Sponsor

Mostrando postagens com marcador A.G. Howard. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador A.G. Howard. Mostrar todas as postagens
março 06, 2017

Sussurros do País das Maravilhas por A.G. Howard

| Arquivado em: RESENHAS.

ISBN: 9788581634937
Editora: Novo Conceito
Ano de Lançamento: 2017
Número de páginas: 272
Classificação: Ótimo
Sinopse: Splintered - Livro 3.5
Alyssa Gardner entrou na toca do coelho para assumir o controle do seu destino. Ela sobreviveu à batalha pelo País das Maravilhas e pelo seu coração. No conto O Menino Na Teia, a mãe de Alyssa relembra o período em que viveu no País das Maravilhas e resgatou o homem que se tornaria seu marido e pai de sua filha. No A Mariposa No Espelho, conhecemos as lembranças de Morfeu, de quando ele mergulhou nas memórias de Jeb para descobrir os segredos dele e tentar ganhar, de uma vez por todas, o disputado coração de Alyssa. No Seis Coisas Impossíveis, Alyssa revive os momentos mais preciosos de sua vida após Qualquer outro lugar, e sobre o papel mágico que desempenhou para preservar a felicidade daqueles que ela ama. Neste livro você encontrará três contos de lembranças inéditas e inesquecíveis. Junte-se novamente aos personagens da série O Lado Mais Sombrio e embarque no fantástico mundo do País das Maravilhas.

Se despedir de personagens que aprendemos a amar é sempre difícil. Quando finalizei a leitura de Qualquer Outro Lugar meu coração ficou apertado por saber que ali se encerrava a história de Morfeu, Alyssa e Jeb. Mas para minha felicidade e todos os fãs da série Splintered, a autora A.G. Howard nos presenteou com três contos lindos, que nos levam novamente pelas paisagens caóticas e belas do País das Maravilhas.

Contém spoilers dos livros anteriores. Se não quiser colocar sua conta em risco pule seis parágrafos a partir de agora.

Em os Sussurros do País das Maravilhas, A.G. Howard preencheu as lacunas que os livros anteriores da trilogia haviam deixado, ao mesmo tempo em que nos apresentou fatos citados pela perspectiva de outros personagens. Algo que essa blogueira que vos escreve, sempre acha super válido em qualquer série, principalmente quando ela é narrada em primeira pessoa.

No primeiro conto O Menino Na Teia, conhecemos melhor o passado dos pais da Alyssa. Narrado pelo ponto de vista de sua mãe Alison, esse conto nos revela o passado triste e solitário da personagem. Através de O Menino Na Teia entendemos melhor algumas decisões que a Alison tomou no decorrer de sua vida, e acima de tudo vemos como o amor foi sua maior motivação a cada escolha feita.

A Mariposa No Espelho foi um conto originalmente lançando em e-book entre o primeiro e segundo livro, mas que eu não tinha lido ainda. Nele ao contrário do que se espera temos muito pouco de Morfeu () e muito de Jeb, o que não nego que foi um pouquinho "frustrante". Tipo eu amo o Jeb também, mas Morfeu é sem sombra de dúvidas o meu personagem favorito na trilogia.

Nesse conto Morfeu visita as memórias de Jeb na tentativa de encontrar um ponto fraco no rival. Porém ele só encontra bondade no rapaz. O mais interessante aqui foi reviver os acontecimentos de O Lado mais Sombrio pelos olhos de Jeb. Isso fez com que a minha admiração pelo personagem ficasse ainda maior. E sim não nego que nos primeiro livros eu tinha uma certa “birra” com ele, mas aos poucos Jeb foi provando seu valor e conquistando um espaço em meu coração.

Já o conto Seis Coisas Impossíveis vez meus olhos se encherem de lágrimas várias e várias vezes. Relatando os fatos que aconteceram após Qualquer Outro Lugar, aqui somos levados pelas lembranças de Alyssa, aos anos de felicidade e amor que ela compartilhou com Jeb. Depois que os anos da vida mortal da protagonista vão chegando ao fim, ela enfim volta para o País das Maravilhas, para o seu reino e principalmente para os braços de Morfeu.

E é justamente esse pequeno detalhe que torna a série Splintered tão maravilhosa e original. A.G. Howard construiu sua história de tal forma que todos tiveram a oportunidade de ter seu final feliz. Jeb que passou sua vida mortal inteira ao lado de sua amada, e Morfeu que anos depois foi recompensado por sua paciência reinando ao lado de Alyssa no País das Maravilhas.

Foi simplesmente lindo reencontrar com personagens que ao longo de três livros me fizeram sofrer e torcer por eles. Fiquei realmente emocionada ao ler Sussurros do País das Maravilhas, pois ele me deixou com aquele toque de saudades e uma nostalgia gostosa que me fez querer reler a trilogia novamente.

“E, caso você não tenha entendido, pense nisso: qualquer interpretação pode ser alterada simplesmente olhando-se para as coisas de outra forma, de ângulos mais coloridos ...”.

A.G. Howard deu aos fãs de sua série um presente lindo e delicado que ficará por muito tempo no coração de seus leitores. Se você ainda não leu a trilogia Splintered, sugiro que faça isso imediatamente ()!

junho 16, 2016

Qualquer Outro Lugar por A.G. Howard

| Arquivado em: RESENHAS.

Este livro foi recebido como
cortesia para resenha.
ISBN: 9788581638300
Editora: Novo Conceito
Ano de Lançamento: 2016
Número de páginas: 416
Classificação:
Sinopse: Splintered - Livro 03.
Alyssa está tentando entrar novamente no País das Maravilhas. Os portais para o reino se fecharam, não sem antes levarem sua mãe. Jeb e Morfeu estão presos em Qualquer Outro Lugar, reino em que intraterrenos expulsos do País das Maravilhas estão vivendo. Para resgatá-los, ela precisa recorrer à ajuda de seu pai. Juntos, eles iniciam uma missão quase impossível para tentar resgatar entes queridos, restaurar o equilíbrio dos reinos e o lugar dela como Rainha. Alyssa precisa lutar não só com a Rainha Vermelha, um espírito malicioso que tem a intenção de refazer o País das Maravilhas à própria imagem, mas também reconstruir seu relacionamento com Jeb, o mortal que ela ama, e Morfeu, o ser fantástico que também reivindica seu coração. E, se todos tiverem sucesso e saírem vivos, eles poderão finalmente ter o felizes para sempre.

Tem aquele tipo de livro que você vai lendo em “doses homeopáticas”, por que sabe o quão difícil será dizer adeus aos seus personagens favoritos. Não é a primeira vez que isso acontece comigo e sei que não será a ultima. Adiei o máximo que pude a leitura de Qualquer Outro Lugar, livro que encera a série Splintered da autora A.G. Howard. Desejei que o livro tivesse mais páginas, porém tudo que é bom tem a tendência de sempre terminar rápido demais.

A própria sinopse já dá alguns spoilers, mas quem preferir pode pular dois parágrafos.

Depois do desastre ocorrido no baile de formatura, Alyssa precisa correr contra o tempo para colocar tudo em seu devido lugar e principalmente, salvar aqueles que ama. Porém antes de tudo ela terá que encontrar um modo de entrar novamente do País das Maravilhas, agora que todos os portais para o reino estão fechados. Só que antes ela precisa  contar a verdade para o seu pai, e junto com ele partir para Qualquer Outro Lugar, resgatar Jeb e Morfeu que estão presos nessa terra perigosa onde os intraterrenos expulsos do País das Maravilhas vivem. 

Mas salvar seus entes queridos e restaurar o equilíbrio no reino que aprendeu a amar, se mostra uma tarefa mais difícil do que Alyssa imaginava. Pois além de derrotar a terrível Rainha Vermelha, que tem planos nefastos para o País das Maravilhas, ela tem que encontrar meios de salvar seu relacionamento com Jeb, ao mesmo tempo em que lida com seus reais sentimentos por Morfeu.  Conseguirá Alyssa em meio a tudo isso derrotar a Rainha Vermelha, e reconstruir seu lar intraterreno e salvando todos que nele vivem? Ao final as escolhas de Alyssa serão decisivas, não apenas para salvar o País das Maravilhas, mas para salvar a si mesma.

De todas as séries que acompanho (e não são poucas), a série Splintered é aquela em que foi mais visível ver o quanto a escrita de sua autora evolui. A.G. Howard nos apresentou uma releitura de um clássico dando a ele um tom mais sombrio, sem que em momento algum a magia presente no original fosse perdida. Já comentei aqui no blog que não sou uma “grande fã” da obra de Lewis Carroll, mas através da narrativa de A.G. Howard me apaixonei pelo País das Maravilhas.

Outro ponto que me agradou muito em Qualquer Outro Lugar, foi perceber o amadurecimento dos personagens. Alyssa aprendeu com seus erros no passado e finalmente entendeu que as necessidades dos outros vem antes das suas indecisões amorosas. O mesmo aconteceu com o Jeb, que aqui ganhou um foco mais individual em que foi possível conhecer melhor o personagem. Confesso que sou #teamMorfeu, porém foi impossível para essa que vos escreve não se encantar com a lealdade  e coragem de Jeb nesse livro. E isso foi uma surpresa maravilhosa, visto que nos livros anteriores eu tinha desenvolvido uma certa “antipatia” por ele.

Gostei muito do modo como mais uma vez a autora soube explorar o passado dos personagens, em especial do pai da Alyssa e da Rainha Vermelha. Isso não somente torna a história mais ampla, como também faz com que as motivações dos personagens pareçam mais claras.  A.G. Howard soube conduzir a sua trama sem deixar que em momento algum ela perdesse o ritmo, muito pelo contrário. A cada capitulo a autora nos presenteia com uma nova reviravolta e situações que deixam o nosso coração na mão.

Falando em coração, - como não amar o Morfeu () minha gente? Tudo bem que ele pode ser uma "peste" manipuladora e que algumas atitudes dele realmente nos deixam com aquela “raivinha” do personagem. Porém o que torna esse ser tão apaixonante é a maneira com a autora construiu sua personalidade. Morfeu é sombrio e trapaceiro, mas ao mesmo tempo ele é sábio e não dá um passo sem pensar nas pessoas e no lugar que ama. Muitas vezes Morfeu é egoísta? Sim, só que ele também sabe ser generoso. E acredito que justamente o fato de Morfeu ser tão complexo é o que faz dele o melhor personagem da série.

Qualquer Outro Lugar, foi aquele livro que me levou por uma aventura incrível e que me deixou com lágrimas nos olhos (por que sou tonta). A.G. Howard, não somente soube como fugir do clichê, como em momento algum foi óbvia.  Com toda certeza, valeu muito a pena esperar quase dois anos pelo lançamento desse livro. O único problema agora que me tornei fã da autora, é que vou ter que torcer muito para que os demais livros dela cheguem aqui no Brasil.

" – A falta de magia é o que leva os humanos a fantasiar, em primeiro lugar. E, Alyssa, que força maravilhosa e cheia de poder a imaginação pode ser."

A.G. Howard fechou a série com chave de outro, e me arrisco dizer que das infinitas séries que acompanho, essa foi a que até o momento teve aquele final “redondinho”.  Foi maravilhoso, voltar ao País das Maravilhas na companhia de Morfeu, Alyssa e Jeb. Foi gratificante ver como eles cresceram do decorrer da trilogia e foi ainda mais emocionante ter feito de alguma forma parte de tudo isso ().

Veja Também:

novembro 10, 2014

Atrás do Espelho por A.G. Howard

ISBN: 9788581635613
Editora: Novo Conceito
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 396
Classificação: Ótimo
Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.
Onde Comprar: Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Submarino - Compare os Preços.


Sinopse:Splintered - Livro 02.
Em O Lado mais Sombrio , a releitura dark de Alice no País das Maravilhas , Alyssa Gardner foi coroada Rainha, mas acabou preferindo deixar seus afazeres reais para trás e viver no mundo dos humanos. Durante um ano ela tentou voltar a ser a Alyssa de antes, com seu namorado, Jeb, sua mãe, que voltou para casa, seus amigos, o baile de formatura e a promessa de ter um futuro em Londres. No entanto, Morfeu, o intraterreno sedutor e manipulador que povoa os sonhos de Alyssa, não permitirá que ela despreze o seu legado. O mesmo vale para o País das Maravilhas, que parece não ter superado o abandono. Alyssa se vê dividida entre dois mundos: Jeb e sua vida como humana... e a loucura inebriante do mundo de Morfeu. Quando o reino delirante começa a invadir sua vida real, Alyssa precisa encontrar uma forma de manter o equilíbrio entre as duas dimensões ou perder tudo aquilo que mais ama.

Vocês lembram que comentei em minha resenha de O Lado mais Sombrio, que mesmo o final sendo tanto vago, eu não via a necessidade de a história se “prolongar” mais?  Pois é leitores, eis que a autora tinha um coelho mágico guardado na manga e em Atrás do Espelho ela resolveu colocar ele em cena. A.G. Howard não apenas conseguiu salvar a sua obra de cair na terrível e muitas vezes inevitável “maldição do segundo livro”, como nos apresenta  uma narrativa cheia de reviravoltas e surpresas loucas. Afinal, é do País das Maravilhas que estamos falando.

Risco de spoiler do primeiro livro. Quem não quiser colocar sua conta em risco pode pulando para o terceiro parágrafo agora.

Já se passou um ano desde que Alyssa voltou do País das Maravilhas, mas mesmo de volta a sua rotina e ao convívio das pessoas que ela ama, parece que algo está faltando em sua vida. Durante esse ano todo ela vem escondendo coisas de seu namorado Jeb, coisas que dizem respeito a ele também. Quando tudo se encaminhava para o típico conto de fadas após a formatura, os mosaicos de Alyssa começam a revelar que algo pode estar errado em seu reino. E se já não fosse o bastante ter que carregar o peso de seus segredos mais sombrios, ela ainda precisa lidar com a volta do manipulador e sedutor, Morfeu.

Morfeu está disposto a tudo para provar a Alyssa que o seu reino não pode ser abandonado, e que o lugar dela é no País das Maravilhas com ele ao seu lado. Com seus sentimentos cada vez mais confusos e com medo que Jeb descubra toda a verdade, ela a acaba se deparando com fatos obscuros do passado de sua mãe.  Mas, o pior ainda está por vir. Em meio a acontecimentos estranhos que evidenciam que o mundo intraterreno está prestes a invadir o real, Alyssa se vê mais do que nuca dividida entre os dois mundos. Afinal ela ainda continua rainha do País das Maravilhas e possui toda a sua loucura dentro de si esperando apenas uma oportunidade, um pequeno deslize para vir à tona. E esse deslize pode acabar de uma vez por todas com o resto de sanidade que ainda lhe resta.

Confesso que estava como muito medo de ler esse livro. Ficava me perguntando, qual a ponta solta que a autora usaria para tornar Atrás do Espelho, uma leitura tão cativante como foi a de O Lado mais Sombrio. Para minha alegria, a autora conseguiu não apenas interligar os fatos, mas como também criar novas e surpreendentes situações.  A escrita de Howard está longe de ser óbvia e clichê. O que de verdade me deixa feliz e com medo ao mesmo tempo.

Claro que toda a indecisão da Alyssa e o bendito triângulo amoroso acabam irritando um pouco durante a leitura. Sério, definitivamente não tenho mais idade para lidar com esses dramas desnecessários nas histórias. Tudo bem, eu admito que torço para o Morfeu. Mas só por que ele é em disparado o melhor personagem do livro e não fica fazendo “cena” o tempo todo. Juro que tentei gostar do Jeb, só que não deu.  Sei lá, em minha opinião o Jeb é aquele típico personagem que não convence e não diz para o que veio na narrativa. Posso morder minha língua no futuro, e de coração espero mesmo que isso aconteça. Porém até lá, continuo achando ele um personagem bem sem gracinha. (pronto falei)

O que mais gostei em Atrás do Espelho, foi conhecer mais o passado de alguns personagens e dos acontecimentos anteriores à chegada de Alyssa ao País das Maravilhas. Tudo está tão interligado e de uma forma tão amarrada, que só me resta acalmar a ansiedade e esperar o lançamento do próximo livro. Por que agora sim leitores, - autora deixou muitas, mais muitas perguntas no ar que precisam urgentemente ser respondidas.

“- Você sacrificaria o mortal que ama pelo intraterreno que odeia – ele pergunta, e a convicção em sua voz me fere como um golpe violento.”

Com uma narrativa totalmente fora de controle e grandes reviravoltas. Atrás do Espelho possui um ritmo insano e viciante, que vão fazer você repensar tudo o que acha que sabe sobre o País das Maravilhas. Falta muito para a editora Novo Conceito lançar o terceiro livro?

maio 15, 2014

O Lado mais Sombrio por A.G. Howard



ISBN: 9788581633381
Editora: Novo Conceito
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 368
Classificação: Muito Bom
Este livro foi enviado como
cortesia para resenha.
Sinopse: Splintered - Livro 01 Alyssa Gardner ouve os pensamentos das plantas e animais. Por enquanto ela consegue esconder as alucinações, mas já conhece o seu destino: terminará num sanatório como sua mãe. A insanidade faz parte da família desde que a sua tataravó, Alice Liddell, falava a Lewis Carroll sobre os seus estranhos sonhos, inspirando-o a escrever o clássico Alice no País das Maravilhas. Mas talvez ela não seja louca. E talvez as histórias de Carroll não sejam tão fantasiosas quanto possam parecer. Para quebrar a maldição da loucura na família, Alyssa precisa entrar na toca do coelho e consertar alguns erros cometidos no País das Maravilhas, um lugar repleto de seres estranhos com intenções não reveladas. Alyssa leva consigo o seu amigo da vida real – o superprotetor Jeb –, mas, assim que a jornada começa, ela se vê dividida entre a sensatez deste e a magia perigosa e encantadora de Morfeu, o seu guia no País das Maravilhas. Ninguém é o que parece no País das Maravilhas. Nem mesmo Alyssa...

Confesso que ao contrário da grande maioria, nunca fui totalmente conquistada pelo mundo que Lewis Carroll criou em seu clássico, Alice no País das Maravilhas. Mas, de algum modo assim que eu soube do lançamento de Um Lado mais Sombrio, algo acabou despertando o meu interesse em conhecer esse “outro lado” dessa aclamada história. A surpresa que tive no decorrer da leitura foi maravilhosa.

Aparentemente Alyssa Gardner é como qualquer adolescente comum, - aparentemente é claro. Alyssa é tataraneta de Alice Liddell, sim a mesma Alice que inspirou o clássico “Alice no País das Maravilhas”. Mas, a visita de Alice a essa terra estranha e mágica acarretou problemas para suas descendentes. Todas elas em um determinado momento de suas vidas sucumbiram a algum tipo de loucura. Por esse motivo, Alyssa esconde de todos o fato de conseguir e ouvir os pensamentos de plantas e animais, pois seu maior medo é acabar sendo internada em um sanatório com a sua mãe e suas outras ancestrais.

Porém, o que Alyssa não imaginava é que aquele velho ditado que diz, “toda lenda tem um fundo de verdade”, iria fazer com que ela revisse todos os seus conceitos. Ao começar a sentir uma presença estranha e irresistível lhe observando ela vai à procura da toca do coelho, embarcando em uma aventura sombria em busca da verdade que pode salvar não apenas a vida da sua mãe, mas também mudar a sua vida para sempre. Quais os mistérios e segredos que esperam por ela no País das Maravilhas? Como lidar com a confusão de sentimentos que Jeb, seu melhor amigo e o enigmático Morfeu causam em seu coração? Alyssa está prestes a descobrir que no País das Maravilhas, nada e ninguém é o que parece ser.

Logo no começo da leitura senti como se eu tivesse caído de paraquedas em uns dos filmes de Tim Burton. As descrições feitas pela a autora dos lugares e personagens são tão fantásticas que a minha imaginação funcionou em velocidade máxima.Os personagens marcantes da história original como a Lagarta, o Gato de Cheshire, a Rainha de Copas, o Coelho Branco, o Chapeleiro Maluco, também possuem um papel importante, mas tudo aqui é tão lúdico e insano, que a narrativa ganhou um toque sombrio e ao mesmo envolvente. Foi uma experiência emocionante conhecer esse lado “novo” da história.

A autora A.G. Howard, me surpreendeu em diversos momentos com uma narrativa criativa e cheia de reviravoltas. O ritmo da história assim como tudo o que acontece no País das Maravilhas é rápido e frenético.  Mas, como nem tudo nessa minha vida de leitora são brilhos e flores, eu confesso que fiquei uma pouco incomodada em determinadas situações com as atitudes da Alyssa.  Tudo bem que conforme a história foi evoluindo, ela amadurece bastante só isso não foi o suficiente para que eu perdesse uma pouco da “má impressão” que ela me causou no começo do livro.  Outro ponto é que eu achei totalmente desnecessário o triângulo amoroso Jeb, Alyssa e Morfeu.  Tudo bem que o Jeb é um fofo, mas fica um pouco óbvio que o relacionamento dele com a Alyssa, apesar da química existente é superficial.

Ok! Pode ser que eu me sinta inclinada a pensar dessa forma, já que me encantei pelo Morfeu. Mas, de verdade não tem como não se encantar por ele. Morfeu é o melhor personagem do livro, inclusive ele rouba a cena em diversos momentos. Longe se ser o “perfeito cavalheiro”, Morfeu é inteligente, sarcástico e inescrupuloso agindo sempre da forma que lhe é conveniente. Ele é aquele típico personagem por quem desenvolvemos uma relação de amor e ódio, sendo o primeiro sentimento a prevalecer no final.

O fato do livro ser o primeiro de uma série de três livros, também me desanimou um pouco, já que estou preferindo (ou ao menos tentando) dar preferência aos livros únicos. E em minha opinião embora o desfecho aqui tenha sido um tanto vago em relação à história, ele foi de certo modo satisfatório. O que me deixa curiosa para saber qual ponta solta à autora vai usar para a continuação da história. 

“- Você compreende a lógica que está além do ilógico, Alyssa. É sua natureza encontrar tranquilidade em meio à loucura.”

Para quem busca uma história cheia de fantasia, ação e romance não vai se decepcionar com a leitura de Um Lado mais Sombrio. Mas, se prepare por que você nunca mais olhará Wonderland com os mesmo olhos.

Instagram

© 2010 - 2021 Blog My Dear Library | Ariane Gisele Reis • Livros, Música, Arte, Poesias e Sonhos. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in