Resenha - Tabuleiro dos Deus por Richelle Mead.

10/03/2014

• ISBN: 9788565530514
• Editora: Paralela
• Ano de Lançamento: 2014
• Número de páginas: 424
• Classificação: Ótimo

Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.
Onde Comprar: Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Submarino - Compare os Preços.







Sinopse: Era do X - Livro 01.
Justin March, um investigador de religiões charmoso e traiçoeiro, volta para a República Unida da América do Norte (RUAN), após um misterioso exílio. Sua missão é encontrar os responsáveis por uma série de assassinatos relacionados com seitas clandestinas. Sua guarda-costas, Mae Koskinen, é linda, mas fatal. Membro da tropa de elite do exército, ela irá acompanhar e proteger Justin nessa caçada. Aos poucos, os dois descobrem que humanos são meras peças no tabuleiro de poderes inimagináveis.


Antes de começar essa resenha, vou me reservar ao direito de abrir um parêntese com capslock e tudo (EU LI UM LIVRO DA RICHELLE MEAD!!! FINALMENTE LI UM LIVRO DA AUTORA!!!), voltando a resenha normal agora.

Tabuleiro dos Deuses
me chamou a atenção logo de cara, pois pela sinopse já pude perceber que ele tinha todos os ingredientes que adoro em uma boa história. Em um cenário distópico, com um toque sobrenatural, Tabuleiros dos Deuses possui uma trama cheia de suspense, mistérios, conspirações e romance, que tornam praticamente impossível largar o livro antes do capitulo final.

Depois que o vírus Mefistófeles dizimou boa parte da população da terra, o nosso planeta entrou na chamada Era do Declínio, em que a principal preocupação das autoridades era encontrar a cura deste vírus brutal.  Com a epidemia controlada, o mundo começa a renascer das cinzas, e a Era de Renovação, marca o começo da formação de uma nova ordem mundial, mais segura, moderna e estável. 

Nesse período é que nasce o RUAN (República Unida da América do Norte), formando pelo o que restou do antigo Canadá e dos Estados Unidos, um lugar em que a tecnologia predomina em um estado quase ditatorial, em que a população é dividida por castas. Religiões não são mais permitidas, e as únicas que conseguem resistir à força desse novo governo, são aquelas que pregam a razão acima de tudo. Não há mais imagens nos templos, e nem cultos em homenagem a alguma divindade. Os sobreviventes e seus filhos se tornaram pessoas céticas, que acreditam apenas no poder do governo. Governo esse que garante que após as eleições uma nova era está para começar no mundo, - a Era X.

Mae Koskien é uma pretoriana, a elite dos soldados da RUAN. Vinda de uma das castas mais altas desta nova terra renunciou a sua vida de conforto e luxo, para seguir o seu destino e servir ao seu país. Os pretorianos são conhecidos por serem as máquinas de matar do governo. Eles são temidos por toda a população, e Mae se orgulha da farda e da vida que escolheu para si. Mas, após a morte de seu “ex-namorado”, em um momento de dor e fúria ela perde a razão e acaba sendo punida por conta disso. Ela recebe uma missão um tanto vergonhosa para um soldado de elite como ela, Mae foi designada para ser a guarda-costas de um exilado político no Panamá, o famoso estudioso Justin March.

Ninguém sabe por qual motivo Justin March, foi expulso da RUAN. Um dos mais inteligentes e bem sucedidos investigadores de religiões clandestinas do governo, Justin leva uma vida sem regras, em seu exílio no Panamá quando é surpreendido com um bilhete de sua antiga supervisora de departamento Cornelia Kimora. O governo precisa dos conhecimentos de Justin, para desvendar uma série de assassinatos, que desafiam toda e qualquer lógica. Essa é a única chance que Justin tem de voltar ao seu país e ter seu emprego de volta. Mas, as coisas vão ser bem mais complicadas do que aparentemente parecem, afinal ele e Mae estão prestes a descobrir que eles são apenas mais duas peças no Tabuleiro dos Deuses.

Com uma narrativa diferente do que estamos acostumados, me vi fisgada por esse livro logo nos primeiros capítulos. O que mais me atrai em distopias é a forma como esses novos mundos surgem, e a possibilidade de que alguma dessas teorias “malucas” um dia possa ser confirmada.Confesso que achei o começo um pouco lento, mas conforme a narrativa foi avançando me via cada vez mais envolvida pela história.

Gostei muito da forma como a autora Richelle Mead compôs a história, pois por mais que a base da sociedade em RUAN fosse bastante rígida a população em si não abria mão do luxo, e a uma vida regada a bebidas, festas e tudo o que a tecnologia permitia. A autora também soube conduzir à narrativa inserindo a cada capítulo, informações preciosas para um desfecho cercado de mistérios e ação, mesclando com sucesso temas como filosofia, mitologia e ficção científica, deixando a leitura de Tabuleiros dos Deus ampla e rica em detalhes.

Os personagens também são intensos e maduros. Mae está longe se ser uma mocinha frágil e indefesa, da mesma forma que Justin é o estereótipo oposto de um príncipe encantado, o que torna o relacionamento deles algo mais interessante e imprevisível.  Até mesmo os personagens coadjuvantes como a Tessa e o Leo no decorrer na trama se mostram peças importantes nessa partida com os deuses, que pelo jeito só está começando. Fiquei tão entretida com a história, que cheguei a sonhar com ela. Acho que deu para perceber o quanto eu adorei esse livro! ()

“- Nós somos peças num tabuleiro, dr. March, e alguns de nós são mais poderosos que outros.”

Intrigante, sombrio e fantástico.  Ganhei uma nova série para chamar de minha. Recomendo!

Comentários via Facebook

18 comentários:

  1. O Ane,

    Quando li Laços de Sangue pensei a mesma coisa que você, finalmente li um livro da Richelle, o legal de Tabuleiro dos Deuses é ver que a Richelle foi além do mundo sobrenatural e se aventurou em um novo gênero, sua resenha me deixou mito curiosa a respeito do livro. Quero conhecer esse mundo que ela criou e assim como você espero gostar bastante. A escrita dela é íncrivel e já me conquistou em outros livros.

    Parabéns pela resenha.

    Beijos!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. ok, eu fico meio na duvida se leio ou não esse livro, pq uma hora tenho vontade, outra hora não.
    enfim, todo mundo diz q vale a pena dar uma conferida, quem sabe eu leia um dia

    ResponderExcluir
  3. Ane, não faz meu estilo de leitura esse livro, a distopia e os mistérios não me agradaram
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ane, como adoro seu blog, gosto tanto de vir aqui e adoro mais ainda suas postagens! E por falar nisso.. que resenha é essa?!
    O livro também me captou desde o início, a sinopse também ajudou muito. Vi o livro em uma livraria e quase o levei, mas estou levando a sério minha abstinência.
    Assim como você, o livro tem todos os pontos em que mais gosto em uma história, e essa parece te deixar sem palavras.
    Gosto de personagens fortes e com atitudes decididas, tudo parece intenso, ter uma trama além do que podemos imaginar, e você me fez chorar porque quero muito esse livro.
    Parabéns, sua resenha está maravilhosa! <3

    Beijinhos,
    Percepções Blog

    ResponderExcluir
  5. Ane, eu adorei essa resenha! Eu sou fã confessa e de carteirinha da Richelle Mead, e isso nunca foi segredo para ninguém que passa lá no blog, mas essa série eu ainda não tive oportunidade de começar. Como minhas compras estão vetadas, acho que vai demorar, mas quero ler, com certeza! Estou no meio de Bloodlines e Georgina Kincaid, e adoro as duas!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. oiii
    eu estou lendo esse livro agora!!! Diferente de você já li vários livros da autora e sou louca pelo trabalho dele. Entretanto, eu estou achando esse bem diferente, estou bem no começo. Assim como você estou achando ele um pouco lento, e tmb um pouco confuso, porque as situações são colocadas mas não explicadas logo de cara, então fica meio difícil as vezes de entender todo o contexto político (que você explicou muito bem). Eles acabaram de voltar para Vancouver, ainda não aconteceram mtaaas coisas, apenas mistérios... esse Leo ainda n apareceu tmb :p

    tem postagem nova no meu blog
    espero a sua visita
    bjs

    -TÍTULOS DE LIVROS

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nada da autora. Fiquei dividida entre a vontade de ler e a de não ler. Não sei se quero ou não. E olha que sempre bato o olho e já me decido a ler ou não. Gosto por ser distopia, mas não sei.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha! Já li mais da metade da série Academia de Vampiros, que também é da Richelle Mead, e eu gostei muito. Estou super curiosa com Tabuleiro dos Deuses, e agora fiquei ainda mais com vontade de ler!

    Beijos! || ape56.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Gostei da resenha Ane. Quero muito ler Tabuleiro dos Deuses, e assim como você, os elementos presentes na sinopse foram justamente o que chamou a minha atenção. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  10. Esse é um livro que não em chamou atenção, ams agora estou curiosa, um pela fama da autora e outra pq to vendo criticas positivas e negativas, então lerei em breve e a sua resenha estar perfeita
    Brubs
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Flor!
    Te indiquei pra uma Tag lá no blog!
    Vem cá conferir ;)
    Crescendo em Flor

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia o livro. A capa e a sinopse me ganharam. Sua resenha só me deixou com mais vontade de ler o livro. É exatamente o tipo de enredo que gosto. Por ter personagens maduros, a estória fica ainda melhor.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane! Este é o livro mais diferente da autora que li, mas mesmo assim adorei a história e ente enredo maravilhoso, é uma distopia que fisga nas primeiras páginas e a protagonista muito forte.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  14. Oie Ane
    eu amo a Richelle, e dela já li VA e o spin off da série Bloodlines. Quero muito conhecer essa duologia, pois além de se tratar de uma distopia, parece ser uma obra completamente diferente do estilo que ela segue. Estou louca pra ler.\
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Ane!
    Quero ler esse livro. Confesso que não estou muito ansioso pelo mesmo, mas acredito que seja uma boa leitura.
    Não sou um leitor que adora a narrativa da Mead, confesso. Já li outro livro dela e sua narrativa não me envolveu muito. Mas curto suas histórias e por isso, sempre acabo dando uma chance a mesma.
    Ficou BEM perceptível que você adorou a leitura. Isso é ótimo! Espero gostar também. (:
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  16. Olá Ariane!
    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, e já estou louca por ele! rs.
    Parece ser um livro repleto de mistérios, envolvimentos... Enfim, preciso ler :)
    Adorei a resenha!
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Apesar de amar a Richelle Mead e ser super fã de Academia de Vampiros e estar prestes a começar a série Bloodlines, a principio esse livro não chamou minha atenção. Lendo sua sinopse eu fui aos poucos cedendo um pouco e acabei ficandpo um tanto curiosa.

    Beijão
    Sun Rises Here

    ResponderExcluir
  18. Oi Ariane, tudo bem?
    Ainda não li nenhum livro da autora e para ser sincera não sou muito fã de distopias, mas fiquei instigada pela trama, principalmente pelo casal protagonista ser tão diferente daqueles que conhecemos.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por