Sponsor

Mostrando postagens com marcador Jennifer Brown. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Jennifer Brown. Mostrar todas as postagens
fevereiro 18, 2016

Amor Amargo por Jennifer Brown

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788582353066
Editora: Gutenberg
Ano de Lançamento: 2015
Número de páginas: 256
Classificação: Ótimo
Sinopse: Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado. Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade…

Estou a um bom tempo olhando para tela do meu note, sem saber ao certo como começar essa resenha. Ao mesmo tempo em que me vem à mente várias palavras, as mesmas me fogem. Eu já sabia mais ou menos o que esperar afinal Amor Amargo não é o meu primeiro contato com a escrita da Jennifer Brown. Porém, foi inevitável não me sentir envolvida por um turbilhão de emoções enquanto eu lia esse livro. Foi impossível segurar as lágrimas que horas eram de dor e desespero e outras de raiva mesmo.

Alexandra (Alex) Bradford sempre foi à boa moça.  Tranquila e estudiosa ela perdeu a mãe ainda criança em um trágico acidente de carro. Sua mãe estava a caminho do Colorado e por esse motivo a vida toda ela planejou junto com seus melhores amigos Zach e Bethany uma viagem até lá. Uma viagem para as montanhas do Colorado, por que talvez em meio as montanhas, ela encontraria as respostas que seu pai nunca deu. Além disso, a viagem seria como um presente de formatura para os três amigos que desde a infância são inseparáveis.

Quando o ultimo ano começa, os planos para a grande viagem estão a mil. Mas, tudo começa mudar quando o encantador e divertido Cole aparece.  Alex que sempre se achou uma menina invisível sem graça, logo se vê envolvida pelo belo garoto que contra todas as possibilidades do mundo, está  interessado nela. Os dois rapidamente começam um relacionamento e tudo parecia perfeitamente bem, até que Alex começa a conhecer um lado não tão bonito e nada atraente de Cole. Divida entre o amor que sente pelo garoto e medo do que pode acontecer, Alex passa a viver em uma corda bamba em que qualquer passo em falso pode ter consequências graves.

Acredito que pela sinopse já dá para se ter uma ideia do tema que a história aborda. Em Amor Amargo a autora Jennifer Brown  toca novamente em um assunto polêmico. Um assunto que muitas vezes fingimos que não temos conhecimento e que pode acontecer com qualquer pessoa. É muito fácil em determinados momentos julgar as atitudes da Alex, e confesso que eu mesma fiz isso, por que nunca me entrou na cabeça essa história de você deixar de lado “sua vida” por causa de um namoro. Só que conforme a autora vai revelando os medos e as angustias da personagem, as atitudes dela em relação ao Cole sem tornam mais “compreensíveis”. Eu disse compreensíveis não aceitáveis.

Durante a leitura fiquei me colocando no lugar da Alex, imaginando o quanto deve ser difícil você viver como medo. Pois, por mais que a autora tente “romantizar” os sentimentos dela pelo Cole ao menos para mim, ficou evidente que a Alex estava com ele por medo. Medo de não ser amada, medo de não ser boa o bastante, medo de ser abandonada, medo do que todos pensariam dela se soubessem o que acontecia entre os dois.  Quando você entende tudo isso fica fácil compreender as atitudes dela e até mesmo sentir certa empatia pela personagem.

Gostei muito da Bethany e do Zach e do papel que eles desempenharam na história. Acredito que deve ser extremamente difícil você ver um amigo entrando em uma roubada e infelizmente não poder fazer nada a respeito. Por que aqui a única pessoa que pode se ajudar é a própria Alex e mais ninguém.  E era nessas situações que as lágrimas surgiam em meus olhos. Nos momentos em que a Alex podia e devia ter pedido ajuda. Quando Cole tirava a mascará de bom moço e mostrava o seu pior, e tudo o que ela fazia era tentar justificar as atitudes dele culpando a si mesma.

Jennifer Brown me levou a sentir extremos durante a leitura, pois Amor Amargo é uma leitura difícil, justamente por ser tão real e dolorosa. Fazia muito tempo que eu não me “estressava” tanto com um livro e uma personagem. Sim eu criei empatia pela Alex e de certa forma compreendi que tudo era reflexo das inseguranças e da falta de amor próprio dela, só que ao mesmo assim eu simplesmente não conseguia aceitar a forma como ela conduzia as coisas. Sério chega a ser desesperador. No final senti uma mistura de alivio e tristeza. Alivio por que tudo tinha chegado ao fim e tristeza por que eu sei que algumas feridas nunca se cicatrizam totalmente (...).

“Ele tinha jurado – no estacionamento do Bread Bowl, enquanto me abraçava e me beijava – que jamais voltaria a me machucar. E, dessa vez, tinha feito algo muito pior...”.

Jeniffer Brown mais uma vez me surpreendeu com uma escrita honesta carregada de sofrimento e emoção.  Amor Amargo possui uma narrativa triste, porém objetiva que nos faz refletir o quanto relacionamentos abusivos são perigosos e que o tema ainda precisa ser muito debatido e principalmente combatido. Recomendo!

PS: Não leiam esse livro em lugares públicos ou no ônibus. Fica a dica ;)

agosto 18, 2014

A Lista Negra por Jennifer Brown

ISBN: 9788565383110
Editora: Gutenberg
Ano de Lançamento: 2012
Número de páginas: 272
Classificação: Ótimo
Onde Comprar: Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Submarino - Compare os Preços.






Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas. A lista negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre autoconhecimento e o perdão.

Alguns livros são mais difíceis de resenhar do que outros, em especial quando possuem uma história tão densa e perturbadora como A Lista Negra. Embora eu já meio que soubesse do que se tratava à narrativa, confesso que não estava totalmente preparada para as emoções que tomariam conta de mim no decorrer da leitura. Na verdade enquanto me preparo para “tentar” escrever essa resenha estou revivendo todas elas novamente.

Valerie Leftman sempre sofreu com o bullying no colégio em que estudava, e por um bom tempo ela suportou todas as piadas e brincadeiras sem graça calada.  Era um fardo pesado demais para alguém carregar sozinha, então era resolveu escrever em um caderno tudo e o nome de todos e a incomodavam como uma forma de desabafar o que sentia. Mas, um dia Valerie conheceu um menino que ia mudar a sua vida de uma maneira que ela jamais poderia imaginar. Quando o seu caminho cruzou com o jovem problemático Nick Levil, ela sentiu que finalmente ela tinha encontrado alguém que a entendia de verdade.

Ao começarem a namorar Valerie e Nick passam a dividir não apenas os bons momentos, mas seus problemas, como também o caderno de Valerie que era chamado pelos dois de a Lista Negra.  Porém, no dia 2 de maio de 2008, o caderno deixa de ser apenas uma brincadeira isolada de um casal de namorados que se sentem deslocados no colégio.  Nick entra armado no colégio com um único objetivo, - eliminar todos que estão com o nome na Lista Negra.

Mesmo sem entender direito o que estava acontecendo, Valerie sentiu que tinha que fazer com que Nick parasse com aquilo. Agindo por instinto ela salva a vida de Jessica Campbell, uma das garotas que ela mais odiava ao mesmo tempo em que leva um tiro. Nick acaba tirando a própria a vida e deixando Valerie sozinha, tendo de lidar com toda a desconfiança dos que assim como ela sobreviveram a tragédia. Alguns acreditavam que ela também era culpada pelo atentado, afinal a Lista Negra foi a principio criação dela. Sua família, seus antigos amigos, todos a olham com se ela fosse de alguma forma responsável pelos disparos, apesar de ter sido mais uma das vitimas daquele dia fatídico. Mas, até que ponto Valerie é inocente ou culpada pelo o que aconteceu?

Esta é a pergunta que me faço até agora toda vez que penso no livro. O bullying infelizmente é uma realidade seja na escola, no trabalho, nas redes sociais e muitas vezes aquilo que vemos como um apelido “inocente”, ou brincadeira “boba” acaba fazendo a outra pessoa sofrer muito. A verdade é que nem sempre conseguimos medir a “maldade” por trás de algumas palavras e atitudes que tomamos todos os dias. Sempre acho complicado demais você julgar uma pessoa, e de verdade não me sinto no direito de fazer isso, e por isso em muitos momentos enquanto lia o livro, me vi perdida sem saber como “olhar” para Valerie.

Apesar de ser uma obra de ficção, já assistimos inúmeras histórias parecidas nos telejornais, e a maneira com a autora Jennifer Brown construiu a narrativa deixou tudo muito próximo e real. Os personagens são tão “comuns” que em muitos momentos me peguei imaginando como eu lidaria com esse tipo de tragédia. Imaginei-me com cada personagem da história e em todos os casos eu ficava, triste, revoltada, desolada (...), bem não sei expressar direito como me senti e me sinto de fato em relação a esse livro (...).

“As pessoas fazem isso o tempo todo, - acham que ‘sabem’ o que está se passando na cabeça de alguém. Isso é impossível. É um erro achar isso. Um erro muito grande. Um erro que, se você não tiver cuidado, pode arruinar a sua vida”.

A Lista Negra possui um daqueles enredos dolorosos, em que tanto a história e seus personagens nos acompanham um bom tempo ainda após a leitura. Um livro que nos leva a refletir nossas atitudes e principalmente, o quanto estamos dispostos a perdoar os outros e a nós mesmos.

Instagram

© 2010 - 2021 Blog My Dear Library | Ariane Gisele Reis • Livros, Música, Arte, Poesias e Sonhos. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in