06/10/2020

O Timbre por Neal Shusterman

| Arquivado em: RESENHAS

De todos os lançamentos literários previstos para esse ano sem dúvidas, O Timbre era um dos mais esperados por mim. Com uma narrativa inteligente e permeada de críticas nem sempre sutis a sociedade atual Neal Shusterman construiu ao longo da trilogia Scythe, uma história complexa e ao mesmo tempo marcante.

Confesso que demorei para escrever a resenha do último livro da trilogia, porque ainda não sabia como me sentia em relação ao final. De modo geral, O Timbre oferece uma conclusão satisfatória para a história. Porém a forma como isso acontece, chega a ser um tanto “confusa”, principalmente porque segue uma direção diferente do que vinha sido traçada nos livros anteriores. Gostei em partes do que encontrei aqui, mas admito que fiquei sim um pouco decepcionada.

Resenha

 
 
  ISBN: 9799999989014
  Editora: Seguinte
  Ano de Lançamento: 2020
  Número de páginas: 597
  Classificação: Bom
Sinopse: Trilogia Scythe - Livro 03.
A humanidade alcançou um mundo ideal, em que não há fome, doenças, guerras, miséria… nem mesmo a morte. Mas, mesmo com todo o esforço da inteligência artificial da Nimbo-Cúmulo, parece que alguns problemas humanos, como a corrupção e a sede de poder, são igualmente imortais. Desde que o ceifador Goddard começou a ganhar seguidores da nova ordem, entusiastas do prazer de matar, a Nimbo-Cúmulo decidiu se silenciar, deixando o mundo cada vez mais de volta às mãos dos humanos. Depois de três anos desde que Citra e Rowan desapareceram e Perdura afundou, parece que não existe mais nada no caminho de Goddard rumo à dominação absoluta da Ceifa — e do mundo. Mas reverberações da Grande Ressonância ainda estremecem o planeta, e uma pergunta permanece: será que sobrou alguém capaz de detê-lo? A resposta talvez esteja na nova e misteriosa tríade de tonistas: o Tom, o Timbre e a Trovoada.

Atenção! Essa resenha pode conter spoilers dos livros anteriores. Para quem não quiser correr o risco pode pular cinco parágrafos.


O jovens Citra Terranova e Rowan Damisch, não faziam ideia do quanto a suas vidas estavam prestes a mudar, após o encontro com o ceifador Faraday. Recrutados como aprendizes, ambos passaram por meses de treinamento para aprender a matar ao mesmo tempo que se viam cada vez mais envolvidos nas conspirações da Ceifa.

Citra instruída pela ceifadora Curie, passou no teste do Conclave e se tornou a Honorável Ceifadora Anastássia. Já Rowan não teve a mesma sorte. Depois de meses tendo sanguinário Goddard como professor, ele acabou se rebelando contra a Ceifa. Rowan então vestiu o manto negro proibido pela ordem e ao assassinar os ceifadores corruptos sobre a alcunha de Ceifador Lucifer, o aprendiz vira inimigo sendo caçado por aqueles que o treinaram.

Em uma sociedade perfeita governada pela inteligência artificial da Nimbo-Cúmulo, a Ceifa faz suas próprias leis. Mas isso não quer dizer, a Nimbo esteja completamente cega para os atos cruéis cometidos pelos portadores da morte. Quando uma tragédia sem precedentes acontece, a Nimbo se cala e o mundo está novamente nas mãos dos humanos, que depois de anos sendo diariamente guiados agora estão totalmente perdidos e com medo.

Mas ainda há uma esperança. Greyson ou Timbre como passa a ser chamado pelos Tonistas, uma religião em que seus fiéis vivem como nos tempos antes da Nimbo-Cúmulo controlar nosso mundo, é o único com quem a inteligência artificial continua se comunicando. Esse fato, logo se torna conhecido por todos e Greyson acaba se transformando numa espécie de “novo profeta”. Porém o que ninguém esperava, que o fanatismo de alguns seguidores gerasse atos violentos e a uma guerra civil, tudo em nome de Vossa Sonoridade.

Em meio ao caos instaurado a Nimbo-Cúmulo mesmo silenciosa e distante, trabalha em um plano para dar a humanidade uma nova chance de ter um futuro seguro e pacífico. Quando duas figuras importantes emergem das profundezas, as peças do quebra-cabeça finalmente começam a fazer sentido e a população passa a enxergar uma luz no fim do túnel.

A escrita de Neal Shusterman é fantástica e a trilogia Scythe sempre terá um lugar especial em meu coração de leitora. Só que muita coisa em O Timbre,  podia ter sido condensada já que não acrescentaram em nada na conclusão da obra. O fato da narrativa possuir três linhas de tempo diferente em que a cada momento um personagem é o narrador, causou uma certa confusão há princípio, pois passa a sensação que são várias histórias acontecendo ao mesmo tempo.

Outro ponto é que além dos personagens já existentes, o autor inseriu novos personagens que pouco contribuem com a evolução do enredo. O Rowan por exemplo, é um dos casos mais tristes de potencial desperdiçado que já vi em uma trilogia. Em A Nuvem a sua participação já tinha sido apagada, aqui ela foi quase inexistente. A Citra até consegue se destacar em O Timbre, mas de alguma forma o carisma e o peso do papel que ela tinha, acabaram se perdendo em meio tantas tramas paralelas.

A sensação que tenho é que o autor tentou dar voz a todos os personagens e com isso, acabou silenciando figuras importantes como o Faraday e até mesmo o Goddard, que no final se revelou um vilão caricato e que só enfraquece a cada capítulo. Gostei da trajetória do Greyson na história e sinto que entre A Nuvem e O Timbre, ele acabou se tornando junto com a Nimbo-Cúmulo um dos grandes protagonistas da trilogia e talvez, por esse motivo acredito que ele merecia mais.

Resenha
© Ariane Gisele Reis.


“— O que em nós faz com que busquemos propósitos tão elevados, mas destruamos os alicerces? Por que sempre sabotamos nossos próprios sonhos? ”

Talvez o excesso de expectativas tenha prejudicado a minha interação com a história. Mas como não criar expectativas, depois de esperar tanto tempo por esse livro? Acredito que o meu maior problema com O Timbre foi, o modo “fácil” e conveniente como as coisas se resolveram. Não tem como, não ficar decepcionada ao ler um livro de quase 600 páginas em tudo se resolve em quatro, e que deixou mais perguntas do que de fato deu respostas.

O Timbre possui bons elementos, a narrativa mesmo que arrastada em alguns pontos consegue ser envolvente. Em muitos momentos o autor nos leva a refletir sobre como as decisões de hoje, vão impactar no futuro da humanidade e que a nossas tentativas de alcançar a perfeição só mostram o quanto somos imperfeitos.

Ao abordar um tema tão complexo com a fragilidade da vida, Neal Shusterman escreveu uma obra instigante e cheia de nuances interessantes, mas que do meu ponto de vista podia ter tido um final mais digno, harmonioso e condizente com os livros anteriores. Porém às vezes a intenção do autor era justamente criar uma grande dissonância. Quem sabe?


Veja Também:

Comentários via Facebook

21 comentários:

  1. Faz algum tempo que essa trilogia está na minha lista, mas sempre acabo pondo outro na frente hahaha
    Adorei a resenha, fiquei triste por ter lhe decepcionado um pouco.

    Beijinhos
    Renata

    ResponderExcluir
  2. Oi, amiga

    Aí você me perdoa, mas não li a resenha porque quero chegar no livro sem saber de absolutamente nada. Hahahahah
    Eu tô esperando esse livro há dois anos e estou até relendo os outros pra chegar em O Timbre com a mente fresquinha. Já reli o primeiro e agora esse mês vou reler o segundo. Depois volto aqui para ver o que você achou e comparar nossas opiniões! :D

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Ariane, por aqui tudo bem e aí?
    Eu gosto quando novos personagens aparecem no enredo, acho que a história flui melhor e acaba ficando algo mais divertido e instigante para ler.
    Não conheço a escrita dele, espero em breve ler algo do autor.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oiii Ari

    Medo de saber que é um fnal que divide e que segue uma linha diferente, espero gostar. Essa trilogia vou precisar reler pra conferir esse ultimo volume. Li O Ceifador logo que publicou e ja esqueci de muita coisa, pretendo reler o primeiro e ja de quebra maratonar com os outros dois.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Ooi! Eu estou doida para ler essa trilogia faz tempo, mas ainda não comecei pois já imagino que seja bem complexa. Também fico bem frustrada quando a história toda se desenrola tão rapidamente em poucas páginas! Parabéns pela resenha!

    http://estanteflordelis.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Parece que em todo canto que eu vou tá todo mundo postando alguma continuação de série e eu tenho que passar correndo pela resenha pra não pegar spoilers proque são só de livros que eu quero ler! Hahaha. Roin, sou nova aqui e adorei o layout clean do blog <3 Inclusive acho que já tinha vindo aqui quando tudo era só mato ~ desculpa se ofendeu de alguma forma, mas não foi essa intenção.
    Tive que ler a resenha inicial e tô mais agoniada do que antes pra ler esse livro. Çocorro!

    Beijos!
    https://coonversa-paralela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Ane, tudo bem?
    Creindeuspai, 600 páginas? Ando pensando 2x antes de ler livros grandes assim.
    Entendo sua frustração, ler o desfecho de uma história que você ama e ele não atingir as expectativas é de fato frustrante. Eu ainda quero ler essa trilogia quando for possível, mas terei suas ressalvas em mente.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ariane como vai? Tenho curiosidade em ler esta trilogia, apesar de confessadamente não ser atraído por trilogias, prefiro obras de volume único. Sua resenha ficou muito bem feita, adorei a forma como você a elaborou. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá, Ane.
    Eu peguei o e book dele no NetGalley mas vou querer ler o físico mesmo. Espero aparecer uma promoção boa dele hehe. Eu não estou com tantas expectativas com o livro porque apesar de ter gostado muito de A Nuvem não achei tudo isso que vi na resenhas e também como li o mês passado não foi tanto tempo de espera hehe. Mas espero que finalize de uma forma que me agrade hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ariane! Tudo bom?
    Eu ainda não consegui ler essa série, mas agora que tem os três volumes vou colocar pra meta do ano que vem! A Eduarda lá do blog aaaaaama essa história, então tô animada pra conferir. Pulei a resenha pra não pegar nenhum spoiler, mas classificação 'bom' pra fim de série eu fico feliz.

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  11. Ahhh!!

    Acabei de comprar os três livros, estou mega ansiosa para ler *o*

    Beijo,

    Samantha Monteiro
    Degrau de Letras

    ResponderExcluir
  12. Amei a resenha. Eu estou doida para ler esses livros, mas estou com medo das 'páginas' rs
    Que pena que o autor deu umas derrapadas nesse último livro, né?!
    beijos
    https://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ane!

    Comecei a ler O Timbre, mas como ando travada em todas as leituras, também travei nessa :( mas até tava gostando do começo. Uma pena que pelo jeito não alcança 100% das expectativas. Essa trilogia é muito boa, é até uma pena saber que acabou!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane,
    Quem aqui em casa lê essa série, é minha mãe. Eu quero conferir em breve, mas ainda não tive tempo. Tenho o 1 e o 2 físicos e peguei o 3 em e-book.
    Porém, confesso que dei uma desanimada ao descobrir que tudo acontece rápido lá no finalzão, vou pedir para ela ler sua resenha para ler com menos empolgação para não se decepcionar.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oie Nane!

    Tá pra chegar o meu aqui e eu to bem ansiosa para começar essa série...
    Que pena que voce ficou decepcionada, mas que bom que foi uma historia que te fez ter boas lições.. Pensar sobre as nossas atitiudes em relação ao futuro parce ser algo meio chacoalhão
    interessante...

    Bjs!
    Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  16. Eu só li o primeiro volume e estou ansiosa pelos outros dois. Mas como a grana anda curta, estou esperando uma promoção para continuar a leitura. Mas eu estava cheia de expectativas e, mesmo pulando os spoilers, eu fiquei decepcionada por saber que os personagens que tanto me conquistaram agora ficaram apagados e o final é corrido. =/
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  17. Olá Ariane,
    Esse não é exatamente o tipo de livro que costumo ler mas gostei de ler sua resenha. Para mim a expectativa costuma ser um problema também, mas como não ter quando esperamos tanto um livro? Gostei da sua percepção sobre a forma que os personagens foram trabalhados. A verdade é que provavelmente me incomodaria a leitura, já que tudo que você citou e que de certa forma te incomodou, são pontos que me incomodam nas leituras também.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
  18. Gostei bastante da resenha e da sua visão sobre o livro! Eu ando lendo muitas resenhas dessa série e a história não me cativou tanto, mas de todo modo acredito que tenha sido positiva pra você!
    Beijoss, Blog Seja Agridoce ♥️♥️♥️

    ResponderExcluir
  19. Oi
    uma pena que esse terceiro não superou suas expectativas, e que o autor foi com muita cede ao pote ao tentar dar destaque a muitos personagens, pelo menos curtiu a leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Ainda não conhecia, acredito que vou adicionar na minha lista.
    A Chata de Batom

    ResponderExcluir
  21. Oi Ari, tudo bem?
    Sei que já falei do livro aqui mas, vim te desejar uma ótima semana.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir

Instagram

© 2010 - 2020 Ariane Gisele Reis | My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in