidade nenhuma naquelas lições e queria se juntar à Quase Honrosa Liga de Piratas. Qualificações não lhe faltavam, mas a Liga não admitia garotas em sua equipe de algozes e pilantras. Decidida a partir para alto-mar a qualquer custo, Hilary responde ao anúncio de um pirata autônomo em busca e membros para sua tripulação. De repente, ela se vê no meio de uma aventura marítima em busca do tesouro mais valioso do reino: o tesouro da Encantadora. Para encontrá-lo, ela contará com um mapa sem X e precisará enfrentar o vilão mais traiçoeiro — e surpreendente — de todos os mares.

Fascinada como sou por histórias de piratas, logo nas primeiras páginas de O Tesouro da Encantadora, fui conquistada por uma narrativa simples, divertida e cheia de aventuras. Apesar de já estar curiosíssima para ler esse livro, confesso que em partes ele se revelou uma ótima surpresa, não apenas por possuir elementos que me agradam em uma leitura, mas por me cativar completamente por seus personagens.

Há muitos anos nas terras de Augusta, existia a Encantadora das Terras do Norte que dedicava a sua vida a manter em equilíbrio o uso da magia por todo reino. A Encantadora dividia por toda a população itens mágicos poderosos, mas depois de um incidente misterioso ela recolheu todos os objetos que conseguiu e simplesmente desapareceu das terras do reino.

Dizem os antigos que o motivo, que levou a Encantadora a tomar essa atitude tão drástica foi o fato da população estar usando a magia de modo indevido e abusando do poder que esses tais objetos possuíam. Várias lendas surgiram conforme os anos se passaram, e muitos foram os que se aventuraram em busca do lendário tesouro da Encantadora.

A pequena Hilary Westfield cresceu ouvindo essas histórias, inclusive a sua família de possui um dos poucos objetos mágicos existentes em Augusta, uma simpática Gárgula feita pela própria Encantadora cuja, a sua missão é proteger a família Westfield. Crescendo em meio a tantas histórias de aventuras do mar e de caça aos tesouros, Hilary acalentou em seu coração o sonho de um dia ser uma grande e destemida pirata.  Mas quando Hilary tenta ingressar na Quase Honrosa Liga de Piratas (QHLP), ela não é aceita pelo simples detalhe de ser uma menina.

Claro que como uma valente pirata ela não se contentou com um, “não” como resposta, ela então tentou convencer o seu pai o almirante James Westfield, a ajuda-la a realizar seu sonho. Porém o que ela não imaginava é que estava prestes a se afogar em um verdadeiro pesadelo.  Disposto a tirar essa ideia maluca da cabeça de sua filha, o almirante Westfield, manda Hilary para Escola da Senhorita Pimm para Damas Delicadas, para que ela aprenda de uma vez por todas como uma dama da alta sociedade deve se comportar. Só que seu pai pensa que ela desistirá do seu objetivo tão fácil assim ele está muito enganado, pois Hilary se mostrará ainda mais impetuosa e determinada a se tornar uma verdadeira pirata.

O que mais me cativou em O Tesouro da Encantadora foram os personagens.  Todos possuem uma personalidade tão peculiar, que é impossível não se afeiçoar a eles. Eu adorei Srta. Eloise Greyson, a governanta da Hilary. Ao mesmo tempo em que, a Srta. Greyson mostrava ser uma pessoa delicada e serena, ela conseguia ser forte, destemida e muito engraçada também.  Os piratas, Jasper e Charlie são um tanto atrapalhados, mas isso os torna ainda mais encantadores. E o que dizer da Gárgula e da melhor amiga da Hilary, a Claire? Momentos de pura fofura são garantidos com elas.  Lógico que como toda a história, aqui também temos aqueles personagens não tão queridos assim. Senti muita raiva em meu coraçãozinho pelo almirante Westfield e da própria Encantadora. Ambos se revelaram personagens egoístas que só pensavam em si mesmo.

A escrita de Caroline Carlson é tão contagiante que eu realmente me sentia dentro de um barco pirata vivendo aventuras divertidíssimas. Toda a forma com que o livro foi construído dos diálogos, até a presença de cartas, anúncios de jornais e outros detalhes tornaram a narrativa agradável e mais dinâmica.  Apesar de ser um livro bem infantojuvenil (estou tendo crise de idade... disfarça) e que em alguns momentos fiquei um pouco irritada com a teimosia da protagonista, simplesmente adorei a leitura e já estou bastante ansiosa pela continuação da série.

"- Por favor, não me diga para ser uma boa mocinha - ela disse. A srta. Greyson fungou e se levantou. - Minha querida - ela disse -, eu jamais sonharia em fazer isso."

Se você está em busca aventura e diversão é só embarcar nesse navio marujo, por que isso eu posso garantir que aqui não falta!

Instagram

© 2010 - 2021 Blog My Dear Library | Ariane Gisele Reis • Livros, Música, Arte, Poesias e Sonhos. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in