17/02/2019

O Dueto Sombrio por Victoria Schwab.

| Arquivado em: RESENHAS.







ISBN: 9788555340666
Editora: Seguinte
Ano de Lançamento: 2018
Número de páginas: 448
Classificação: Bom.
Sinopse:  Monstros da Violência – Livro 02.
Na sequência final de A Melodia Feroz, Kate Harker precisa voltar para Veracidade e se unir ao sunai August Flynn para enfrentar um ser que se alimenta do caos.  Kate Harker não tem medo do escuro. Ela é uma caçadora de monstros — e muito boa nisso. August Flynn é um monstro que tinha medo de nunca se tornar humano, mas agora sabe que não pode escapar do seu destino. Como um sunai, ele tem uma missão — e vai cumprir seu papel, não importam as consequências. Quase seis meses depois de Kate e August se conhecerem, a guerra entre monstros e humanos continua — e os monstros estão ganhando. Em Veracidade, August transformou-se no líder que nunca quis ser; em Prosperidade, Kate se tornou uma assassina de monstros implacável. Quando uma nova criatura surge — uma que força suas vítimas a cometer atos violentos —, Kate precisa voltar para sua antiga casa, e lá encontra um cenário pior do que esperava. Agora, ela vai ter de encarar um monstro que acreditava estar morto, um garoto que costumava conhecer muito bem, e o demônio que vive dentro de si mesma.

Com uma distopia original cheia de ação e excelentes reviravoltas, A Melodia Feroz da autora, Victoria Schwab me surpreendeu tanto, que acabou sendo uma das minhas melhores leitura de 2017. Por esse motivo, acredito que não preciso dizer o quanto essa blogueira que vos escreve, estava com as expectativas bem altas em relação ao último livro da duologia Monstros da Violência, O Dueto Sombrio. Porém, como vocês vão perceber ao longo da resenha, essa foi uma leitura um pouco “complicada”.

Essa resenha pode conter spoilers do livro anterior, então se você não quiser correr o risco pode pular três parágrafos.

Seis meses se passaram desde que Kate Harker fugiu de Veracidade e de seus monstros. Porém, aparece que onde quer que a garota vá, os monstros a seguem. Quando os monstros começam a surgir em Prosperidade, ela sabe que é a única capaz de combatê-los e por isso decide caçá-los. Porém, por mais que Kate tente seguir em frente os fantasmas de seu passado estão sempre à espreita, nas sombras de sua própria consciência.

Já em Veracidade, os monstros controlam o lado norte da cidade e os habitantes que antes viviam no luxo e pagavam pela proteção de Collum Harker, se vêm obrigados a migrar para o lado sul da cidade para sobreviver. Do lado sul está August Flynn, o monstro sunai que sempre desejou ser humano, que perdeu uma parte de si mesmo e precisou assumir o lugar que antes era do seu irmão Leo como comandante da FTF. Assim como Kate, ele se tornou um caçador, mais não de monstros e sim de almas pecadoras.

Quando um novo monstro que se alimenta da própria violência surgi, Kate sabe está na hora de voltar para casa, para Veracidade. Porém a garota não fazia ideia do caos estava a sua espera. O lado norte está dominado por monstros comandados por um velho inimigo que ela acreditava estar morto e por um monstro que ela mesma criou. Do lado sul, Kate é vista como inimiga e mesmo que August seu velho amigo ainda confie nela, algo entre eles também parece ter se quebrado.  A batalha final se aproxima, e Kate e August se unem novamente para derrotar os monstros já conhecidos e a nova ameaça. Mas, até quando Kate será capaz de conter o monstro que ela está se tornando?

Essa é a minha quarta tentativa de escrever a resenha de O Dueto Sombrio, tamanho é o meu conflito de sentimentos em relação ao que eu encontrei aqui. Sinceramente quanto mais eu penso no rumo que a Victoria Schwab deu para história, mas chego à conclusão que teria sido melhor a autora ter parado em A Melodia Feroz, já que de certo modo ela tinha dado um desfecho mais conclusivo no livro anterior. Que fique claro que não estou dizendo que O Dueto Sombrio é um livro ruim. Eu gostei em partes da história, porém não nego que esperava algo mais consistente e principalmente uma resolução mais completa do mundo que a autora criou.  Porém, isso não aconteceu, tanto que quando eu terminei o livro fiquei: “Tá, então só é isso?”.

Um dos momentos mais esperados por mim, era o reencontro da Kate e do August, especialmente porque eu estava bem curiosa para ver como seria a dinâmica entre eles depois das escolhas que tiveram que fazer no passado para sobreviver. A Kate começa a história aparentando estar bem mais madura e mais consciente dos seus atos, algo que até metade do livro estava me agradando bastante. Mas, depois de um ponto em diante, ela volta a agir de modo impulsivo e até mesmo arrogante o que em minha opinião desconstrói completamente qualquer evolução que a personagem vinha tendo desde o livro anterior.

Já o August mesmo que há princípio eu tenha sentido uma certa “antipatia” por ele, conseguiu me conquistar por ser um personagem complexo e cheio de peculiaridades que o tornam um protagonista mais interessante do que a Kate. Aqui é visível que ele não está confortável em sua nova posição como comandante da FTF e que ele ainda sofre muito pelos os acontecimentos que o levaram a estar nessa situação.  Só que a forma que ele demonstra essa insatisfação, essa tristeza é tão apática que conforme a narrativa ia avançando, mais frustrada eu ficava em perceber que ele estava meio que no “automático” perdendo a cada capítulo as qualidades que tinham me cativado nele.

Gostei bastante da inserção de novos personagens em O Dueto Sombrio, pois eles contribuem para deixar o ritmo da narrativa mais gostoso de acompanhar. Para começar mesmo que sua participação possa ser considerada “pequena”, eu adorei o novo sunai que surgiu na história, o Soro. Ele possui uma personalidade muito concisa e determinada, ao mesmo tempo que é um enigma. Além disso, Soro não tenta ir contra a sua monstruosidade, pelo contrário esse lado é totalmente abraçado e isso em várias situações faz dele incrivelmente humano.

Só que apesar de ter acertado com a inclusão de Soro na história, Victoria Schwab falhou na construção da malchai Alice e na tentativa de transformar Sloan em um dos grandes vilões da história.  Claro que a união dos dois é potencialmente perigosa, mas as ações deles são previsíveis e óbvias que desde do começo já fica claro qual é objetivo final deles o que por consequência tira um pouco do “efeito” surpresa da narrativa. Mas, o que realmente me incomodou foi o desenvolvimento, ou melhor dizendo a falta do desenvolvimento que o nova ameaça que surgiu aqui.

Tipo esse monstro é super poderoso, afinal ele tem o poder de colocar as pessoas umas contra as outras fazendo com que elas tenham atitudes de extrema violência que do que ele se alimenta. Só que o modo como tudo se resolve é tão rápido e fácil que sinceramente em minha visão a única utilidade que esse monstro teve na história em si, foi fazer Kate voltar para casa. Ou seja, esse monstro além de não cumprir a promessa de ser o grande destaque de O Dueto Sombrio, não tem nenhuma participação “efetiva” no desenrolar do enredo que justifique a presença dele assim como o grau de importância atribuído a ele. 

O que mais tinha me chamado a atenção em A Melodia Feroz foi o mundo que a Victoria Schwab criou, e por ser o último livro, eu espera respostas. E não teve absolutamente nenhuma resposta aqui. Com exceção de um personagem que teve o seu final bem definido e condizente com a sua trajetória na história o resto ficou vago demais. De verdade a sensação que eu tive é que voltamos à estaca zero. Ficou faltando aquele epílogo onde temos um vislumbre do que aconteceu com os personagens algum tempo depois. Sei que alguns de vocês estão pensando: ”Ane acho que você estava com expectativas demais.”, e sim eu esperava que o livro entregasse uma história melhor ou pelo mesmo nível do livro anterior, e fato da história ter terminado do jeito que terminou me deixou extremamente frustrada.

“– Você está errado. – disse Kate, virando as costas para ele. – Existe um tipo de mentira que até você pode dizer. Sabe qual é? – Ela encarou o olhar dele na porta de aço. – O tipo que se conta para si mesmo.”

Apesar de não ter atingido todas as minhas expectativas, gostei de algumas coisas que encontrei durante a leitura de O Dueto Sombrio. A escrita da Victoria Schwab é fantástica e realmente nos transporta para dentro das páginas do livro fazendo o que a gente fique completamente envolvido com a história. A minha sugestão para quem leu A Melodia Feroz e ainda está em dúvida, se lê ou não o último livro da duologia é ir como menos sede ao pote. Assim quem sabe, você evita frustrações e acaba curtindo melhor a leitura.
 

Comentários via Facebook

18 comentários:

  1. Oi Ari, tudo bem? Eu li outra série da Victoria e gostei bastante da escrita dela. Ainda não peguei essa pra ler, mas li coisas bem positivas. Apesar de não ter atingida sua expectativa me parece uma boa trama.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Amei a resenha, ainda não li nem o primeiro, só que com todos esses detalhes sinto que isso vai mudar logo.
    beijos
    lolamantovani.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Ariane! Não li o livro e desconheço a história, mas achei interessante pelo que você descreveu. Pena que você não atingiu suas expectativas...

    Borboletra

    ResponderExcluir
  4. Oi Ane, tudo bem?
    Acho que a pior parte de amar muito uma série é a chance de se decepcionar com a continuação, né? Pena que não tenha atingido suas expectativas. :(
    Eu não tenho interesse na série no momento, mas fico feliz que tenha sido proveitoso apesar das ressalvas.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  5. Que resenha legal! O livro parece ser muito divertido de se ler.

    Ótimo post!
    >>> https://blogjulianarabelo.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Ane.
    Eu li bastantes comentários negativos sobre o livro, por isso estava com as expectativas baixas para ler ele e acho que por isso acabei gostando bastante. Está longe de ser igual ao primeiro livro que foi um dos melhores livros que li na minha vida, mas também não achei ruim. Concordo com vários pontos que você levantou, mas ainda assim acho ele acima da média se compararmos com outros livros do gênero que temos por ai.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Achei bem interessante, anotei o nome pra lê depois.

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ane!
    Pois eu amei esse livro! Deve ser pelo fato de já acompanhar a Schwab um tempo e saber das suas manhas... e também porque li os dois seguidos. Devem ter influenciado.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  9. Oi Ane! Eu gostei bastante da duologia e deste livro. O primeiro é meu favorito, mas esse me deixou satisfeita também. Claro que eu queria um desfecho mais feliz, mas a autora é cheia de surpresas e acaba me deixando mexida com sua ousadia. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  10. Oi Ane não li a resenha por ser a continuação.
    Mas tenho muita vontade de ler essa duologia.
    Beijos

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ane

    Exatamente pelo fato da autora ter dado um "desfecho" ao primeiro livro que eu acho que não lerei este segundo.
    Já não curti muito A Melodia Feroz, e depois que fui lendo as resenhas e percebi que só ia passar raiva nesse livro comecei a me questionar se valia a pena a leitura.
    Eu gosto da autora, mas há muita diferença no tom dela escrevendo sob Victoria e escrevendo sobre V.E. Schwab. Prefiro a segunda.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  12. Amei sua resenha, ainda não conhecia esse livro e confesso que pela história até leria. Uma pena a história não ter te surpreendido!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane,
    Eu gostei bastante do primeiro livro, apesar que nem leio muito do gênero.
    Ainda preciso conhecer a segunda parte, apesar das resenhas sempre ressaltarem pra diminuir a empolgação.
    Sloan é uma praga sos

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane,

    Eu adorei o primeiro livro e final dele deixou um gostinho para esse, mas ultimamente só estou vendo mais resenhas negativas do que positivas sobre a sequencia.
    Uma pena, mas pretendo ler em breve para finalizar a duologia.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  15. Oi Ane,
    Meu primeiro contato com a autora não foi positivo e aí eu desisti de ler essa série mesmo com as recomendações do primeiro livro.
    E te confesso que nem sinto tanta vontade depois de ver as opiniões desse segundo volume... uma pena!
    Beijos
    estante-da-ale.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir
  16. Oi Ane,
    Eu tenho que ler o primeiro livro que não tenhp. Mas uma amiga minha tem e adora.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Oi, Ane!

    Não se sinta sozinha, tive a mesma experiência que você. A leitura de A Melodia Feroz foi tão boa que cheguei a favoritar da obra e as expectativas com O Dueto Sombrio estavam lá em cima, mas infelizmente não chegou nem próximo do que eu esperava. O reencontro deles foi morno, e o monstro, que possuía um dom tão grande, foi muito mal aproveitado. E o final, então? Prefiro fingir que nem existiu. Não vi necessidade alguma daquilo.

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Poxa, Ane, que pena que o livro não correspondeu às suas expectativas! Eu tb teria ficado super frustrada com a falta de respostas. E o fato do livro anterior ter sido excelente só torna tudo ainda mais difícil. Uma pena, realmente!

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir

Instagram

© 2010 - 2019 My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in