Resenha - O Caminho por Richard Paul Evans.

25/11/2012


O Caminho por Richard Paul Evans.

ISBN: 9788581780337
Editora: Lua de Papel
Ano: 2012
Número de páginas: 292
Classificação: 4 Estrelas
Onde Comprar: FNAC, Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Livraria da Travessa, Submarino - Compare os Preços



Sinopse: O Caminho - Livro II.

Alan Christoffersen, um publicitário bem-sucedido, acorda uma manhã e encontra-se ferido, sozinho e preso a uma cama de hospital em uma pequena cidade de Washington. Ele já havia passado por situações extremas quando decidiu atravessar o estado de Washington. Em busca de respostas, essa longa caminhada poderia ser um recomeço para sua vida. Mas, quando encontra-se imobilizado, ele percebe o quanto a vida ainda tem a lhe mostrar e ensinar. A segunda jornada da série Walk traz ainda mais lições para um homem que busca incansavelmente por esperança e que está disposto a retomar a sua vida de onde parou. Um romance inspirador sobre a esperança e o significado da vida.

Resenha - O Encontro (Livro1)

Só mesmo um “livro gracinha” como O Caminho para curar a minha chatice literária. Sim leitores, eu finalmente encontrei a cura para minha rabugice, mas claro que para isso contei com a ajudinha do meu querido Richard Paul Evans. Nessa belíssima continuação da série Walk, mas uma vez fui levada a refletir, sorrir e me emocionar com as experiências vividas por Alan.

Neste segundo livro continuamos a acompanhar Alan Christoffersen em sua caminhada para reencontrar a esperança, a fé e um novo sentindo para sua vida.  Por mais sutis que sejam as algumas mudanças emocionais no personagem, elas estão muito presentes em O Caminho. É notável que mesmo que a tristeza e a dor da perda ainda estejam bem recentes em seu coração, Alan começa a perceber que ele tem muita coisa a fazer não só por si mesmo, mas também por outras pessoas que passam a fazer parte de sua jornada.

Quando se vê preso a uma cama de hospital em uma cidade estranha e gravemente ferido, Alan sabe que tão cedo não vai poder voltar à estrada, porém o destino tinha lhe reservado uma linda surpresa. Não só apenas uma segunda chance de viver, mas principalmente a de fazer a diferença na vida de uma pessoa muito especial, a misteriosa e solitária Angel.  Quando seus caminhos se cruzaram em uma estrada chuvosa nenhum dos dois podia fazer ideia que suas vidas estariam ligadas para sempre.

Mas para quem já está pensando que a partir daí o enredo muda e começamos a ter uma linda história de amor se engana. A ligação entre Alan e Angel é muito mais profunda e delicada do que uma paixão avassaladora. O laço que os dois criam é o de uma amizade muito sólida, em que cada um com o seu sofrimento e suas perdas ajuda o outro a se levantar e a seguir em frente.  Antes de se encontrarem ambos eram pessoas solitárias que não tinham muitos motivos para acreditar e lutar pelos seus sonhos, mas juntos eles começam a redescobrir o poder da fé. Sabe aquele velho ditado que diz: “Deus nos coloca sempre aonde somos necessários”. Bem, Angel podia não saber, mas ela precisava muito de Alan, pois enquanto ela acreditava estar ajudando a um homem ferido a se recuperar, este homem a estava salvando de inúmeras maneiras.

E não foi só na vida de Angel que Alan foi necessário e decisivo. Ao longo da sua jornada ele encontra Kailamai, uma jovem vitima do comportamento abusivo da mãe e do padrasto, e que mesmo tendo passado por situações difíceis para alguém da sua idade mantinha o sorriso no rosto e a esperança que o amanhã seria muito melhor. Durante o tempo que caminharam juntos, Alan e Kailamai além de se tornarem grandes companheiros de viagem, aprenderam muito com as experiências um do outro, criando assim um forte laço de amizade que durará a vida toda. Através do bom humor de Kailamai, Alan começa a perceber que muitas vezes é o justamente o sofrimento e as adversidades da vida que nos deixam mais fortes.

Angel precisava desesperadamente de perdão e esperança, enquanto Kailamai buscava conhecer a felicidade de ter um lar seguro. Ambas achavam que isso era um sonho distante, mas a vida, sim a vida que sempre nos surpreende acaba colocando Alan em seus caminhos mudando o enredo de suas histórias para sempre.

Na continuação da série The Walk, Richard Paul Evans deixa muito claro que pequenas ações podem fazer muita diferença na vida de alguém. Alan perdeu tudo o que era importante na sua vida, mas o que ele começa a ganhar com cada pessoa que ele direta ou indiretamente ajuda é muito maior e mais valioso do que os bens materiais que ele perdeu. Claro que nada vai conseguir trazer de volta o seu grande amor, porém para quem achava que não havia mais sentido na vida depois que a sua esposa McKale se foi, aos poucos ele começa a ter fé novamente.

Assim como foi com O Encontro, a leitura de O Caminho foi leve e bem rápida só que ao contrário do primeiro livro que chegou a me emocionar sem que eu derramasse uma lágrima, dessa vez eu chorei. Tudo bem que foi uma situação meio óbvia, mas confesso que não estava preparada e fiquei muito triste por que lá no fundo eu espetava que o autor pudesse mudar de ideia. Infelizmente ou felizmente isso não aconteceu.

Com uma objetividade incrível e personagens admiráveis Richard Paul Evans conseguiu criar uma continuação tão rica emocionalmente como o primeiro livro. Se antes eu já torcia para que Alan encontrasse a felicidade novamente agora eu torço ainda mais, e não só por ele e sim por Angel e Kailamai também que através de suas histórias me cativaram e me ensinaram muito. O que mais eu posso falar, O Caminho era realmente o livro que eu precisava ler para curar a minha chatice literária.

Um ponto que não posso deixar de comentar é a capa. Gente ela é linda! E ela transmite bem a sensação de paz que você sente durante a leitura. Só tenho uma observação quanto à revisão do livro que deixou passar alguns erros de digitação, nada que prejudicasse muito a leitura, mas que poder ser erros bobos não poderiam ter passado despercebidos na hora da revisão final do livro.

Um livro gracinha com uma história linda e tocante que recomendo a todos, otimistas e pessimistas, pois mostra que por maior que seja o sofrimento sempre existe uma razão para acreditar e seguir em frente.

 “Planejamos nossas vidas em longos e ininterruptos períodos que cruzam com nossos sonhos, da mesma forma que as rodovias conectam os pontos de uma cidade num mapa rodoviário. Mas, no final, aprendemos que a vida é vivida nas ruas paralelas, nos becos e desvios.” Diário  de Alan Christoffersen.




Comentários via Facebook

13 comentários:

  1. Oi Ane! Eu acabei de ler O Encontro, apesar de ter uma história emocionante, eu não fiquei muito conectada ao personagem, estava pensando em não ler a continuação, mas lendo sua resenha fiquei bem curiosa com a relação de Alan e Angel (nome sugestivo), e talvez eu coloque na lista de 2013.

    Que bom que este livro animou você.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Li e reli várias vezes a sua resenha, esse livro conseguiu despertar o meu interesse é aqui estou rs querendo saber mais dos dois livros, conhecer os personagens e seus dramas

    http://blogversoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Poxa!, você lê muito. Admiro isso! Parabéns! É, o livro parece mesmo ser uma gracinha. Parabéns pela resenha! Ane, a propósito, por acaso, quer ver onde a coisa está russa?>>> O http://jefhcardoso.blogspot.com anseia por um comentário de sua parte. Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu confesso que não me atraio muito por esse livro porque não gosto do tema. Mas a sua resenha foi muito boa e tenho certeza que ele é um ótimo livro pra curar uma ressaca literária!
    Beijos

    Andressa
    http://umdiaacadalivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Gostei bastante do conteúdo do seu blog,parabéns.
    Se encaixa perfeitamente no perfil que procuramos.
    Procuramos blogs de qualidade que queiram divulgar suas postagens no Portal de Blogs Teia.
    Se interessar é só nos fazer uma visitinha.
    Até mais

    ResponderExcluir
  6. awn gente que história fofa
    eu amei essa capa :) gostei da resenha viu

    ResponderExcluir
  7. Olá Ane, você me emocionou com sua resenha, fiquei muito curiosa para conhecer a história, parece ser mtoooo emocionante, quantos livros a série tem?

    BjOs!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi Ane!!
    Como sempre, suas resenhas arrasam e não deixam qualquer dúvida sobre o livro! Eu já li vários comentários divergentes sobre os livros do Paul e até agora não li "A promessa" - que ganhei de amigo oculto ano passado - por causa disso. Sei que são livros diferentes mas o autor é o mesmo, né? Enfim, gostei de vários pontos citados na sua resenha:

    "Alan começa a perceber que ele tem muita coisa a fazer não só por si mesmo, mas também por outras pessoas que passam a fazer parte de sua jornada."
    *Eu estou experimentando algo do tipo, fazer as coisas não por mim mas por outros e isso vale muito a pena.*

    "pequenas ações podem fazer muita diferença na vida de alguém."
    *Concordo plenamente. Às vezes é difícil visualizar isso, ainda mais em uma sociedade consumista e que dá mais valor às coisas materiais, mas uma pequena ação, feita com amor, muda toda a sua vida.*

    Beijos flor, estou super curiosa com esta série, obrigada por me motivar a lê-la!
    =*

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Eu acredito que gostarei dessa série. Sempre leio resenhas positivas. E sim, essa foi a primeira resenha do segundo livro que eu li. Estou deveras interessado na série e espero ter a oportunidade de lê-la o mais breve possível.
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  10. Sua resenha ficou linda, adoro os livros que demonstram as coisas boas e ruins. Os pontos positivos e negativos. Acho que isso é muito tocante, além de dar um verdadeiro toque de realidade. A capa é lindíssima, amo os livros da arqueiro, mas ainda não tinha visto esse.

    Beijos, 7hings.com.br

    ResponderExcluir
  11. Hey!
    Sou do tipo que pensa: Se uma pessoa que não parece manteiga derretida chora com um livro, ele vale a pena, rs.
    Sei que parece meio bobo e generalizador, mas acredito que para um livro fazer você chorar, a história tem que ser boa, bem escrita e envolvente, ou então, você ficaria apenas triste, e por algumas vezes, nem isso. Não sabia que se tratava de uma série, mas já venho observando os livros do autor há um tempo, apenas esperando uma oportunidade de lê-los e devorá-los. Tenho o livro A promessa, mas ainda não li, quem sabe agora não começo, não é? rs
    Gostei bastante da resenha, beijo!

    ResponderExcluir
  12. Eu já tinha visto esse livro em vários blogs, mas não tinha ideia de que era uma continuação, gosto de livros bonitinhos e eu talvez leia esses livros um dia.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  13. Honestamente, preciso de um livro "mais maduro" assim. Ando numa fase constante buscando novidades, para variar um pouco.
    Gostei da sua resenha e adicionei o livro, o primeiro também, à extensa e infinita lista de desejo.

    Bjo,
    Bibliotecando com a Cris

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por