Sponsor

Mostrando postagens com marcador solidão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador solidão. Mostrar todas as postagens
junho 27, 2018

Velha amiga

| Arquivado em: CRÔNICAS & POESIAS

imagem: Shutterstock

A chuva cai sobre mim, mas eu continuo andando sem me importar com o frio.
Suas gotas se misturam com a minhas lágrimas, mas eu continuo andando.

Abro meus braços e a recebo como uma velha amiga. E pelo que ela leve toda a tristeza de minha alma. Quero caminhar sem o peso de tantas as escolhas erradas que fiz no passado, ou as frustrações do futuro que um dia eu imaginei viver.

Quero levar apenas o presente comigo, aqueles pequenos segundos e momentos de simplicidade e beleza. E sem expectativas admirar o pôr do sol e ver a primeira estrela surgir no céu.

Me encantar com o brilho da lua, dançar com o vento a melodia das ondas do mar. Compartilhar com o Universo meus sonhos sem medo que eles pareçam bobos. Sentir minha alma tão leve que não tenho mais medo de abrir minhas asas e voar.

texto escrito por: Ariane Gisele Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

outubro 29, 2017

O começo do recomeço ...

| Arquivado em: CRÔNICAS & POESIAS

imagem: Shutterstock

Deixo frases soltas na areia, mesmo sabendo que logo o vento e as ondas vão apagá-las.
Fecho os olhos e recebo a chuva de braços abertos, as suas gotas frias se misturam com as lágrimas quentes que eu nem senti cair.

Páginas completas que não escrevi,
Figuras coloridas que perderão a cor,
Pedaços fragmentados de sonhos.

Pequenos fragmentos de sonhos.

Olho fotos antigas que não reconheço.
O reflexo no espelho revela várias histórias inacabadas à espera de um final feliz.
Um caos colorido que perdeu sua cor, se tornando frio e cinzento com um dia de inverno.

Meus pés correm sem sair do lugar,
Tropeço em obstáculos que criei,
Pedaços fragmentados do medo.

Pequenos fragmentos do medo.

Mas aprendi a enfrentar meus medos.
Ao final de cada história inacabada ganho um presente.
Uma nova página em branco.
Um novo quadro para preencher de cor.
Um começo, para um novo começo do recomeço.

Deixo frases soltas na areia,
Sou um caos de cores e tons de cinza.
Como histórias inacabadas que sempre começam a partir de um novo começo do recomeço.

Novo começo.
Recomeço...


texto escrito por: Ariane Gisele Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

junho 22, 2017

Começar tudo de novo

| Arquivado em: CRÔNICAS & POESIAS

imagem: Shutterstock

Olho para as palavras soltas esperando alguma delas ganhar sentido e explicar o que estou sentindo.

A minha volta há folhas pelo chão e uma mancha de tinta suja minha mão. E nesse pequeno caos que criei tento encontrar alguma resposta, para todas as perguntas erradas que fiz. Agarro uma única folha e saio correndo pela noite fria.

Corro sem perceber por qual direção meus pés me guiam...

Paro quando não consigo mais respirar e olho para o céu limpo só com a luz de algumas poucas estrelas. Aperto com mais força a folha em minha mão e percebo as lágrimas que silenciosamente caem.

É quando as palavras soltas começam a fazer sentido. Elas são fragmentos de esperança e fé perdidos. Traços de um desenho incompleto, da canção inacabada ... de um sonho deixado para trás.

Para trás ...

As palavras me confundiam por que elas não foram feitas para serem entendidas, eu precisava senti-las.

Volto correndo para o caos do qual eu tentei fugir e reencontro com minha esperança, minha fé e meus sonhos. O lugar que tudo era escuridão agora irradia luz. A luz por que estou de volta e não desisti.

Pego uma folha em branco e uma caneta azul e começo a escrever, a desenhar e a sonhar tudo de novo. De novo...

texto escrito por: Ariane Gisele Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

fevereiro 23, 2017

Minha Estrela

| Arquivado em: CRÔNICAS & POESIAS

imagem: Shutterstock

Perdi a noção do tempo deixando meus passos me guiarem em direção a qualquer lugar, ou talvez para lugar nenhum. Meus pensamentos se vão com a última luz do dia.

Caminho sem destino e sem olhar para trás deixando apenas pegadas na areia. É quando percebo o brilho solitário de uma estrela.

Tão solitária como eu.

Sentada na areia observo as ondas do mar, um o vento frio toca o meu rosto me lembrando de que preciso continuar em frente. Levanto e sigo meu caminho, algumas lágrimas teimosas insistem em cair. Agora não me sinto tão sozinha, a estrela brilha iluminando meu caminho.

Iluminando meu caminho.

Mas ao olhar para o céu vejo que não é apenas uma estrela que brilha para me guiar e sim o Universo inteiro.

Fecho mais o casaco para afastar o frio, um sorriso surgir em meu rosto. Pois sei que enquanto tiver a Minha Estrela nunca estarei sozinha. Só preciso ter fé e acreditar.

Que a estrela em mim vai sempre brilhar.

texto escrito por: Ariane Gisele Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

novembro 16, 2015

Palavras

| Arquivado em: CRÔNICAS & POESIAS

imagem: Tumblr.

Às vezes as palavras me fogem...
deixando mais do que apenas o vazio de uma página em branco.
Elas deixam pensamentos inacabados e planos incompletos.
Uma terrível sensação que estou perdida em uma escuridão sem fim.
... a sensação que estou tão incompleta como as frases que não termino.

Às vezes as palavras surgem tão rápidas e fortes como uma tempestade de verão.
Elas trazem confusão, medo, revolta.
...são vozes,
Minhas várias vozes que parecem renascer de algum lugar.

Minhas palavras querem desafiar o certo, querem discutir o incerto e navegar...
pelas águas tranquilas de poemas e contos de amor.
Elas querem dançar com o vento e criar pontes que me levem até as estrelas.
...e quem sabe assim, devolver um pouco a beleza e leveza ao mundo.

Elas constroem novos mundos,
Elas realizam sonhos,
Elas têm o poder de complicar e simplificar tudo.

Palavras, apenas palavras...

Às vezes me fogem,
Às vezes me arrebatam,
Às vezes me confundem,
Às vezes me despertam.

E mesmo perdida em meu vazio
Sozinha em meus muitos Universos paralelos e particulares.
Tudo o que me resta são elas...
...por que sou feita delas e elas fazem parte de mim.

Palavras, apenas palavras...

texto escrito por: Ariane Gisele Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

outubro 03, 2014

Dizendo Adeus

"Dizer adeus nunca é fácil, não importa as circunstâncias.
Ele é sempre definitivo...
Talvez por isso tenhamos tanta dificuldade de usar essa palavra, - adeus.

Será por esse motivo que somos tão apegados?
Aos sentimentos, pessoas e lembranças que às vezes só nos fazem mal.
Se desfazer de certas coisas é dolorido demais.
Caminhar sem olhar para trás sempre parece impossível...
mas há um momento em que a vida nos pede para dizer adeus.

Existem momentos em que as mudanças gritam que precisam acontecer,
Aquele minuto que tudo anda rápido demais e que o excesso de bagagem atrapalha e inevitavelmente, precisamos dizer adeus.

As pessoas que não significam mais em nada em nossas vidas,
Mas que mantemos pressas a nós, como fantasmas de momentos que não vão mais voltar.
A planos que não se concretizaram,
E sonhos em que o sentido de existirem já se perdeu.
Aos sentimentos que nos mantém parados e cegos em nosso próprio orgulho.

Tudo o que mesmo apertado, surrado e sem importância que ainda guardamos...
precisamos dizer adeus.

Não construímos um futuro, sem deixar o passado em paz.
Não começamos uma frase sem um ponto final.
Não aproveitamos o presente, quando todos os nossos pensamentos estão voltados a tudo aquilo que achamos que perdemos.

O mundo não para, enquanto nos lamentamos.
Ao contrário, tudo continua seguindo seu fluxo,
Tudo continua em movimento.

Por isso temos que andar mais leves,
E guardar conosco apenas aquilo, que um dia realmente fez diferença em nossas vidas.
Pois ela mesma se encarregará de preencher com bons e inesquecíveis momentos,
Os espaços que ao dizer adeus, - deixamos vazios."
imagem: Tumblr

texto escrito por: Ariane Gisele Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

setembro 11, 2014

Até as Estrelas


"Queria poder parar o tempo e acabar com os seus medos de ver,

Tudo o que ama e a si mesmo passar tão rápido...
Se transformando em fragmentos, lembranças que mesmo sendo doces machucam.

Queria poder construir uma ponte até as Estrelas
e de lá ...
se  jogar sem medo para a liberdade.

Queria não se sentir tão preso em sua própria rotina.
Nas preocupações que fazem com que o tempo e a vida...
escorram como a areia em suas mãos.

Será que consegue quebrar todas as suas correntes?

Talvez só precise tentar abrir as suas asas e voar o mais alto que puder.
Mais alto do que um dia imaginou chegar ...
mais alto do que seus sonhos alcançam.

E encontrar,
entre  a Lua e as Estrelas, o que deixou que se perdesse de si.
... sua fé.

Seis e cinquenta o despertador chama para mais um dia ...
Não importa o quanto a caminhada seja difícil,
E que por de trás do seu sorriso, esconda as suas lágrimas.

Quando perceber que está apenas em suas mãos transformar seu dia,
Construirá sua ponte até as Estrelas,
e finalmente estará livre...

Você precisa e sempre precisou de muito pouco para,ser feliz."
imagem: Tumbrl


texto escrito por: Ariane Gisele Reis.  ©  Todos os Direitos Reservados.

Instagram

© 2010 - 2021 Blog My Dear Library | Ariane Gisele Reis • Livros, Música, Arte, Poesias e Sonhos. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in