Ligeiramente Casados por Mary Balogh.

01/02/2015

| Arquivado em: Resenhas.
Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788580413212
Editora: Arqueiro
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 288
Classificação: Muito Bom
Sinopse: Os Bedwyns - Livro 01. À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse – “Custe o que custar!”. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança.  Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...

Uma rápida lida na sinopse de Ligeiramente Casados da autora Mary Balogh, nos faz pensar que ele é mais um daqueles típicos romances água com açúcar. E mesmo que a sua narrativa em alguns momentos possua esses elementos açucarados que tanto amamos, nela também existem pequenos detalhes que a diferenciam dos romances tradicionais. Detalhes esses que fazem a leitura ser encantadora.

O enigmático coronel lorde Aidan Bedwyn aprendeu desde cedo que a honra é uma das maiores virtudes de um homem. Por esse motivo ele se mantém fiel a sua palavra dada nos últimos momentos de vida do capitão Percival Morris. Assim que chega à Inglaterra ele parte imediatamente em direção ao Solar Ringwood, a fim de dar pessoalmente a triste noticia para irmã do capitão, a jovem Eve Morris. Porém Aidan mal podia imaginar que sua a “missão” estava apenas começando. Logo o coronel descobre que Eve está prestes a perder o Solar e sua fortuna deixando ela e todos que dela dependem sem nada. Nesse momento ele finalmente começa a entender o sentido de sua promessa, – “Custe o que custar!”.

Como a única solução para que Eve e seus dependentes não acabem na miséria é ela se casando, Aidan lhe propõem um casamento por conveniência. Afinal desse modo não somente ela continuará com sua casa e fortuna, como ele  permanecer fiel à promessa que fez ao finado capitão Morris. Só que quando Wulfric Bedwyn, duque de Bewcastle e irmão mais velho de Aidan descobre o “secreto” enlace matrimonial do coronel, ele exige que Eve seja devidamente apresentada à alta-sociedade como a nova integrante da família Bedwyn. E Wulf Bedwyn não está acostumado a ser contrariado.

Agora Aidan e Eve terão que conviver sobre o mesmo teto por mais tempo do que o originalmente planejado pelos dois. Será que Eve Morris, que até poucas semanas era apenas a modesta filha de um mineiro bem sucedido conseguirá sobreviver a todas as exigências e expectativas que recaíram sobre ela? E até quando o coronel Aidan Bedwyn permanecera imune aos encantos de sua obstinada esposa? O que começou como uma simples conveniência pode estar prestes a mudar suas vidas para sempre.

Mary Balogh criou um enredo em que temos dois personagens fortes que não estão dispostos a abrir mão dos seus ideais. Tanto Eve como Aidan são muito fieis as pessoas que amam e a seus objetivos, o que faz com que em muitos momentos os seus interesses sejam opostos. Por mais que a história tenha um toque de conto de fadas, a lá Cinderela em muitos momentos a autora coloca o romance em segundo plano, relatando com detalhes a rotina e os costumes do povo inglês do século XVIII. E é justamente nesse ponto que a narrativa da autora se diferencia de que normalmente encontramos nos livros no gênero.

Sai o humor presente nos livros da Julia Quinn e o clima de sedução dos livros da Madeline Hunter, e entra em cena uma história mais “madura”. Acredito que é esse toque de “realismo” presente na trama que a torna mais envolvente.  Aqui tudo acontece com muita leveza e mesmo que a primeira vista os personagens pareçam um pouco frios e distantes, você se vê envolvido de tal forma com a história que acaba sofrendo e torcendo por eles.  De verdade, não esperava me emocionar tanto com Ligeiramente Casados como me emocionei.  Ela foi realmente foi o tipo de leitura que me deixou com aquele gostinho de “quero mais”.

“Talvez o presente fosse tudo o que importava. Talvez fosse tudo o que qualquer um pudesse esperar. Talvez o amanhã fosse uma ilusão que nunca chegasse.”

Mesmos fugindo um pouco dos romances convencionais, Ligeiramente Casados nos presenteia com sua narrativa leve e delicada. Os românticos de plantão vão ficar apaixonados pela bela história de Eve e Aidan. E para quem é um pouco emotivo assim com essa que vos escreve, aconselho deixar os lencinhos preparados, afinal você pode acabar precisando deles.  Fica a dica!

Comentários via Facebook

15 comentários:

  1. Ane linda, eu olho para esse livro e tenho vontade de abraçar até esmagar o pessoal da Arqueiro que me deu esse presente, secava esse livro desde que vi e acompanhei no face a saga para publicá-lo aqui na nossa terrinha e como você frisou a editora ta apostando em um enredo bacana para suas histórias e cada autora cria um diferencial, umas com mais humor como a Quinn, outras com mais realidade como a Balogh, mas não importa, quero conhecer todas!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Já estou com ele na estante e mal posso esperar para poder lê-lo! Mesmo que não sejam tão engraçados quantos os da Quinn.
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  3. Oi Ane!
    Adorei a dica! Eu nunca li nenhum romance histórico, e gostei das "desventuras" que permeiam o casamento da Eve e do Aidan. Parece ser encantador ver como os personagens vão começar a se relacionar.
    Beijos,

    Priscilla
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Nunca li livros nesse estilo mas gostei MUITO da resenha!!
    Beeeeijos
    Gio - Clube das 6
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Gio =)

      Leia sim! Romances históricos são maravilhosos *---*
      Ah! Tentei comentar no seu blog, mas sempre tentava enviar o comentário dava erro =/
      Adorei seu cantinho ^^


      Beijos;***
      Ane Reis.


      Excluir
  5. Só com o que vc disse que ele tem seu diferencial no romance já me interessei por esse livro. Eu adoro romances, mas adoro mais aqueles que mesmo tendo toda aquela fofura que a gente gosta tem alguma coisinha amais, adorei a indicação.
    http://teoremademari.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Ari. Tudo bem?
    Estou louca para começar a ler romances históricos, mas ainda não tenho nenhum livro do gênero. Sobre Ligeiramente Casados, eu já tinha visto a capa em alguns lugares, mas essa é a primeira resenha que leio. Gostei bastante da história e, pelo que você disse, a autora soube explorar bem cada elemento.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
  7. Oii
    Antes de ler a resenha eu realmente achava que esses livros eram uma espécie de romance alá Nicholas Sparks só que em outra época. Bom saber que eles tem um algo a mais que os destaca dos romances normais!

    Beijos
    O Outro Lado da Raposa

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    nossa estou mega curiosa para ler este livro.
    Vi muitas pessoas falando bem.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  9. Realmente a capa passa a impressão de ser apenas "mais um". É bom saber que esse pelo menos tem um conteúdo diferente. A capa é linda e eu leria ele agora, se não fosse livro de serie.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi Ane, tudo bom?
    Eu adoro romances de época e mês passado li meu primeiro livro da Julia Quinn. Você falou que essa trama é mais madura e isso me deixou ainda mais interessada por esse livro. Acredito que vou curtir o casal e já estou com Ligeiramente Casados há um tempinho na minha lista de desejados. Não garanto que vou me emocionar, mas sei que vou ser cativada pela narrativa.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Já vi algumas resenhas sobre esse livro e todas positivas, mas não sei se leria, já que não curto romances de época.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com
    facebook/resenhaeoutrascoisas

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pela resenha Ane! Estou ansiosa para ler Ligeiramente Casados! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ane!
    Eu não sabia se devia ler ou não este livro. A sinopse ainda não havia me convencido, sabe? Por sorte, li sua resenha agora e quero lê-lo. Parece ser um romance muito bom e é bem provável que eu curta. Sem esquecer que adoro um bom romance de época.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Ariane

    Acredito que alguns leitores estavam bastante acostumados com o tom mais divertido dos livros da Lisa Kleypas e da Julia Quinn e acharam esse livro mais "maduro" não tão bom. Li muitas resenhas falando que a história não era tão envolvente e chegava até a ser cansativa. Acho que o problema de quem não gostou era o fato de estar procurando algo que tinha encontrado nos outros históricos e esse parece ser bem mais real.
    Adoro romances de época e quero ver essa história de perto.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir

My Dear Library • Todos os Direitos Reservados • Copyright © 2010 - 2017 • Powered by Blogger • Design por Ariane Reis • Desenvolvimento por