Sponsor

Mostrando postagens com marcador Mangás. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mangás. Mostrar todas as postagens
julho 10, 2016

Mangá - Orange

| Arquivado em: MANGÁS

É engraçado como algumas coisas chegam em nossas mãos no momento que mais precisamos. Confesso que passei o mês de junho meio triste com a vida. Muitas vezes me vi pensando como estaria se tivesse feito escolhas diferentes no decorrer dos anos, e que se houvesse a oportunidade de voltar no tempo o que eu mudaria.
Acredito que volta e meia, todo mundo tem esse tipo de pensamento, não é mesmo? Afinal quem nunca quis dar um restart na vida e começar tudo de novo. E é justamente esse o plano de fundo do emocionante mangá Orange. Escrito pela mangaká Ichigo Takano, Orange fala desse desejo de mudar o passado, para que no futuro não exista arrependimentos.


Titulo Original: Orenji
Autor (a): Ichigo Takano
Editora: Shueisha Futabasha (Japão) | JBC (Brasil)
Gênero: Shōjo, Seinen
Ano de Lançamento no Brasil: 2015-2016
Volumes: 5 (completos)
Classificação:
Sinopse: No primeiro dia de aula, Takamiya Naho recebe uma carta misteriosa de si mesma 10 anos no futuro, que a aconselha a não realizar certas ações. Mas ela ignora, os amigos de Naho convidam o novo menino que chega de Tóquio, Kakeru, para sair depois da escola. Mas algo terrível acontece a Kakeru nesse dia. Algo que poderia ter sido evitado se Kakeru regressasse à casa mais cedo. A par disso, Naho decide seguir as instruções recebidas do futuro, onde Kakeru não existe.

“Escrevo essa carta porque não quero que você, o meu eu aos 16 anos, carregue esses arrependimentos pelo resto da vida.”
Imagine-se recebendo uma carta enviada por você mesmo de dez anos no futuro? Agora pense em como seria sua reação se todos os fatos descritos nessa misteriosa carta ocorressem durante o seu dia? É exatamente isso que acontece com a jovem Naho Takamiya. Ela recebe uma carta escrita por ela mesma no futuro, com todos os detalhes de como será o seu primeiro dia de aula. Porém, o mais assustador de tudo isso é a mensagem urgente que essa carta traz. Ela pede para a Naho do presente, fazer o possível e até mesmo o impossível para salvar Kakeru.

A primeira reação de Naho é não acreditar na carta, achando que ela não passa de uma brincadeira de alguém. Só que conforme se vê vivendo as situações descritas na carta, ela passa não apenas a prestar mais atenção em suas palavras, como se perguntar se é possível mudar o futuro.  Será que ela é capaz de agora no presente fazer as escolhas certas? E se sim, que escolhas são essas e como elas vão afetar a sua eu no futuro? E principalmente como ela poderá salvar Kakeru?
A primeira vista Orange passa a impressão ser mais uma daqueles mangás românticos e super fofos. Só que a sua história é muito mais profunda e tocante do que imaginamos ao começar a sua leitura. Naho é a típica adolescente tímida e insegura, que apesar de todas as suas incertezas e receios resolve agir guiada pelo seu coração. Pois mesmo que agora ela mal conheça o novo aluno da sua sala, Naruse Kakeru, Naho sabe que para sua eu de 10 anos no futuro ele foi uma pessoa muito importante.

Mas não é apenas a Naho que pode desempenhar um papel importante na vida de Kakeru. Seus amigos, Hiroto Suwa, Hagi Saku, Murasaka Azura e Takako China também são peças fundamentais na história.  Pois assim como a Naho, eles no futuro também carregam nos ombros o peso de seus arrependimentos, em especial o Suwa.
Não vou entrar em maiores detalhes sobre a história, para não dar spoilers.  Porém esteja preparado para fortes emoções ao ler esse mangá. Ichigo Takano escreveu uma narrativa que nos emociona ao mesmo tempo em que nos leva a refletir sobre o peso de nossas escolhas. Orange é um mangá muito expressivo não somente em seu traço, mas na forma como ele atinge nosso coração.

O modo como a Ichigo Takano desenvolveu a história intercalando o presente e o futuro nos dá a real dimensão dos sentimentos de seus personagens.  É tudo muito bem amarrado, e a mangaká consegue abordar um tema difícil sem em momento algum deixar a trama confusa ou pesada. Kakeru guarda dentro de si aquele tipo de tristeza profunda. Aquela tristeza que nos faz sentir culpa, dor e arrependimento. 

E a missão de fazer com que Kakeru se salve desses sentimentos destrutivos está nas mãos de Naho e seus amigos.  É tão belo e ao mesmo tempo muito angustiante ver como cada um deles assumiu a missão de fazer Kakeru feliz. Cada um com seu jeito, com seus receios e diferenças e mesmo assim unidos por um mesmo ideal, salvar Kakeru de si mesmo.
Gostei muito da alegria contagiante da Murasaka Azura tão oposta à seriedade sempre presente no Hagi Saku. Juntos eles criam aquele “alivio cômico” na história que em muitos momentos foi bem-vindo. Já a Takako China é uma personagem que tem uma fachada mais “fria”, porém ela é aquele tipo de pessoa que faz de tudo para proteger seus amigos. 

Só que ao mesmo para essa que vos escreve, o melhor personagem no mangá é o Hiroto Suwa. Não apenas por ele estar sempre alegre e incentivando a Naho a ajudar o Kakeru. Mas por ele ser altruísta o suficiente de abrir mão de seus sentimentos e talvez do seu futuro, pela felicidade da Naho e para salvar seu amigo.
Orange foi aquele mangá que veio no momento certo. Pois de um modo muito simples a Ichigo Takano nos mostra que não precisamos carregar o peso de nossas tristezas sozinhos. E que mesmo que seja possível mudar o passado, o futuro sempre será uma folha em branco e imprevisível.  E que escolhas erradas, por mais dolorosas que sejam às vezes são o único modo de encontrar o caminho certo.

Singelo e emocionante, Orange é aquela história que fica em nosso coração por muito tempo (). E antes que eu me esqueça, cada volume conta com uma história bônus chamada Haruiro Astronaut. É uma história bem bobinha e melosa, mas bem divertida.

Beijos e uma ótima semana para vocês ;**

abril 14, 2016

A beleza sombria das artes de Asahiro

| Arquivado em: ARTE

Olá leitores,

Não é segredo para ninguém que sou fã de mangás e animes. Porém meu lado designer sempre acaba reparando também no trabalho artístico por de trás das histórias. Os traços, cores, contraste esse tipo de coisa. Por isso apesar do tom um pouco pesado de suas obras, não pude deixar de me encantar pelos trabalhos da Asahiro.
551
Com um estilo único essa fantástica ilustradora japonesa, conhecida como Azammii no deviantArt traz em seus trabalhos uma atmosfera dramática, mas nem por isso menos bela. Na verdade a sensação que tenho é que as obras dela estão sempre em “movimento”, como se cada uma tivesse contando um pedaço de uma grandiosa história. Os próprios elementos usados por Asahiro em suas obras colaboram para que elas passem essa sensação.  É como se você tivesse olhando para uma ilustração feita para um livro, jogo ou mesmo mangá.

Estou simplesmente apaixonada pelas artes da Asahiro, por que parece que cada vez que olho para alguma delas, percebo um detalhe novo algo. São obras com um toque mágico, com personagens fofos em um cenário melancólico e muitas vezes sombrio. Mas, talvez seja justamente essa mistura de elementos que tornam os trabalhos da Asahiro tão incríveis ().

Algumas Obras:
660
668
720
938
570
786
603
Gostei tanto da  551, que estou usando ela como wallpaper no notebook.  E claro que já salvei a 570 e 603 para usar como proteção de tela do meu celular =D. Quando olho ilustrações como as que a Asahiro, fico maravilhada com a quantidade de pessoas talentosas e muitas vezes desconhecidas que temos pelo mundo. Ainda bem que temos sites como deviantArt para encontra-los ().

No final do post tem todos os links de onde vocês podem encontrar mais trabalhos da Asahiro. Espero que tenham gostado da coluna Arte de hoje e até o próximo post!

Beijos;***

+ Asahiro.

outubro 21, 2015

Mangá – O Cão que Guarda as Estrelas de Takashi Murakami

| Arquivado em: Animes e Mangás.

Confesso que evito ler livros, ou assistir filmes em que os protagonistas são animais, pois sei que independente do final, vou chorar horrores. Além disso, fiquei com trauma desde que sofri bullying na terceira série (todos os outros alunos ficaram rindo de mim) por ter me acabado em lágrimas assistindo Free Willy.

Porém, sempre tive curiosidade em ler o mangá de Takashi Murakami, O Cão que Guarda as Estrelas,afinal olhando ele assim a história parece ser tão fofa. Mas, logo após as primeiras páginas percebi que iria terminar a leitura com o meu coração partido (...).

Hoshi Mamoru Inu em tradução literal, O Cão que Guarda as Estrelas é uma expressão japonesa usada para descrever uma pessoa que quer algo impossível. A origem vem da imagem de um cachorro que fica olhando para o céu como se desejasse a estrela.”

Divido em duas partes, O Cão que Guarda as Estrelas nos apresenta uma história doce e singela. Na primeira parte a narrativa é contada do ponto de vista de Happy o cão, e isso faz com que a história seja ainda mais tocante.  Nela acompanhamos a vida de Happy desde que foi adotada pela família que ao longo dos anos ele viu se desmanchar.

No final era só Happy e o “papai”, um homem de bom coração que quando tudo em sua volta desmorona, resolver pegar o seu melhor amigo e partir para o interior do Japão em busca de uma vida mais simples.

Já na segunda parte a história é narrada pelo ponto de vista de Okutsu, um homem solitário que trabalha como assistente social.  Okutsu quando criança teve um cachorro, mas por algum motivo sente que não conseguiu dar todo amor e carinho que ele precisava e merecia. As duas  histórias estão fortemente ligadas e são capazes de derreter até mesmo o mais gelado dos corações.

Terminei de ler o mangá aos prantos e claro saí correndo do meu quarto para abraçar o Hércules que logicamente pensou que a mãe dele estava mais louca do que de costume. Por que especialmente para quem tem um cãozinho, O Cão de Guarda as Estrelas narra muitos momentos em que é difícil não se identificar com sua história.

O traço é simples, o que combina muito com a mensagem que o autor quer passar. Pois,  O Cão que Guarda as Estrelas é uma daquelas histórias que nos  conquista por sua delicadeza e simplicidade. Afinal não há nada mais simples e ao mesmo tempo mais sincero do que o amor de um cão por seu dono.

Queria poder através dessa resenha conseguir passar tudo o que eu senti ao ler essa belíssima obra, porém enquanto escrevo essas palavras meus olhos estão se enchendo de lágrimas novamente (...).

Editora: JBC
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 128
Volume Único.
Classificação:
Sinopse: A história conta uma aventura vivida por dois companheiros, um simples senhor, sem dinheiro, emprego, ou família, e seu cachorro, que farão o possível para viver e sobreviver a sua “viagem” pelo interior do Japão. O grande diferencial da narrativa fica por conta do ponto de vista. Os acontecimentos são vistos sempre pelo olhar do cachorro, e a perspectiva canina dos fatos e seus sentimentos são os companheiros do leitor ao longo das páginas.

O Cão que Guarda as Estrelas é uma história da qual vou me recordar com muito carinho e que terá em meu coração sempre um lugar especial.

Beijos e até o próximo post!

setembro 14, 2015

Mangá – Wish

| Arquivado em: Animes e Mangás.

Olá leitores, bom dia =)

O primeiro anime que acompanhei do começo ao fim na minha vida foi Guerreiras Mágicas de Rayearth, quando eu tinha doze anos. Costumo dizer que ele abriu as portas para que esse gênero de animação fizesse parte da minha vida, já que depois dele me tornei fã de animes. Por isso acredito que não é nada surpreendente o fato do primeiro mangá que li na vida ser o das Guerreiras Mágicas, e principalmente que, por causa dele eu ser apaixonada pelo trabalho da CLAMP.


Então vocês podem imaginar como fiquei feliz quando a JBC anunciou iriam lançar Wish ainda esse ano no Brasil. Sério, acho que fazia muito tempo que eu não ficava tão ansiosa aguardando por um lançamento, como eu fiquei dessa vez.  Acabei ganhando os dois primeiros volumes de aniversário do meu primo (beijos Bricio) e assim que coloquei a minha “pequena” fila de leitura em dia, corri para ler o meu tão esperado mangá.

Originalmente publicado na revista shoujo Monthly Asuka entre 1996 e 1998, Wish conta a história de Shuichiro, um médico que um dia, enquanto retornava para casa depois do trabalho, encontra com o anjo Kohaku, preso em uma árvore sendo atacado por um corvo. Shuichiro resgata Kohaku que em retribuição diz que irá conceder a ele um desejo. Claro que Shuichiro, não acredita que aquele ser pequeno é um anjo (mesmo vendo as asas) e atribui tamanho disparate ao dia cansativo que teve no trabalho.


No dia seguinte ao acordar ele não apenas encontra Kohaku a sua espera como se dá conta que ele é realmente um anjo. Kohaku então insiste em realizar um desejo de Shuichiro para agradecê-lo por ter salvado sua vida. Mas para sua surpresa Shuichiro não tem nenhum desejo que precise ser realizado, já que acredita que ele mesmo pode conquistar seus próprios sonhos. 

Só que Kohaku não pode retornar ao céu enquanto não pagar a sua “divida”. Isso não seria certo, então ele decide que a melhor coisa a fazer é ficar na Terra com Shuichiro e ajudá-lo até que ele pense em um desejo que Kohaku possa conceder.  Mas, o que Shuichiro não esperava que ao salvar a vida de Kohaku a sua vida iria se tornar uma bagunça completa. Por que outras criaturas do céu e do inferno aparecem para complicar um pouquinho essa história.


Assim como todas as histórias da CLAMP, Wish possui uma arte lindíssima, personagens encantadores e uma narrativa cheia de aventura, magia e reviravoltas.  Porém, Wish é uma daquelas histórias que precisamos ler de mente e corações abertos. Afinal mesmo que Wish seja classificado como shoujo, ele na verdade está mais um romance yaio (romance entre homens).

Quem já leu outros mangás da CLAMP como Tokyo Babylon e X-1999 deve ter percebido que algumas histórias do grupo sempre tem a presença do estilo yaio na narrativa. Só que a grande diferença de Wish para esses outros mangás é que aqui isso está bem mais "explicito". Mas não de uma forma escandalosa ou chocante.


Na verdade o romance é muito sutil e leve. Conforme os personagens vão criando uma relação entre si, você acaba se envolvendo com eles e suas histórias. Confesso que mesmo o Kohaku e Shuichiro sendo os personagens principais da história, meu coração foi roubado pelo Arcanjo Hisui e pelo príncipe do Inferno Kokuyo.  Sério é muito amor envolvido aqui (). E até mesmo a peste do Koryu é apaixonante gente.  Tipo dá vontade de apertar ele e o Kohaku de tão fofos que eles são *-*.


Alias se eu pudesse definir a história de Wish em uma única palavra essa seria fofa.  O enredo é simples e delicado, com cenas ricamente detalhas que encantam e prendem a atenção de quem lê. É impossível não se apegar aos personagens, pois todos possuem uma característica marcante, e isso torna a história ainda mais especial. 



Editora: CLAMP | JBC
Ano de Lançamento: 2015
Número de páginas: 200
Volumes: 4
Classificação:
S
inopse:
O anjo Kohaku deve pagar a dívida de gratidão que tem com Shuichiro, o homem que o salvou. Porém, ficar ao lado de Shuichiro na Terra, não será uma tarefa tão fácil…




Simplesmente ainda não estou conseguindo lidar direito como tanta fofura e quero para ontem os volumes três e quatro para saber como essa história termina. E aposto como é de praxe terminarei a leitura aos prantos. Afinal, CLAMP é sempre CLAMP ().

Beijos e até o próximo post!

junho 27, 2011

1 Litro de Lágrimas por Aya Kito

1 Litro de Lágrimas por Aya Kito - (Baseado em fatos reais).                                                             

Ficha Técnica:
 
Edição: 1

Editora: Editora NewPOP
Autor: Aya Kito
ISBN: 9788560647293
Ano: 2009
Páginas: 176
• Classificação: 5 estrelas

Sinopse:                                                                                                

O diário de Aya foi publicado no Japão originalmente para a comunidade que possui problemas físicos, mas a história dramática da garota transformou o livro em algo atrativo para todos. O livro foi publicado em 1986, e Aya tinha apenas 23 anos de idade, mas já não conseguia escrever e falava com a ajuda de uma pequena tabuleta que continha todas as letras do alfabeto japonês.

Resenha:

Mais um mangá para resenha ( me desculpem que não gosta do gênero, mas tenho certeza que após ler a resenha vocês vão entender o por que eu tive que resenha-lá). Desta vez li bem rápido, que se trata de um mangá baseado em fatos reais.

Já aviso aos que se interessarem pelo mangá para preparar uma caixa de lenço, por que você realmente chora 1 litro de lágrimas. Aya me deu uma lição de vida e tenho certeza que todos que leram e, que ainda vão ler este mangá irá ter exatamente a mesma sensação que eu.

Aya vai ao médico fazer alguns exames por que anda levando muitos tombos e se sentido estranha ultimamente. O diagnostico é conclusivo: degeneração espinocerebelar - doença incurável que destrói células do cerebelo, do tronco cerebral e da medula.Com o tempo ela não iria mais pode andar, falar, escrever, ou comer. Pense o que isso significa na vida de uma adolescente de 15 anos cheia de sonhos e expectativas na vida.

O livro/mangá relata a luta mesmo que “inútil” de Aya pela vida. Tanto que durante o Tanabata, festival japonês em que desejos impossíveis são amarrados em hastes de bambu, Aya escreve em um pedaço de papel o que mais deseja: ser normal.

O mais triste de tudo é que já não basta à doença e todo o sofrimento pelo qual Aya passa, ela ainda tem que lidar com a falta de maturidade que chega até ser cruel de alguns colegas de escola que não conseguem entender seu problema.

1 litro de lágrimas é o tipo de leitura que faz com que agente pare de pense, e principalmente perceba o quanto reclamamos da vida, muitas vezes sem motivos.

Aya faleceu aos 25 anos, dez anos após ter descoberto a doença. A frase que mais me marcou foi essa: "Sinto o batimento no peito, [...] essa vida é muito importante. Estou vivendo."

Fica a dica para quem procura uma leitura com profundidade de sentimentos e emoções, que nos leva a refletir o quão importante e especial é o simples fato de respirar.

junho 20, 2011

Socrates in Love por Kyoichi Katayama

Socrates in Love por Kyoichi Katayama.


Ficha Técnica:

Edição: 1
Editora: JBC
Autor: Kyoichi Katayama
ISBN: 9788587679963
Ano: 2006
Páginas: 192
Classificação: 5 estrelas

Sinopse:                                                                                              

Baseado no romance Sekai no Chuushin de Ai wo Sakebu, de Kyoichi Katayama, Socrates in Love - O Amor Sobrevive ao Tempo, lançado pela Editora JBC, narra através do traço delicado, mas contundente, da desenhista Kazumi Kazui o trágico primeiro amor de um casal de adolescentes.
O romance nasceu quando o escritor japonês Kyoichi Katayama, ao ler um livro de filosofia, deparou-se com a frase: o amor é uma forma de violência que obriga as pessoas a pensarem. Intrigado, ele decidiu criar uma história que simbolizasse a idéia. O livro mais vendido do Japão virou mangá e o sucesso de venda se repetiu, tanto no Japão quanto nos Estados Unidos. O enredo é tão forte e cativante que emocionou até a desenhista Kazumi Kazui que, a partir da metade da história, criou todos os desenhos com os olhos cheios de lágrimas.

Resenha:

A resenha é um pouco diferente hoje, já em ao invés de resenhar um livro vou resenhar um mangá. Eu adoro mangás e estou contado os dias para ir ao Anime Friends para completar algumas coleções que tenho aqui em casa.

Este mangá em especial ficou quase meio ano aqui em casa sem que eu desse muita bola para ele. Sabe quando o livro, neste caso o mangá fica ali no canto e você nunca se interessa muito por ele? Com Socrates in Love foi mais ou menos assim, até que eu realmente decidi ler ele em uma tarde de domingo.

Tenho apenas uma coisa a dizer, e tenho certeza que resumi muito bem o mangá em uma única frase: “Perfeitamente lindo!” Acho que todo mundo um dia deveria ler uma história de amor com o de Saku pela Aki uma vez na vida.

Em uma comparação rápida eu diria que ele é o “Amor para Recordar” versão mangá. Ou seja, você chora horrores e fica torcendo até o final para o casal super a tragédia que chega disposta a destruir todos os seus sonhos.

Outro detalhe que não posso deixar de mencionar é o traço dos desenhos. Gente é muito lindo e passa uma emoção tão forte ver todos os personagens com olhos cheios de lágrimas. Foram as 192 páginas mais lindas que li nos últimos tempos!

Socrates in Love está super recomendado para quem quer dar um folga nos livros e ler algo romântico e emocionante. Vale muito apena mesmo!

Instagram

© 2010 - 2021 Blog My Dear Library | Ariane Gisele Reis • Livros, Música, Arte, Poesias e Sonhos. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in