divagando - Uma estação chamada vida ...

09/05/2013


Aqui está ela novamente mais uma recém-chegada na estação da vida, na plataforma que a levará para sua próxima jornada, - a jornada de número vinte oito.

Nos minutos que antecedem à chegada de seu trem, ela olha com uma expressão perdida as estações pelas quais passou. O sentimento é uma nostalgia doce com um toque amargo, afinal remexer em certas lembranças nem sempre trazem coisas boas.

Ela se estica e observa lá longe as primeiras plataformas pelas quais passou. Como essas passaram rápido, - ela reflete. Gostaria de ter aproveitado melhor as estações seis, sete, oito (...), mas quando se está nelas preocupações como, passado e futuro simplesmente não existem. Existe apenas o presente.

Observando mais atentamente ela vê os passageiros que seguem para o embarque das jornadas dezesseis, dezessete, dezoito (...). Ah! Quantos sonhos e doces ilusões essas estações trazem. Aquela falsa sensação que o tempo é infinito, que o passado é apenas o passado e o futuro um mero detalhe.

Ela dá um sorriso tímido ao se lembrar de seus devaneios, e agradece silenciosamente o fato de que a grande maioria deles não deu muito certo. Afinal será que ela estaria onde está, e teria conquistado tudo que conquistou se insistisse naqueles sonhos tolos? Não, com certeza não.

Agora seu olhar está focado nas plataformas vinte, vinte uma e vinte três. Como as melhores jornadas da sua vida podem ser os piores ao mesmo tempo?  Definitivamente a vinte dois não deveria ter existido. Ela foi dolorosa demais, ninguém deveria dar um adeus definitivo a quem ama. Mas foi nessas estações que ela descobriu o que queria ser quando crescer e aprendeu que por detrás da tempestade, sempre tem um céu azul.

Enquanto ela se recordava de todos seus planos feitos, desfeitos e reconstruídos se dá conta de como mudou e de quanto ainda precisa crescer. É nesse momento que seu trem chega à estação da vida, ao mesmo tempo em que o trem da trinta. Um lembrete sutil que agora os dias vão correr mais rápido e que o amanhã é hoje, por isso ela não pode mais deixar de lado seus sonhos mesmo aqueles que parecem impossíveis agora.

A porta do trem se abre e lá dentro, ela encontra com pessoas que ama, com aquelas que precisa ter paciência e claro, sempre tem um ou outro desconhecido que terá um papel importante em sua nova jornada. Pois ela sabe que em muitos momentos vai
querer desistir, vai se sentir fraca e incapaz para continuar, e é por isso que Deus sempre coloca essas pessoas no seu trem. Para lembrá-la constantemente que ela é capaz sim e que vencer, sofrer, chorar e sorrir faz parte da vida. Nós só crescemos no atrito, lembra?

Ela pode não ser mais a mesma garotinha que acreditava em Papai Noel, tão pouco é a rebelde que ouvia heavy metal e queria ter sua banda. Sim ela ainda terá seus momentos de devaneios, medo e insegurança. Ah! Insegurança (...) ela sempre será um obstáculo a ser vencido. Porém agora ao desembarcar na estação da vida número vinte e oito, vendo o trem da trinta passando rapidamente virando a curva, ela percebe que não importa muito os tropeços que teve nas jornadas passadas. Claro alguns deles ainda doem, mas se não fosse por eles, ela não seria tão forte como é hoje. Então até que valeu apena sair com algumas cicatrizes.

Ela olha a sua volta e percebe o quanto está rodeada de amor, e que se a felicidade não é eterna a tristeza também não é. A saudade de quem ficou pelo caminho sempre será uma companhia silenciosa, mas as pessoas podem até partir de nossas vidas só que nunca de nossos corações. Neles elas são eternas!

Ela respira fundo e faz um pedido para os céus a brisa toque de leve o seu rosto e aquele sorriso tímido está novamente ali (...)

(...) A vida é um grande estação, cheia de estações secundárias por onde passamos. Cada uma nos marca de maneira diferente. Cada uma nos muda de alguma forma. Cada uma nos ensina uma nova lição. Vinte oito jornadas é só o começo para quem tem dentro de si, sonhos, objetivos e ideais do tamanho do cosmo. Só é preciso dar o primeiro passo.


imagem: Tumblr





Texto por Ariane Reis  Copyright Todos os direitos reservados a Ariane Reis.

Comentários via Facebook

19 comentários:

  1. Sempre é preciso dá o primeiro passo, e concordo plenamente, a insegura " Ah! Insegurança (...)". Não tem jeito, me identifiquei, sou um pouco dela, sou um pouco até mesmo de todo o texto. Adorei, viu?!
    Clicando Livros
    Beijão *-*

    ResponderExcluir
  2. Gente! E que texto! Parabéns!

    Venha visitar meu blog sobre livros e series: www.culturaviciante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa lindo,bem atrativo e maravilhoso,me prendeu de início ao fim.Acho que poderia fazer um livro...ficarei à espera de cada divulgação de textos ^^.Ficou realmente maravilhoso,tem certas pessoas que tem talento rsrsr,adorei.
    Tem Tag para tu lá no blog (=
    ps:Me desculpe a demora de passar aqui,mas estudo agora o dia todo e também ando com probleminhas pessoais...mas agora voltarei sempre que tiver novas postagens.
    bjus e participe
    http://www.de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/2013/05/tag-preguica.html

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da sua metáfora *O* Passamos por muitas fases, muitas plataformas, e cada uma delas vai nos moldando da forma que achamos melhor. E nunca é tarde para pegar um novo trem ;}

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Fugiu completamente do tema do blog, mas o texto ficou ótimo
    »»» Emilie Escreve

    ResponderExcluir
  6. Você que escreveu o texto? Ficou lindo, não sabia que você escrevia. Enquanto lia, fiquei imaginando a minha vida e todas as estações. Muito bom para refletir.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Que texto maravilhoso. Muito reflexivo, parabéns pelo trabalho.
    Realmente a vida é uma estação...

    Beijos
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir
  8. A vida passa muito depressa, e o trem não espera.

    ResponderExcluir
  9. Amei quando você fala que "se a felicidade não é eterna a tristeza também não é." Isso é uma verdade que muita gente se esquece. Tem gente que quando tá na pior fica super mal, achando que é castigo e tal. Mas é nesses momentos que nos engrandecemos =D E essa foto que vc escolheu é mt reflexiva. Amei

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Ane, como já disse antes, adorei o texto, muito lindo, divague sempre para a gente, eu estou passando pela estão vinte e sete...quem diria parece que foi ontem que estava entrando na estação dezoito...a vida passa muito rápido, temos que aproveitar e procurar fazer o melhor...

    BjOs!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Nossa que texto lindo,
    Não tinha lido nenhum texto seu assim.. Parabéns, você tem o dom raro da escrita. Gostei muito e queria poder ter esse talento.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ane, acho que já comentei que adoro esses devaneios, né?
    E ainda mais com um texto tão melancólio, saudoso e ao mesmo tempo esperançoso quanto ao que ainda há de vir. Analogias sempre me encantam, e você fez de uma maneira bela e doce ;) Lindo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Ane!
    Gostei do texto! <3
    Ficou melancólico, nostálgico e sutil. Durante a leitura, peguei-me refletindo sobre algumas coisas.
    E mostra também um lado esperançoso sobre o que ainda virá a acontecer. (:
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  14. Olá.
    Adorei, adorei, adorei. Já estou quase chegando a estação de número vinte, muito triste UAHSUAHSUA Adorei, muito lindo mesmo, Ane.

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing

    ResponderExcluir
  15. Ane, foi você que escreveu esse teto? Ficou LINDÍSSIMO! *-*
    Sempre é preciso seguir em frente, assim como trem segue seus trilhos. Sempre é preciso acreditar que você vai alcançar o que quer. :)

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  16. Que lindo!
    A vida realmente me parece bem assim!
    Beijos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  17. Oi Ane!
    Adorei o texto, super lindo e bem desenvolvido.
    Quando eu era mais nova achava que ter 20 anos era tudo na vida HAHAHA... não via a hora de chegar aos 20
    Se eu pudesse voltava algumas estações atrás, viu? AHAHAHHA

    tenha uma ótima quarta
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  18. Que ótima reflexão. É o que venho falando as vezes, hoje os 30 é os novos 15. Infelizmente quem nasce pobre por aqui até conquistar as coisas honestamente é lá pra essa idade mesmo, até mesmo quem tem dinheiro as vezes, a diferente que recursos ajuda a fluir melhor pela parte chata, terminar facul cedo, começar um bom emprego cedo e bla bla. O importante é isso, saber que há muito tempo e coisas a serem feitas.

    \o/ parabéns

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por