Sponsor

Mostrando postagens com marcador Cecelia Ahern. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cecelia Ahern. Mostrar todas as postagens
junho 08, 2015

A Lista por Cecelia Ahern

| Arquivado em: Resenhas.

Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788581636832
Editora: Novo Conceito
Ano de Lançamento: 2015
Número de páginas: 384
Classificação: Muito Bom
Onde Comprar: Submarino.
Sinopse: Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente. Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.
Alguns livros chegam arrebatadores e nos conquistam logo nas primeiras páginas, enquanto outros chegam de mansinho, cativando ao poucos para no final nos presentear com uma linda história. A Lista da autora Cecelia Ahern é um desses livros, que nos envolve aos poucos e quando nos damos contas já estamos completamente encantados.

Acredito que não preciso entrar em muitos detalhes do que se trata a história, visto que a sinopse já “antecipa” algumas coisas importantes. Por isso nessa resenha, vou dividir com vocês apenas as impressões que tive durante a minha leitura.

Confesso que até o capitulo dezesseis fiquei com aquela duvida se gostaria ou não do livro. A narrativa aqui é como um grande quebra-cabeça, em que você só consegue vislumbrar toda a beleza da obra quando a conclusão está próxima.  O fato de a Kitty ser uma personagem um tanto “peculiar” também não ajuda muito você se apaixonar a primeira vista pela história. Em determinadas situações o comportamento da protagonista chega a ser egoísta e imaturo. O que me fez pensar em diversos momentos que de certa forma ela “merecia” estar passando por todas aquelas dificuldades. 

Porém, A Lista não é somente uma história sobre Kitty Logan.  Conforme ela vai encontrando as pessoas da relação que Constance deixou, sua história se mescla com a desses desconhecidos, fazendo com que ela se torne uma mera coadjuvante. São todas pessoas simples que não tinha nada em comum, mas que por de traz de sua simplicidade escondiam histórias especiais.  Narrativas cheias de sonhos, segredos, medos, decepções e conquistas.

E foi por esse pequeno detalhe que a história acabou me cativou tanto. Pois ela nos mostra de uma forma muito singela o quanto tudo e todos nós estamos de alguma forma conectados. Cecelia Ahern construiu uma trama que evolui aos poucos, e que no decorrer de cada capítulo nos leva a refletir sobre a nossa própria vida. Esse é aquele tipo de livro que faz com que repensemos as nossas escolhas e acima de tudo, e que nos leva a ser perguntar até que ponto nós somos capazes de perdoar o próximo e principalmente a si próprio.

E mesmo que no principio a Kitty não tenha conquistado a minha simpatia, conforme a narrativa foi evoluindo, comecei a torcer de verdade para que tudo acabasse bem para ela no final. Por que, A Lista nos fala justamente de pessoas reais. De pessoas com eu, você e a Kitty, com seus defeitos e qualidades, cada uma tentando a sua maneira sobreviver e encontrar um pouco de felicidade no mundo.

Talvez esse não seja o melhor livro que você vá ler na sua vida. E sim, - o começo é um lento e mil perguntas vão se passar pela sua cabeça. Mas, eu garanto que se você der uma oportunidade e abrir o seu coração, vai muito valer a pena.

“Todo indivíduo em qualquer parte do mundo tem uma história extraordinária para contar. Talvez pensemos que somos pessoas comuns, que nossa vida é entediante (...). Mas a verdade é que todos nós fazemos coisas fascinantes, admiráveis e das quais deveríamos sentir orgulho”.

Com uma delicadeza incrível Cecelia Ahern teceu os fios de uma história que poderia ser de qualquer um de nós. Com seus bons e maus momentos, mas de uma beleza única. Recomendo!

fevereiro 05, 2015

Simplesmente Acontece por Cecelia Ahern

| Arquivado em: Resenhas.

Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788581635453
Editora: Novo Conceito
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 448
Classificação: Ótimo
Sinopse: O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas? Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.

Confesso que após a leitura de P.S Eu te Amo da Cecelia Ahern ter sido digamos, uma leve decepção acabei ficando com receio de ler os demais livros da autora (me julguem). Porém, como senti meio que um certo amor à primeira vista quando assisti o trailer de Simplesmente Acontece, resolvi dar uma segunda chance para a autora. E não é que me surpreendi? Que história mais gracinha gente! Fiquei completamente apaixonada ().

Rosie Dunne e Alex Stewart são inseparáveis desde sempre. Porém quis a vida pregar uma peça nos dois, quando repentinamente o pai de Alex consegue o emprego dos sonhos forçando a família a se mudar para os Estados Unidos. Mas mesmo tendo um oceano entre eles, a amizade de Rosie e Alex se manteve forte, como se o fato de cada um morar em um país diferente fosse meramente um pequeno detalhe.

Através de cartas, emails e mensagens de textos cada um vai acompanhado os percalços da vida do outro. Rosie e Alex aprendem a lidar com a distância, pois eles contam com o apoio um do outro, - sempre ou quase sempre.  Só que existiam muitas coisas não ditas entre os dois, e conforme os anos se passavam coloca-las em voz alta ficava mais complicado. Conforme o tempo passa, eles finalmente entendem que coisas mais importantes de nossas vidas, não são ditas com palavras. Às vezes você precisa parar por alguns instantes e ouvir o silêncio.

Acredito que já deu para perceber que tenho um carinho especial por livros que são narrados através de cartas, emails e coisas do tipo. Por mais que a história não tenha diálogos propriamente ditos, quando o autor consegue trabalhar bem essa dinâmica de troca de mensagens a trama pelo menos em minha opinião fica mais especial. Em Simplesmente Acontece à autora Cecelia Ahern, consegue passar a cada novo email, carta ou uma simples mensagem todos os sentimentos de seus personagens.  Senti em vários momentos que aquelas mensagens eram destinadas a mim, por que algumas situações vividas tanto pela Rosie como pelo Alex são comuns e pessoais demais. Você pode até não se identificar com a história toda em si, mas em algumas passagens é impossível não ficar um pouco nostálgico.

Fazia muito tempo que não sentia tanta empatia por uma personagem, como eu senti pela Rosie. Só não marquei o livro como favorito por conta dos momentos de raiva que passei. Sério, sei que a vida nem sempre é “justa”, mas meu coração ficou partido várias vezes durante a leitura.  Chorei por tudo que dava errado e por tudo dava certo. Era como se eu tivesse em uma montanha russa de emoções. A cada novo capítulo, a cada nova mensagem era um sentimento novo.

Cecelia Ahern escreveu uma história tão linda, que quando finalizei a leitura fiquei me perguntando como será que a Rosie e o Alex estão hoje. Ficou um vazio sabe? Acompanhei cinquenta anos da vida deles, os conheço melhor do que algumas pessoas próximas e eles “partem” se ao mesmo me dizer um até logo (...). Ainda estou me recuperando dessa não despedida (suspiros).

“... espere pelo inesperado pelo menos uma vez. Talvez desta vez você não sofra um choque tão grande quando vir que as coisas não aconteceram do jeito que você esperava.”

Com personagens cativantes, Cecelia Ahern presenteia o leitor com uma história divertida e emocionante, que nos leva a refletir a importância de aproveitar cada oportunidade que temos na vida. Afinal, ela é uma sucessão de maus e bons momentos que, -“simplesmente acontecem”. Recomendo!

outubro 07, 2012

P.S Eu te Amo por Cecelia Ahern


P.S Eu te Amo por Cecelia Ahern.

ISBN: 9788581630625
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Número de páginas: 368
Classificação: 3/5 estrelas
Onde Comprar: FNAC, Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Livraria da Travessa, Submarino - Compare os Preços

Sinopse:

Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas nas quais Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.





Assim como todo mundo que assistiu ao filme, quando soube do lançamento de P.S Eu te Amo pela editora Novo Conceito fiquei ansiosíssima para ler o livro, me emocionar e encantar novamente com a linda história de Gerry e Holly. Porém, infelizmente vou ter que admitir que, o filme funcionou muito melhor comigo. Sim vocês acabaram de ler exatamente isso: “o filme funcionou muito melhor comigo”.

Eu sempre acabo achando ao contrário que os livros são melhores que os filmes e tudo mais. Só que mesmo P.S Eu te Amo sendo um livro realmente lindo, eu não consegui me emocionar tanto com a sua leitura, como me emocionei assistindo o filme. Acredito que grande parte disso se de pelo fato dê que não consegui me identificar em momento algum com a Holly, mas antes que alguns de vocês me joguem pedras deixe-me explicar minhas razões.

Já perdi alguém que amava muito e nem por isso eu fique em casa sentindo pena de mim mesma. Tudo bem, Gerry era o grande amor da vida dela e claro que dói, mas em meu ponto de vista é muito egoísmo da parte dela desistir de viver, enquanto ele lutou até o final. E se não bastasse isso, ele ainda se preocupou em deixar uma espécie de “10 mandamentos” para que ela conseguisse viver sem ele. Sim realmente muito romântico e bonito, porém mesmo essa atitude protetora de Gerry me fez gostar da Holly. Não consigo aceitar o fato de uma pessoa ser tão dependente de outra para tomar decisões simples na vida. Desculpe-me, mas simplesmente não consigo.

Gente não que eu seja insensível, quem me conhece sabe que eu choro vendo comercial de TV, só que o livro não me convenceu como romance. Na verdade ele me passou a sensação de ser um livro mais sobre o valor da família e da amizade do que romance em si. Não que eu não tenha me emocionado claro que me emocionei, porém, por mais que houvesse momentos em que meus olhos ficassem marejados, eu simplesmente não consigo suportar pessoas que ficam inventando desculpas e se lamentando o tempo todo para não enfrentar os problemas.  E a Holly de encaixa bem nesta descrição.

A parte boa é que o livro não fica focado apenas em Holly e sua viuvez. A narrativa conta com momentos engraçados e divertidos, que ficam por conta da grande e barulhenta família de Holly. Não sei, mas pelo menos para mim o livro teria funcionado melhor se a autora tivesse dado uma importância maior a esses momentos e para alguns personagens com Jack, irmão mais velho de Holly, ou para o próprio pai dela. A participação destes personagens me soou vaga demais. O mesmo não posso falar da irmã caçula de Holly, Ciara uma das melhores personagens do livro, em minha opinião.

As melhores amigas de Holly também se destacam bastante. Sharon merece o "prêmio Nobel da paciência", por que dificilmente algumas pessoas teriam a paciência que ela teve com a Holly em certas ocasiões. Já para Denise a vida era uma constante festa, só que por mais que ela parecesse uma pessoa egoísta e superficial, em muitos momentos era a sua personalidade mais “controlada” que mantinha o clima e o ritmo de leitura agradável.

Eu gostei bastante do livro em si, porém eu esperava algo a mais e, essa expectativa infelizmente não foi atingida. A história no geral é bonita, leve, meiga e descontraída, só que no requisito romance e emoção ele deixou muito, mas muito a desejar. Um fator bem positivo, é que o final não é muito clichê e isso me surpreendeu bastante. Não me arrisco a dizer que é visível o amadurecimento da personagem principal, mas você consegue perceber que ela está caminhando para isso.

Embora não tenha chorado rios durante a leitura como chorei assistindo ao filme, P.S Eu te Amo foi uma leitura agradável, e consegui fazer com que ao longo de todo o livro eu de certa forma me envolvesse com a história e me senti-se próxima dos personagens. O que é mais um ponto positivo para a autora Cecelia Ahern.

O livro pode não ter entrado para os meus favoritos, mas é uma leitura que eu indico para quem está à procura de um livro doce na medida certa. Vale apena!


Instagram

© 2010 - 2021 Blog My Dear Library | Ariane Gisele Reis • Livros, Música, Arte, Poesias e Sonhos. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in