Resenha - As Vantagens de Ser Invisível por Stephen Chbosky.

02/06/2013



ISBN: 9788532522337
Editora: Rocco
Ano de Lançamento: 2007
Número de páginas: 223
Classificação: Muito Bom
Onde Comprar: Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Submarino - Compare os Preços








Sinopse:  Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.






Uma das coisas mais positivas de você deixar para fazer resenha um tempo depois que terminou a leitura de um livro, é que você consegue realmente perceber o efeito que a história teve em sua vida.  É como se após esse tempo você começasse a ver o livro com outros olhos, - bem pelo menos é assim que me sinto em relação As Vantagens de Ser Invisível. Quando terminei a leitura estava completamente (...) encantada? Não, essa não é a palavra certa a ser usada aqui. Talvez impressionada, surpresa, ou algo do tipo, mas não encantada. Porém, agora ao escrever essa resenha percebo que apesar de ter gostado bastante do livro, ele não me cativou da maneira como eu esperava.

Não que ele não seja um bom livro, por que de verdade ele é um ótimo livro. O autor Stephen Chbosky conseguiu explorar temas como; homossexualidade, aborto, drogas e sexo de uma forma leve e até mesmo comovente.  Porém, foi justamente esse “excesso” de drama na história que me incomodou um pouco durante a leitura, pois apesar de todo o contexto se apresentar de uma forma muito emocionante, a única coisa que eu conseguia sentir enquanto tentava entender o mundo a qual Charlie pertencia, ou tentava pertencer, era à apatia e melancolia dele em relação a tudo aquilo.

Talvez o meu maior erro foi tentar “analisar” o personagem ao invés de aproveitar a leitura. Mas, Charlie é tão confuso e em algumas ocasiões parece estar tão perdido, que eu simplesmente não conseguia deixar de lado a sensação de que eu precisava fazer alguma coisa para tentar entende-lo e ajuda-lo. Era como se cada carta que Charlie escrevia fosse um pedido de ajuda endereçado a mim. É estranho eu sei, porém eu tenho tendência a querer “adotar” personagens dramáticos e um pouco desajustados, e como Charlie não foi diferente.

Charlie é aquele tipo de pessoa que tem um medo enorme de viver a vida. Ele é apenas um mero espectador que entra em cena quando precisam de um figurante. Ele observa tudo a sua volta e sofre muito por não conseguir participar e mudar as coisas.  E quem nunca passou por esse tipo de situação? Quem nunca se sentiu impotente diante de alguma circunstancia imposta pela vida? Quem não tem traumas e medos com os quais não sabe lidar? Quem nunca pensou que crescer dói? Quem nunca desejou viver em uma realidade alternativa e ser de fato invisível nem que seja por poucos minutos? O autor Stephen Chbosky conseguiu transmitir em cada parágrafo todas essas emoções contraditórias e tão humanas através da personalidade de Charlie.

Gostei muita da forma como o autor construiu toda a narrativa. As cartas de Charlie conseguiam me aproximar mais dele, ao mesmo tempo em que me faziam perceber que eu não sabia nada sobre ele de verdade. Gostei do Patrick e da Sam e da forma como eles sempre demonstraram sua amizade e seu amor por Charlie. O toque sutil de realidade presente em todo o livro tornam As Vantagens de Ser Invisível um livro leve, tocante e atemporal.

Só que por mais que tenha me afeiçoado a Charlie e me envolvido com a sua história, no final eu senti que faltou alguma coisa. Sabe aquela sensação falsa de profundidade? É mais ou menos assim que eu me sinto agora. Apesar de a narrativa muitas vezes ter me deixado angustiada existiu também, uma superficialidade que tornou toda a história um pouco rasa e vaga demais em determinados momentos. Faltou um pouco de objetividade e ação para que a história me emocionasse e me cativasse por completo. O que foi realmente uma pena (...).

“Então, eu acho que somos quem somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas.”

Com personagens marcantes e um história que brinca com a monotonia e a aventura que é vida,  As Vantagens de Ser Invisível é um livro simples e complexo, que consegue fazer você se sentir nostálgico, melancólico e feliz ao mesmo tempo.

Vale apena conferir!



Comentários via Facebook

19 comentários:

  1. Esse é um dos melhores livro que li em 2012 e sem dúvida um dos melhores da minha vida. Simplesmente por ser simples e nem dá monte de voltar, abordar as coisas com sinceridade.

    Bora ser infinito \o/

    ResponderExcluir
  2. Ganhei o livro de presente mas ainda não li, gostei da sua resenha.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não vou soltar spoiler pq muita gente não gosta, enfim... Mas a relação do protagonista com a tia foi estranhamente explorada no livro, ok, sei que é um livro muito comprado em várias partes do mundo, mas vamos combinar, pq ao menos no final não ficou menos claro? Eu consegui compreender o que tinha acontecido, mas muita gente não, pq realmente é confuso demais. Eu não gostei tanto do livro, ele é bom, mas não ótimo (ao menos para mim, rs).
    Gostei da sua resenha, e compreendo quando diz que não se encantou pela história, talvez devido ao final, em que pra você mesma faltou algo, algo mais concreto.

    Beijos, Ane fofa!

    ResponderExcluir
  4. Também gosto de deixar "o sangue esfriar" para fazer resenha de um livro. Meur itmo de leitura aumentou (estranhamente, pq ele já era bem bom antes) e tenho deixado cada vez mais resenhas pra depois e tem funciondao muito bem.
    Enfim, esse livro tocou no fundo do meu coração. Mesmo.
    Em tempo: não se diz "homossexualismo", e sim "homossexualidade" (ismo é prefixo pra doença, e errr.. enfim.).

    ResponderExcluir
  5. Oi tudo bem?
    Ainda não tive chance de ler,mas depois de sua resenha...
    Gostei bastante,mas as histórias simples complexas rsrs,acho que são as mais difíceis de compreender(em minha opinião),ficou ótima sua resenha,tem muita gente "falando em minha cabeça" deste livro.
    Bjus
    Tamires C.

    ResponderExcluir
  6. Oi Ane! Eu também não resenho assim que termino, gosto de digerir o livro, as ideias assim ficam mais claras. Eu sempre deixo de comprar este aqui, já vi muitos elogios, mas não é um desejo imediato de leitura, acho que vou curtir, mas ainda não chegou o momento.
    Bom domingo. Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Olá, sua resenha me cativou. Eu vi o filme e o achei magnífico, estou ansiosa para ler o livro.

    ResponderExcluir
  8. Nossa eu estou louca pra ler esse livro, de tanto ouvir falarem bem dele rs Amei sua resenha!

    Estou começando com meu blog agora, se puder fazer uma visita, e seguir, ficarei muito grata!

    http://www.livroinfinito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu tive a reação oposta a sua quando li o livro. Assim que a cabei de ler, eu pensei: "e aí? o que que tem demais nesse livro?". Mas depois que passou um tempo eu percebi o quanto esse livro mexeu comigo. Realmente muito bom!

    http://livroscontosesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Essa é a segunda resenha que leio sobre o livro - sim, estou evitando - e me deixou com mais vontade ainda de lê-lo.
    Mas enquanto todo mundo continuar falando tanto sobre o livro, quanto sobre o filme, eu não irei ler ou assistir, quando esquecer todas as opiniões alheias, vejo se eu vou gostar tanto quanto a maioria dos leitores.

    Beijos,
    Letícia - Literature Diary

    ResponderExcluir
  11. Diferente de você eu não tentei "analisar" o Charlie, eu o aceitei como se fosse meu amigo e me encantei com ele. Realmente ele pareceu perdido em boa parte do livro, mas foi isso que me fez gostar mais ainda dele. Concordo que o autor usou muitos temas fortes em um mesmo livro.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Eu gosto de livros que tem cartas, sempre me sinto mais próxima do personagem.
    Eu to louca para ler esse livro ><

    Beijos
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane, esse é um livro que quando lançou me interessou bastante, ganhei ele em Top Comentarista mas até agora não peguei para ler, espero em breve ler conhecer Charlie, eu acho bacana quando o livro envolve certos dramas nos dá a impressão que o personagem fica mais próximo de nós...Vamos ver se ele irá me encantar ou não.

    BjOs!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane. Teve uma época que eu estava interessada no livro, mas agora passou.
    Gostei de ler sua resenha e conhecer um pouco mais dessa história.
    Beijinhos para você.
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu já ouvi inúmeros comentários de pessoas, tanto sobre o livro quanto sobre o filme, e, de algumas que leram, eu também ouvi sobre essa "falsa sensação de profundidade". Que, apesar de ser um livro de tema tocante, algumas coisas são bastante rasas, superficiais. Mas, assim como você afirmou e todas essas pessoas também, é um ótimo livro. Ainda quero lê-lo com tanta vontade quanto antes.
    Ótima e sincera resenha. Amei!

    (http://mon-autre.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  16. Oi Ane!
    Quero MUITO ler esse livro! Assisti o filme e nossa... Identifiquei-me e acima de tudo, amei demais!
    Acredito que o livro seja maravilhoso também. Mesmo com alguns pontos negativos citados por você, que acredito que são totalmente pessoais, acho que vou adorar a leitura e mais ainda o Charlie. Antes mesmo de conhecê-lo diretamente, já sinto uma simpatia por ele. Hehe
    Gostei muito de saber sua opinião. (:
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  17. É engraçado como nossa opinião vai se moldando depois de um tempo de termos lido o livro, né? Eu adorei essa leitura, mas sinto que realmente havia algo demais, algo de menos. Mesmo assim, não foi menos prazerosa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Oi Ane!
    Estou MORRENDO de vontade de ler esse livro, só me falta TEMPO! :(
    Eu não sei se me incomodaria com o excesso de drama, porque eu gosto BASTANTE de livros dramáticos. Mas não posso dizer que eu não teria uma ressaca depois, porque esse livro parece ser bem o tipo que me deixa assim. :/
    Poxa, que pena que você não sentiu aquilo tudo com o Charlie. É tão chato quando a gente não tem todo o potencial do protagonista explorado.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  19. Oiii Ane, tudo bem ?

    Então como eu tenho vontade de ler esse livro, já vi tanta gente falando bem dele, e pra minha felicidade comprei ele e muito em breve (está até separado no meu criado mudo, para uma futura leitura)

    Ando lendo muita fantasia, ficção e distopia, to precisando de mais dramas que chegam perto da realidade na minha vida rs.

    Parabéns, adorei a sua resenha \o/

    Beijinhos :*

    @rafaelCesar89
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por