Mostrando postagens com marcador Café Literário. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Café Literário. Mostrar todas as postagens
23/12/2014

Retrospectiva Literária 2014



Bom dia leitores!

Como vocês já puderam perceber, hoje é dia de Retrospectiva Literária aqui no My Dear Library. Esse é o quinto ano que o blog participa desse projeto idealizado pela Angélica do Pensamento Tangencial.  Estou surpresa e ao mesmo tempo muito feliz em fazer parte de algo tão divertido por tanto tempo!

O que mais gosto na Retrospectiva Literária é o fato de ela ser uma ótima forma de avaliar as minhas leituras durante o ano.  Uma das “promessas” que fiz no final de 2013 era que eu leria menos livros, porém mais livros de “qualidade”.  E realmente esse ano li cerca de onze livros a menos em relação ao ano passado, mas foram em sua grande maioria ótimo livros.

Então vamos ao que interessa. Confiram os “premiados” na minha Retrospectiva Literária 2014 =D

imagem: Tumblr

1 O romance que me fez suspirar:
- Ah!! Eu li vários romances fofos esse ano. Essa é uma pergunta bem difícil de responder (...). Fico com Um Perfeito Cavalheiro da Julia Quinn. Muito amor em um livro só .

2 A saga que me conquistou:
- Esse ano que eu lembre, não li muitas séries novas, porém uma que me surpreendeu bastante é a Splintered da A.G Howard.  Gostei muito da narrativa da autora e estou ansiosíssima pelo terceiro livro da série.

3 O livro que me fez refletir:
- Foram dois livros que por coincidência são da mesma autora. A Invenção das Asas e A Vida Secreta das Abelhas da Sue Monk Kidd.

4 O livro que me fez rir:
- Não li muitos livros engraçados esse ano, mas um que me diverti muito lendo foi O Tesouro da Encantadora da Caroline Carlson.

5 O livro que me fez chorar:
- Foram alguns livros que me fizeram chorar esse ano. Uns de tristeza, uns de felicidade e outros de raiva. Essa está difícil também (...). Escolho o Renascer de um Outono da Samanta Holtz, por ser um livro que até hoje me leva as lágrimas só de lembrar da história.

6 O melhor livro de fantasia:
- Vou ficar com duas sagas, por que seria muita injustiça escolher apenas um livro. A saga o Mago do Raymond E. Feist e a saga A Queda dos Reinos da Morgan Rhodes.  Simplesmente muito amor por esses dois autores

7 O livro que me decepcionou:
- Infelizmente esse “troféu”, vai para A Esperança da Suzanne Collins. Por tudo o que aquilo que já comentei na resenha. Gostei muito do filme, mas o livro foi bem decepcionante.

8O livro que me surpreendeu:
- Foi o Incendeia-me da Tahereh Mafi, pelo fato de que Liberta-me foi quase um suicídio literário. A autora não apenas conseguiu salvar a história como ela finalizou de forma esplêndida a trilogia.

9 O (a) personagem do ano:
- Aqui também é bem difícil ficar só um personagem, por isso os eleitos são dois mocinhos muito corajosos. O Alfie Summerfield de Fique onde Está e então Corra do John Boyne e o Jack Foster de Voos e Sinos e Misteriosos Destinos da Emma Trevayne.

Emma Trevayne
Emma Trevayne
10 A frase que não saiu da minha cabeça:
“... é a crença no abstrato e no sonho que permite que coisas extraordinárias aconteçam em nossas vidas.”Renascer de um Outono (Samanta Holtz).

11 O casal perfeito:
- Como  Um Perfeito Cavalheiro já ficou com o troféu de romance do ano, o casal de 2014 será... Sue e o David de Querida Sue da Jessica Brockmole.

12 O (a) autor (a) revelação:
- Como eu li O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks no ultimo 31 de dezembro, não deu tempo de ele entrar da retrospectiva passada. Mas, fazendo justiça especialmente depois da leitura de Mentirosos uma autora que merece estar aqui é a E. Lockhart.  Quero muito ler mais livros dela.

13 O melhor livro nacional:
- Esse ano consegui ler mais livros nacionais, porém não consigo escolher “o melhor” dentre eles. Por esse motivo a minha escolha é o Enquanto a Chuva Caía da Christiane M. por ser o primeiro livro que li da autora e me surpreender bastante com a história.

14 O melhor livro que li em 2014:
- Me perdoem os outros livros maravilhosos que li esse ano, mas Querida Sue conquistou lugarzinho muito especial em meu coração.
15 Li em 2014:
- Ao total até o momento foram 55 livros. Mas, é provável que até o dia 31 eu leia mais um ou dois.

16 A minha meta literária para 2015 é:
- Assim como eu 2013, não vou estipular um meta “concreta” de leitura. Mas, já que tenho que dar um número e ano que vem será *lindo* de feriados prolongados, acredito que 50 livros é uma meta boa. O que vocês acham?

Essa foi a Retrospectiva Literária 2014 do My Dear Library. Porém, para não ser injusta com alguns livros incríveis que li esse ano, vou fazer uma menção honrosa a três: Carta de Amor aos Mortos, Aristóteles e Dante descobrem os Segredos do Universo e A Lista Negra.

Lembrando que até o dia 31 ainda dá tempo de participar da Retrospectiva Literária. Vão ficar fora dessa?

Beijos um ótimo Natal para todos vocês, e até o ultimo post de 2014!
;***

19/11/2014

Café Literário – Desapego Literário

Bom dia leitores, tudo bem com vocês?

Em nosso penúltimo Café Literário do ano, quero convidar vocês a praticar o bom e o velho desapego. Afinal todos nós sofremos um pouco da síndrome, “Tenho mais livros do que tempo para ler”.  

Admito que  as vezes é muito difícil resistir as promoções maravilhosas que toda semana pipocam na internet.  Eu mesma já comprei vários livros sem ter o interesse imediato pela leitura, só por causa do preço, e acabei ficando com os mesmo “encalhados“ na minha estante por um bom tempo.

Acredito que assim como essa que vos escreve, vocês também ficam com aquele aperto no coração e pensando: “Ah! Deixa o livro ai, que um dia eu leio”. Só que passam dias, semanas, meses e até anos e o livro continuam lá exatamente no mesmo lugar. E o que dizer daquele livro que a gente leu e não gostou muito que também está lá parado na estante (...).

imagem: Tumblr
Então por que não aproveitar que o final de ano chegou e separar esses livros para doação? Você pode doa-los para escolas, orfanatos e asilos da sua cidade.  Além de espalhar o seu amor pela leitura com quem não tem muitas condições de comprar livros novos, você acaba “liberando” mais espaço para os livros que realmente tem interesse de ler.

Como leitora sei que muitas vezes o nosso amor pelos livros acaba nos deixando “apegados” e como receio de fazer uma boa “limpa” na estante. Porém, esse sentimento é compensado pela certeza que de uma forma direta ou indireta você está dando a oportunidade de mais pessoas terem acesso ao mundo mágico da leitura. ()

Que tal ser o Papai Noel literário de alguém esse ano? Posso garantir para vocês que vale muito a pena!

Beijos e até o próximo post;***

30/10/2014

Café Literário – Entre magos, bruxas e Hogwarts ...


Bom dia leitores!

Vocês realmente não estavam achando que eu ia deixar o Halloween passar em branco esse ano aqui no blog. Estavam?

Na verdade, esse Café Literário era para ter sido postado semana passada. Mas, tive uma crise e perfeccionismo extremo e achei melhor adiar a postagem, para que eu conseguisse passar de fato o que tinha em mente. O tema não seria “exatamente” esse também, mas além da crise de perfeccionismo sofri com a falta de inspiração. Então tive que recorrer ao plano C, pois o A e o B falharam totalmente.

Como já vocês já devem ter percebido, não costumo responder TAGS aqui no blog. Sei que por esse motivo muitos de vocês devem me achar um pouco “metida” =D. Só que o problema é que sou péssima para participar desse tipo de brincadeira. Nunca sei o que responder, e por isso, mesmo que eu ache algumas TAGS bem legais acabo não fazendo.

Porém para comemorar o Halloween, e levando em conta que o post que eu tinha em mente não deu lá muito certo. Achei que seria divertido responder de uma forma um “pouquinho diferente” a TAG Minha Vida em Hogwarts. Confiram ai ;D

imagem: Divulgação.
Apesar de possuir características tanto da casa de Corvinal como da Sonserina, o Chapéu Seletor pensou inicialmente em me colocar na Corvinal, pois segundo ele lá eu poderia despertar todo o meu potencial. Mas, ao contrário do meu amigo Harry Potter eu disse, - Sonserina sim! Sonserina sim! Meu desejo é provar que a casa de Sonserina também possui bruxos e bruxas boas de coração. Obviamente que que por causa isso tenho muitos atritos com o Draco e companhia, por defender bruxos que nasceram trouxas e elfos domésticos.

Minha aula favorita é Defesa contra as artes das Trevas, pois no futuro serei uma Auror (abafa). Também gosto muito das aulas de Poção, Feitiços e Transfiguração. Sou um verdadeiro desastre em Herbologia e Trato das Criaturas Mágicas. Na primeira, por que não nasci com nenhum dom para “jardinagem” e na segunda por que tenho medo dos bichinhos “fofos” da aula (menos dos dragões), é claro.

O professor divo do meu coração é o Severo Snape. Ele não é tão mau quando parece .  Porém também adoro a Minerva e o Flitwick. Foi sofrível, digo muito sofrível mesmo ter aula com a Umbridge e com o Lockhart. Ninguém merece ter aula com esses dois. Adorava o professor Lupin também, mas ele teve que sair =(

Quando não estou nas salas de aula, fico no meu dormitório ou em algum lugar ao ar livre, logicamente sempre acompanhada de um bom livro. Tipo eu gosto muito de ler com a claridade natural do dia e evito lugares com muito barulho.

A forma que o Bicho Papão se transformar para me assustar é meio complexa.  Tenho fobias normais como, medo de aracnídeos, lugares muito fechados, de palhaços (...). Mas, o meu maior medo de verdade é  ver ou ser a causa do sofrimento em alguém que amo. Sabe quando você não suporta nem pensar na ideia? Então é assim que me sinto. Não consigo explicar direto que forma o Bicho Papão escolhe para representar isso.  Só sei que me dá muito medo.

Meu patrono é uma Fênix e como sou uma Animaga (que a Minerva não leia isso), sou nas horas vagas uma Harpia. Acho que o diretor Dumbledor sabe desse meu segredinho, mas ele pelo visto não se importa muito.

imagem: Divulgação.
Sou muito amiga da Hermione, do Harry e do Rony e juntos nós acreditamos que um dia vamos vencer as trevas do mundo tanto bruxo como humano e espalhar a paz, o respeito e o amor entre todas as pessoas.

Bem, é isso =D. Minha pequena e tímida participação na brincadeira. Espero que vocês tenham gostado das minhas “respostas”. E para quem quer descobrir qual é o seu Patronum, eu fiz o teste no aplicativo da Warner Bros. para descobrir o meu.

Beijos e até o próximo post!

25/09/2014

Café Literário – Queremos livros únicos também!

Bom dia leitores!

Como vocês já puderam perceber, o Café Literário de hoje está em clima de desabafo (...). Que as séries literárias sempre existiram e sempre vão existir todos nós sabemos. A trilogia O Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien está ai para provar isso.  Não tenho nada contra séries, vocês mesmos sabem que acompanho várias. A questão é que de uns tempos para cá, parece que os livros “únicos” estão “deixando” de existir.

A sensação que eu tenho é que um livro se torna mais “importante” quando ele faz parte de uma duologia, trilogia, série ou saga do que quando ela é apenas um livro. As sagas conquistam? Claro que sim. Elas deixam você com aquela necessidade de saber o que vai acontecer no próximo livro. Ganham fãs apaixonados e quando elas são adaptadas para o cinema ou para a TV, sentimos que todos os nossos esforços em gritar aos sete ventos como ela é maravilhosa, valeu a pena.

Porém, do outro lado quantos livros caem no ostracismo? Quantas vezes vocês já se perguntaram após ler um livro maravilhoso, o porquê “ninguém” nunca falou dele. O pior quando você termina o livro da sua vida com a sensação que autor ou a autora foi brilhante e passa um tempo e vem uma continuação que acaba com todo esse brilhantismo. Acredito que todo mundo aqui já passou por alguma situação assim.

Sempre cito como exemplo a saga Hush-Hush da Beca Fitzpatrick, lançada no Brasil pela editora Intrínseca. Embora tenha lido todos os livros e ela ser uma das melhores séries do gênero sobrenatural que li nos últimos anos admito que, preferia mil vezes que a autora tivesse parado em Sussurro. Não que os outros livros sejam ruins. Mas assim, em meu ponto de vista muitos elementos inseridos no enredo foram desnecessários e com isso todo aquele clima “mágico” que me conquistou tanto no primeiro livro, acabou se perdendo.

Outros livros em que as autoras fecharam bem a história e que em meu ponto vista não precisavam de continuação são, O Lado mais Sombrio da A.G Howard lançado pela Novo Conceito e Alma? da autora Gail Garriger, lançado pela editora Valentina. E é óbvio que mesmo achando que não há necessidade de as histórias se estenderem, vou ler as duas séries até o final, pois a minha curiosidade sempre fala mais alto.
imagem: Tumblr

Temos também o caso daquelas séries que parecem intermináveis como os casos de, House of Night da PC. Cast, Como Treinar o seu Dragão da Cressida Cowell, ou Pretty Little Liars da autora Sara Shepard. E o que falar das séries que ou autores não terminam ou as editoras aparentemente se “esquecem” de lançar a continuação. É tenso leitores, muito tenso (...).

Também temos a séries como a dos Irmãos Sullivans da Bella Andre e Os Bridgertons da Julia Quinn em que cada uma conta com oito livros. Mas, essas séries em questão ao menos em meu ponto vista por mais que você pegue alguns spoilers dos livros anteriores, não há a necessidade de você seguir um “padrão” de leitura. Cada livro fala de um personagem e ponto final. Se você quiser começar do ultimo ou ler só um não tem problema.

O fato é que séries literárias nos últimos anos têm ficado cada vez mais em evidência do que livros únicos, já que probabilidade de elas se tornarem filmes ou seriados de sucesso é imensa. Há casos que nem sempre isso dá lá muito certo, como foi o caso de A Academia de Vampiros, Cidade dos Ossos e Dezesseis Luas, que não foram muito bem nas telonas enquanto, A Culpa é das Estrelas provou que livros únicos também podem levar milhões aos cinemas. 

Outro “problema” com as séries é que após algumas autoras terem estourado no mercado editorial, como foi o caso da J.K Rowling com Harry Potter e a Stephenie Meyer, com a saga Twilight os autores iniciantes acabam pensando muitas vezes que para atingir o sucesso eles precisam escrever uma série. Parem e pensem, quantos novos autores nacionais e internacionais nos últimos tempos lançaram séries que não passaram do primeiro.

Sagas são super legais, mas livros únicos também. E muitas vezes mais vale o autor escrever um livro com mais de quinhentas páginas e finalizar o que tem em mente ali, do que dividir a história e correr o risco de cair na terrível maldição do segundo livro. Afinal quem já não acabou abandonando uma série, por que o segundo livro foi decepcionante que atire a primeira pedra.

Somos leitores, e amamos ler boas histórias. Gostamos de séries, mas gostamos também de livros em que a história comece e termine nele. Adoramos olhar para nossas estantes e ver as sagas que acompanhamos completa, porém amamos quando no meio delas encontramos aquele livro que sozinho foi capaz de nos deixar encantados.

Queremos ler mais séries fantásticas sim, mas queremos livros únicos também. Por que livros únicos podem ser mágicos, viciantes, inesquecíveis e maravilhosos. Autores e editoras pensem com carinho nisso (). 

Beijos e até o próximo post!

28/08/2014

Café Literário – Bienal do Livro SP 2014

Bom dia leitores, tudo bem com vocês?

Gostaria que esse post fosse especial e que nele eu compartilhasse com vocês, como a minha Bienal foi maravilhosa (...). Porém, infelizmente isso não será possível já que a palavra que defini a Bienal do Livro 2014, ao menos para essa que vos escreve é a Frustração.

Eu já imaginava que o evento estaria lotado, afinal no dia estariam presentes as autoras Cassandra Clare, Kiera Cass, Paula Pimenta e Thalita Rebouças. Mas, jamais me passou pela cabeça que eu enfrentaria um verdadeiro “Jogos Vorazes”.

Para começar logo na chegada do evento era visto a falta de preparo da organização. Cheguei por volta de 09h30 e os ônibus gratuitos disponibilizados para levar as pessoas do terminal da Barra Funda até o Anhembi não sabiam onde estacionar. Em 2012 eles param dentro do estacionamento nos deixando praticamente na porta do pavilhão. Dessa vez descemos no meio da rua sem ninguém da organização para nos orientar e principalmente garantir a nossa segurança.

As filas tanto para entrar como para comprar ingressos eram gigantescas e até mesmo às pessoas que tinham conseguido as credencias para entrar no evento enfrentaram empurra, empurra para conseguir retira-las no portão principal. Gente eu já fui a shows de Rock e a outros eventos de grande porte como a Bienal de verdade, eu nunca passei por isso. Ok, até ai eu consegui relevar, porém o stress inicial era só um “prólogo” do que estava para vir.

Sinceramente eu gostaria de saber de quem foi à “ideia brilhante” de colocar algumas das principais editoras uma do lado da outra.  Era impossível transitar pelos corredores, e de visitar alguns estantes por que tinha fila para entrar e fila para pagar. E o detalhe, você não conseguia saber se quer onde as filas começavam.  Sem falar na correria e no desespero dos muitos fãs que estavam ali para tentar pegar a senha para a sessão de autógrafos do seu autor favorito, sem ter ninguém responsável para dar alguma informação.

A segurança do evento foi tão precária que se acontecesse alguma coisa realmente grave lá em que as pessoas precisassem sair às presas, o resultado seria no mínimo trágico. Agora se imaginem em um evento do porte de uma Bienal do Livro, em que você fica sem sinal de conectividade (celular e internet), sem conseguir usar o banheiro, em que as máquinas de cartão de crédito/débito não funcionam e em que até água acaba.  O mais revoltante foi você ler depois a resposta dada pela organização do evento no dia seguinte (domingo), "o sucesso foi maior do que o esperado" ou que "não esperávamos um público tão grande".

Como assim não esperavam? Desculpe-me, mas um evento que está na sua vigésima terceira edição, não se pode se dar ao “luxo” de tamanho amadorismo e falta de organização. Foi de cortar meu coração ouvir pessoas indo embora, dizendo que ficaram mais de duas horas na fila para entrar, e que estavam saindo do evento sem conseguir pegar ao menos um marcador. Fui à Bienal em 2012 e apesar de estar lotada e cansativa também, consegui aproveitar e me divertir no evento. 

Porém esse sábado foi decepcionante. Confesso que antes do meio dia a minha vontade era de pegar o ônibus de volta para minha casa e sair daquele “inferno”, e só não fiz isso por que apesar de todo o cenário caótico minhas amigas me motivaram e tornaram o caos mais fácil de ser encarado e menos traumatizante. Espero que até a próxima edição, os organizadores do evento repensem e planejem melhor a infraestrutura e a logística do local para que dias como 23 de agosto não se repitam mais.

Meus agradecimentos às editoras; Globo, Martins Fontes, Novo Século, Planeta e Rocco pelo ótimo atendimento e respeito com os leitores.  Meu agradecimento duplo ao “kit sobrevivência” que a Editora Novo Conceito distribuiu aos parceiros. Sério, aquele kit salvou a minha vida. E claro as minhas amigas lindas, Camila, Fran, Livy e Lívia Carolina. Sobrevivemos =D Fotos dos Melhores Momentos.

Reencontrando a Graciela Mayrink no estande da Novo Conceito *-*
Momento fã com a fofa da Samanta Holtz no estante da Novo Século.
Meus bebês novos
Beijos e até o próximo post!

21/07/2014

Café Literário – Das Páginas para as Telas

Bom dia leitores!

Pode até parecer que nos últimos anos houve certo “bum” e do dia para a noite os estúdios de Hollywood descobriam que vale muito a pena investir em adaptações literárias para as telonas. 

Mas, apesar do sucesso alcançado em franquias como Harry Potter, Senhor dos Anéis, Twilight, Jogos Vorazes, entre outros não é de hoje que temos nossas histórias favoritas transformadas em filmes.  Isso se não levarmos em conta as histórias em quadrinhos (HQs) que também a cada dia ganham mais espaço nas adaptações.

Por esse motivo no café literário desse mês, fiz uma pequena seleção de filmes, mas antigos em que suas histórias saíram diretos das páginas para as telas. Confiram ai! ;D

imagem: Tumblr


A Duquesa (2008).



Adaptado do livro: Georgiana (Duquesa de Devonshire) de Amanda Foreman.
Curiosidade: O Duque de Devonshire é interpretado por Ralph Fiennes, nosso eterno Lorde Voldemort.

Memórias de Uma Gueixa (2005).



Adaptado do livro: Memórias de Uma Gueixa de Arthur Golden.
Curiosidade:  O filme ganhou três estatuetas no Oscar em 2006. Venceu nas categorias de melhor direção de arte, melhor fotografia e melhor figurino.

O Conde de Monte Cristo (2002).



Adaptado do livro: O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas.
Curiosidades:  O livro foi concluído pelo autor em 1844.
- O Padre Abade Farias foi interpretado pelo saudoso Richard Harris. Harris interpretou o professor Alvo Dumbledore nos dois primeiros filmes da franquia Harry Potter e faleceu em 25 de outubro de 2002.

Entrevista com o Vampiro (1994).



Adaptado do livro: Entrevista com o Vampiro de Anne Rice.
Curiosidades: O livro é considerado um dos clássicos da literatura inglesa.
- Quando soube da contratação de Tom Cruise para o papel, a autora  declarou estar profundamente desapontada com a escolha, pois não acreditava que Cruise conseguiria dar a força dramática necessária ao personagem.
- O autor Johnny Depp recebeu uma oferta para interpretar o personagem Lestat.
- Christian Slater que interpretou ou repórter Daniel Molloy, que doou seu cachê por completo às instituições de caridade.
- A versão brasileira do livro foi traduzida pela escritora Clarice Lispector.

O Vento Levou (1939).



Adaptado do livro: O Vento Levou de Margaret Mitchell.
Curiosidades: A autora escreveu o romance entre 1926 e 1929 e sua intenção original era dar a protagonista o nome de Pansy O'Hara.
- Hattie McDaniel (Mammy) foi a primeira atriz negra a conquistar um Oscar, não pôde comparecer na première do filme em Atlanta porque era negra.
- O filme ganhou 10 estatuetas do Oscar.
- Os escritores F. Scott Fitzgerald e William Faukner também participaram como roteiristas.
- A atriz Vivien Leigh (Scarlett O'Hara ) e autor Clark Gable (Rhett Butler), brigavam constantemente, pois Vivien considerava pouco profissional que Clark deixasse o estúdio sempre às seis da tarde, todos os dias. Por sua vez Clark Gable considerava um abuso oferecer um papel essencialmente estadunidense a uma atriz britânica.

Espero que vocês tenham gostado de saber um pouquinho mais sobre essas famosas adaptações literárias. Eu vou confessar que me bateu uma saudade de assistir O Vento Levou *-*

Beijos e uma ótima semana!

18/06/2014

Café Literário – Um romance para chamar de meu!

Bom dia leitores!

Continuando no clima de dia dos namorados, o café literário de hoje vai estar um pouco mais açucarado hoje, pois eu resolvi dividir com vocês uma pequena seleção de romances de aquecer o mais frio dos corações .

Admito que não foi muito fácil fazer essa lista, pois eu adoro romances e sempre que pensava em um livro me vinha outro a mente. Mas já que precisei selecionar fiz uma lista com os romances que eu adoraria viver em minha vida. Afinal, quem nunca se imaginou no lugar daquele personagem enquanto lia uma bela história de amor?

imagem: Tumblr.

Confiram a minha seleção e se apaixonem *-*




Até eu te Encontrar - Graciela Mayrink: Esse livro me deixou completamente encantada!

Química Perfeita - Simone Elkeles: Uma história que não me deixou dormir até eu chegar à última página. Empolgante, viciante, simplesmente perfeita!

Dois pesos e Duas Medidas - Judith McNaught: Sempre me pergunto por que demorei tanto para ler esse livro. Leve, divertido e apaixonante.

Sempre teu Amor – Candace Camp: Primeiro romance de época que li e me apaixonei. Já até perdi as contas de quantas vezes eu reli esse livro de tão especial que ele é!

Um Sonho de Esperança – Nora Roberts: Apenas uma frase define esse livro para mim. Muito, mais muito amor!

Ai gente, agora me bateu uma vontade de reler esses livros...  (suspiros).

E vocês, tem algum romance que tenha sido tão especial que se tornou inesquecível? Eu quero saber heim =)

Beijos e até o próximo post!

23/04/2014

Café Literário – Querido Livro

“Querido livro,

Você não me pede nada em troca, mas sempre me dá uma história nova cheia de aventuras, romances, mistérios e surpresas pelo caminho. E me apresenta novos amigos que muitas vezes eu amo e odeio com a mesma intensidade.

Sempre faz com que eu me apaixone perdidamente, como se fosse a primeira vez.  Além disso, você consegue me  deixar com um sorriso idiota no rosto, com a mesma facilidade que me faz chorar por horas.

Obrigada por todos os bons e maus momentos que compartilhamos juntos. Sempre estarei pronta para a nossas próximas viagens, mesmo se elas me deixarem com um pouco de medo e raiva. Já viajamos juntos para Hogwarts e para Terra Média, e graças a você aprendi a acreditar que finais felizes são possíveis.

Querido livro, saiba que você nunca será demais em minha vida, embora eu sempre vá ter tempo de menos para você.

Com amor. “


imagem: Tumblr



Texto por Ariane Reis Copyright Todos os direitos reservados a Ariane Reis.


ps: Não deixe de participar da Pesquisa de Opinião 2014.

17/03/2014

Café Literário – Julgando o livro pela Capa

Olá leitores do My Dear Library!

Quem aqui nunca comprou um livro só por achar a capa bonita? Ou mesmo acreditou que tinha em mãos uma história “perfeita”, por causa de uma bela capa?

Não, isso não faz de você ou eu uma pessoa superficial que só dá valor ao que é visivelmente belo. Mas, se formos um pouco sinceros com a gente mesmo, vamos ser forçados a admitir que nós temos uma leve tendência a “ignorar” livros que a capa não é assim, - tão bonita.

Ok! Muitas vezes ao ler a sinopse nos convencemos a dar uma chance para o livro, mas não adianta. Sempre quando olhamos para a bendita capa pensamos: “A história é tão legal! A capa não faz jus a isso”, ou pode acontecer ao contrário: “Apenas uma capa bonita para uma história fraca”.

O fato é que por mais importante que seja a construção da história, nós sempre iremos avaliar ela em primeiro lugar pela capa. É errado? Sinceramente eu não sei (...). Afinal, se levarmos muito esse julgamento ao pé da letra podemos correr o risco de não  conhecer uma história fantástica, ou de deparar com uma história realmente não tão boa.

Por isso, hoje vou compartilhar com vocês alguns livros que me chamaram a atenção inicialmente pela capa.  Vejam ai =)




Amanhecer – Stephenie Meyer: Ok! Posso não gostar muito da série, mas acho essa uma das capas mais simples e linda que já vi. Não me perguntem o porquê rs...

Os Ladrões de Cisne – Elizabeth Kostova: Eis um livro que comprei pela capa (shame). Comecei a leitura dele há pouco tempo, e espero não me arrepender do meu investimento =D.

A Menina que Roubava Livros – Markus Zusak: Acho tão enigmática essa capa. Em si ela não tem nada demais, porém de certa forma ela consegue ser perfeita.

Luxo - Anna Godbersen: As capas de todos os livros dessa série são lindas demais! Tenho os dois primeiros volumes, que ganhei da fofa Lívia Carolina do Lívia & Suas Carolinices (obrigada mais uma vez sua linda ). Torcendo para que eles sejam mais do que simplesmente uma capa bonita.

Contos Inacabados – J.R.R Tolkien: Tudo bem que ele é um dos meus autores favoritos (), mas esse com certeza é o livro com uma das capas mais lindas que tenho em minha estante.

Agora quero saber de vocês! Qual ou quais livros vocês já compraram só pela capa? Vale a pena ou não?

Beijos e uma ótima semana para vocês

17/02/2014

Café Literário – Livros para reler em 2014

Boa tarde, leitores tudo bem?

Quem nunca ficou com aquela vontade de reler aquele livro tão especial, ou dar uma segunda chance a aquele que não foi tão especial assim? Pois bem leitores, mesmo a minha fila de leitura crescendo a cada dia mais, em 2014 eu pretendo reler alguns livros da minha estante.

Uns por que já faz tempinho que li e quero meio que “reviver” a emoção da história e outros por que só agora tenho a série completa então quero começar a história pelo “começo”, por assim dizer.

A parte boa de reler um livro, ao menos em minha opinião, é que você sempre acaba prestando atenção e algum detalhe que deixou passar durante a primeira leitura. Já a parte ruim é que, que você pode não achar o livro assim tão fantástico como achou antes.  Claro que pode acontecer o efeito contrário também, e aquele livro que você não curtiu tanto na primeira leitura, se revelar um dos melhores livros que você já leu. Por esse motivo eu, sempre acho interessante ler o mesmo livro em épocas diferentes da vida.

Separei da minha estante cinco livros que pretendo reler esse ano. Na verdade eu queria poder acrescentar mais alguns, mas como não sei se o “senhor tempo” vai colaborar, é melhor não me comprometer =D.

Confiram a minha listinha de releituras do ano.

imagem: tumblr.

O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry: Para falar bem a verdade, faz tanto tempo que li esse livro que nem me lembro quantos anos eu tinha.

O Jardim Secreto - Frances Hodgson Burnet: Mesmo caso do “O Pequeno Príncipe” =D.

Dançando no Ar – Nora Roberts: Como demorei um pouco para conseguir os três livros da trilogia, é melhor dar uma relida no primeiro livro só para entrar no clima da história de novo.

Sangue e Ouro – Anne Rice: Por que estou precisando fazer as pazes com as histórias de vampiros rs...

E vocês leitores, também possuem o hábito de reler livros? Não deixem de dar a opinião de vocês nos comentários =D

Beijos e até o próximo post;****

22/01/2014

Um 2014 mais leve e livre ...

Olá leitores, tudo bem?

Em nosso primeiro Café Literário do ano vou compartilhar como vocês as minhas metas para 2014.

Confesso que eu não sabia muito bem o que definir de meta para esse ano. Talvez por que 2013 foi o ano que consegui tudo o que eu “queria”, então ficou um pouco difícil pensar em algo que eu precisasse correr atrás esse ano. Sim, de certa forma eu sou uma daquelas pessoas que sempre tem mais a agradecer do que pedir.  E que continue sempre assim =D

Para 2014 estabeleci oito metas. Estão curiosos para saber quais são elas?

Confiram ai!



Cuidar mais de mim mesma: E quando digo cuidar mais de mim mesma não é apenas na parte física e sim na espiritual e emocional também. Quero ser uma pessoa mais serena em 2014, por isso voltei a praticar a meditação, que era algo que eu fazia há uns cinco anos atrás e parei. Meditar ajuda tanto desenvolver uma concentração maior com acalma a mente e o coração. São os melhores trinta minutos do meu dia!

Para equilibrar a mente e o corpo, afinal equilíbrio é um dos princípios básicos para uma vida tranquila, vou manter uma rotina diária de exercícios físicos e ter uma alimentação mais saudável.

Esse será um dos meus maiores desafios para esse ano, pois como já tive problemas com anorexia nervosa e graças a ela ganhei uma “linda gastrite”, e o fato de ser vegetariana já deixa meu cardápio um pouco limitado tenho que aprender a me alimentar bem e corretamente. Algo que vergonhosamente não faço. Além disso,  voltei para a academia não apenas para manter o corpo em forma, mas principalmente melhorar a minha qualidade de vida mesmo, afinal sedentarismo não faz bem para ninguém.

Não me importar com pessoas ou coisas que “não valem a pena”: Sei que essa vai ser difícil, pois tenho a tendência de como minha mãe fala de “Querer carregar o mundo nas costas”. Porém desde a metade do ano passado venho percebendo que em algumas questões estou dando murro em ponta de faca e me desgastando “à toa”. Em 2014 vou me preocupar com pessoas e coisas que realmente fazem diferença no meu dia a dia, e o resto que a vida ajeite da melhor forma possível.

Passar mais tempo com minha família e amigos: Com a correria do dia a dia, passo muito pouco tempo com a minha mãe e quase não vejo meus amigos com a frequência que gostaria. Em 2014 quero passar mais tempo com que eu amo, e para isso pretendo ficar nas redes sociais apenas o necessário. Quero viver mais o mundo real rs...

Passear mais: Como 2013 foi o ano em que precisei economizar dinheiro e pagar as prestações necessárias, passei praticamente o ano todo na rotina; casa-trabalho-casa. Claro que valeu a pena, afinal terminei o ano com todo novo e sem dividas. (Aquele momento que você chora de emoção quando vê todos os carnês das Casas Bahia pagos) Mas, em 2014 quero ir mais ao cinema, conhecer a cidadezinhas da região de Sorocaba, ir mais para São Paulo, ou seja, passear e me divertir mais.

Ler bons livros: Não quero quantidade de leitura e sim qualidade. Quero ler mais livros que me emocionem, me façam rir,me deixem curiosa e me levem para mundos mágicos e desconhecidos. Se vão ser 10 ou 100, não é importante desde que sejam os melhores livros que eu vá ler na minha vida.

Voltar para o Inglês: Há muito tempo eu queria voltar a estudar inglês, mas como em 2012 eu estava pagando a minha pós e ano passado sendo “consumista”, somente agora vou poder realizar esse desejo antigo. Minhas aulas começam agora em fevereiro e estou tão ansiosa *-*

Volta a estudar Web Design e Arte Digital: Para quem não sabe, eu sou web designer de formação e sempre amei criar. Trabalhei muitos anos como artista digital, ou como é popularmente chamado aqui no Brasil “foto montagem”. Isso é uma das coisas que mais amo fazer. Porém desde que comecei a trabalhar fora e a me dedicar ao blog, acabei meio que deixando de lado essa minha paixão. Só que agora me organizei e acredito que consegui distribuir bem o melhor o tempo. Ainda bem! Pois, a minha mente já está cheia de inspirações para criar muitas artes novas, - e claro correr atrás do prejuízo e me aperfeiçoar mais na área.

Economizar dinheiro: Sou taurina e como uma boa nativa eu preciso sentir-me “segura” então economizar dinheiro não é apenas uma meta, mas algo fundamental para minha paz de espírito. Desde que comecei a trabalhar fora tenho com prioridade depositar uma quantia certa todo mês na poupança, e esse ano não será diferente. Ainda não defini a minha wishlist completa para 2014, mas tenho pelo menos uns três itens nela já,

Como o título do post já diz, quero um 2014 mais leve e livre e acredito que seguindo as minhas metas, uma boa dose de pensamentos positivos e foco eu vou conseguir que meu ano seja assim; sereno e iluminado.

Mas, agora quero saber de vocês. Quais são suas metas para 2014?

Beijos e até o próximo post!
;****

28/12/2013

Retrospectiva Literária 2013




Olá leitores! Tudo bem como vocês?

Como já virou tradição no blog há quatro anos, hoje vou fazer a minha Retrospectiva Literária.

Para quem não sabe a Retrospectiva Literária, é promovida pela Angélica do blog Pensamento Tangencial e quem quiser participar ainda dá tempo heim =D

Quando analiso as minhas leituras de 2013, percebo que apesar de ter lido uma quantidade maior de livros em relação aos anos anteriores, foi um ano em que a qualidade das minhas leituras deixou muito a desejar.  Li poucos livros que mereceram uma “menção honrosa” e de serem marcados como meus favoritos esse ano.  Uma pena realmente (...).

Então, sem mais divagações vamos ao que interessa. A minha Retrospectiva Literária 2013!


1 O romance que me fez suspirar:
- Eu não li muitos romances que me fizeram suspirar esse ano. Mas acho que é por que eu não estava em um clima muito romântico em 2013, porém se é para escolher um livro fico com, Anna e o Beijo Frances da Stephanie Perkins que é super fofinho e que achei uma gracinha mesmo.

2 A saga que me conquistou:
- Tentei fugir um pouco de sagas esse ano, embora elas continuassem a me perseguir rs... Tem cinco sagas que me conquistaram esse ano, porém uma eu comecei a ler ano passado (...), será que vale? Acho que vale, até por que ela não pode ficar de fora dessa retrospectiva. As sagas que me conquistaram foram ... A Trilogia do Mago Negro da Trudi Canavan , Trilogia A Seleção da Kiera Cass, Saga A Queda dos Reinos da Morgan Rhodes, Série O Protetorado da Sombrinha da Gail Carriger e a Saga Instrumentos Mortais da Cassandra Clare.

3 O livro que me fez refletir:
- Essa é difícil por que li três livros realmente muito bons e que me fizeram refletir muito durante e após a sua leitura. Mas, por todas as emoções que esse livro em especial me fez sentir no final, meu voto vai para Passarinha da Kathryn Erskine.

4 O livro que me fez rir:
- Li alguns livros divertidos esse ano, mas o que me fez dar ótimas gargalhadas foi Cadê Você Benadette? da Maria Semple. Recomendo heim!

5 O livro que me fez chorar:
- Tudo bem que chorei bastante em  Passarinha e Extraordinário, mas de verdade o livro que me fez chorar desesperadamente esse ano foi O Destino do Tigre da Colleen Houck. Chorei dois capítulos seguidos, ao ponto de quase passar mal de tanto chorar. E sim, eu continuo de “birra” com a autora por causa disso.

6 O melhor livro de fantasia:
- Jura que vocês ainda tinham duvida qual seria a minha resposta? O Lord Supremo da Trudi Canavan ♥♥♥♥♥. Muito amor por um livro só minha gente!

7O livro que me decepcionou:

- Primeira pergunta fácil de responder rs... sem dúvidas Um Dia do David Nicholls. Esperava muito mais do livro.

8 O livro que me surpreendeu:
- Eu não tive lá grandes surpresas esse ano, mas um livro que me surpreendeu e se tornou meu xodozinho foi Química Perfeita da Simone Elkeles. Muito !

9 O(a) personagem do ano:
- Lord Akkarin da Trilogia do Mago Negro. (Ok! Estou muito fangirl admito).

10 A frase que não saiu da minha cabeça:
 “Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.”
Extraordinário (R.J Palácio).

11 O casal perfeito:
- Na verdade se eu fosse falar o meu casal perfeito de 2013, ia dar um spoiler gigante aqui no post e vocês iriam ficar muito bravos comigo. Por isso o posto vai ficar com o meu segundo casal favorito que é ... Phaedra Blair e Elliot Rothwell de Lições do Desejo da Madeline Hunter.

12 O (a) autor (a) revelação:
- Confesso que essa está sendo a ultima questão que estou respondendo, por que foi difícil pensar em um autor ou autora em especial, já que 2013 não foi um ano de “grandes” leituras.  Mas uma autora que merece destaque é a Gail Carriger da série O Protetorado da Sombrinha. Gosto muito da forma como ela desenvolve a narrativa e, para quem ainda não conhece, vale a pena dar uma conferida.

13 O melhor livro nacional:
- Li apenas dois livros nacionais esse ano (shame), mas um livro que não pode ficar de fora da minha retrospectiva é o lindíssimo Quero ser Beth Levitt da Samanta Holtz.

14
O melhor livro que li em 2013:
- Momento suspense ... O melhor livro de 2013 foi: Um Hotel na Esquina do Tempo do Jamie Ford. Simplesmente perfeito! Sem mais comentários

15Li em 2013:
- Até o momento li 66 livros, mas como estou de férias acho que devo ler um ou dois livros ainda.

16 A minha meta literária para 2014 é:

- Para 2014, não estou estipulando muitas metas de leitura em razão de outras prioridades que tenho e que talvez vão me limitar um pouco o tempo disponível para os livros. Também pretendo fazer releituras, para matar a saudade de alguns personagens, por isso vou deixar a quantidade de livros que pretendo ler em 2014, não definida ainda. Até por que esse ano foi à prova que quantidade, não é qualidade (...).

É isso leitores. Espero que vocês tenham gostado da minha Retrospectiva Literária 2013 e que também se anime em fazer a de vocês também. Afinal, esse tipo de balanço é super importante para que a gente consiga avaliar o grau de amadurecimento das nossas leituras e focar nos livros que realmente tem mais chances de fazer nossos coraçõezinhos literários felizes.

Beijos e até o próximo e ultimo post (...)












do Ano!

05/12/2013

Café Literário – Das metas que não cumpri ...

Olá leitores! Tudo bem como vocês?

Pois bem, todo final e começo de ano é a mesma coisa. Fazemos aquela lista enorme de metas, que lá pelo quarto ou quinto mês nós, já percebemos que não vamos conseguir cumprir metade das coisas que tínhamos programado. Mesmo que a nossa intenção seja boa, durante o percurso surgem tantos contratempos que infelizmente, é preciso muito mais do que apenas boa vontade para seguir a lista a risca. Pelo  menos esse foi o meu caso.


Ano passado eu me comprometi, a seguir a TAG 12 Livros para 2013, e tipo até maio e junho eu estava indo muito bem. Só que da metade do ano para cá, meu dia a dia começou a ficar mais corrido e de doze livros eu li apenas sete =(. E o pior é que deixei de ler justo os livros que eu mais queria como: Orgulho e Preconceito, O Senhor dos Anéis, Memórias de uma Gueixa e Eragon.  Pretendo ler esses livros no ano que vem, mas acho melhor dessa vez não prometer algo que “talvez” eu não consiga cumprir.

A segunda meta com qual eu meu comprometi esse ano era de não comprar mais do que doze livros. Sim, o plano era comprar apenas um livro por mês e de preferência os livros que estava nessa lista. Posso não ter comprado todos os livros que listei, mas (...) em 2013 eu só comprei oito livros. Felicidade me define *-* Os livros que comprei esse ano foram: Finale, Destino do Tigre, Perversas, Destruidoras, O Livro de Ouro da Mitologia, A Princesa e o Lobo, Os Contos de Beedle – O Bardo, O Diário de Zlata e O Jardim Secreto (ambos que estava na minha listinha).

Não foi fácil resistir a todas as ofertas de livros durante esse ano, mas como eu tinha outras prioridades, tive que fechar a mão e mesmo de coração sangrando me controlar ao máximo para não gastar com livros. Para 2014 eu pretendo guardar dinheiro para comprar livros só na bienal. Principalmente por que quero ler ao menos 50% dos livros que já tenho e reler alguns que já faz tempinho que eu li.

E a terceira meta, que consistia em ler um clássico, eu falhei com louvor (vergonha). Assim como esse ano eu fui uma negação com a literatura nacional, com os clássicos eu prefiro nem comentar para não chorar. Mas já separei um clássico para próxima leitura. Torçam por mim \o/

Para a meta de leitura para 2014 eu ainda não criei uma lista especifica de livros que pretendo ler, mas como sou uma pessoa que gosta de ter pelo menos uma direção a seguir, já tenho alguns livros em mente para ler e reler no próximo ano.

E me contem vocês? Conseguiram cumpri todas as metas literárias desse ano? Algum desafio pronto para 2014?

Compartilhe com os outros leitores do blog aqui nos comentários, e até o próximo post!

Beijos;***





imagem: Tumblr

05/11/2013

Café Literário – Um Livro para Chamar de Meu



Olá leitores! Tudo bem com vocês?

Hoje o nosso Café Literário vai está recheado de muito amor. Afinal, nada melhor do que falar dos nossos livros favoritos não é mesmo?

Segundo o Skoob, tenho 86 livros marcados como favoritos, porém confesso que ultimamente anda um pouco difícil um livro atingir esse status comigo. Não sei, se eu que estou me tornando mais critica e chata (se é que é possível), ou se estou lendo alguns livros na época errada da minha vida, o fato é – que por mais livros favoritos que eu tenha, alguns são mais especiais que os outros.

No Café Literário de hoje, vou compartilhar com vocês meu TOP de livros do coração. Aqueles que por mais que o número de favoritos aumente, serão para sempre os livros mais queridos e amados na minha estante .


Confira!


Um Sonho de Esperança – Nora Roberts.

Esse foi o livro que me apresentou a diva Nora Roberts. Para variar eu comecei a leitura pelo o ultimo livro da trilogia (nada mais Ane), e me apaixonei pela narrativa da autora. Em Um Sonho de Esperança também conheci meu eterno “amor literário”, o Michael Fury (suspiros). Além disso, a  trilogia dos Sonhos é uma das melhores que já li.
Recomendo!





O Diário de Zlata – Zlata Filipović.

Sinceramente não sei quantas vezes eu já li esse livro na vida. Desde que o descobri na biblioteca de minha escola no ensino fundamental, não passou um ano que eu não o pegava para ler umas três vezes, no mínimo. O Diário de Zlata é um relato real da guerra da Bósnia, que aconteceu na década de 90.  É uma história tocante, atemporal e super especial. Quem ainda não leu, fica aqui a dica de um livro simplesmente emocionante.


Um Hotel na Esquina do Tempo – Jamie Ford.

Quem acompanha o blog há mais tempo, sabe como esse livro me emocionou e o quanto ele se tornou especial para mim, e é claro que ele não podia estar fora dessa lista. Todo mundo deveria ler esse livro, ao mesmo uma vez na vida. Muito, mais muito amor !








A Viagem de Théo - Catherine Clément.

Outro livro perfeito! A Viagem de Théo possui uma narrativa tão rica e delicada que é impossível você não se apaixonar pela história e se emocionar com ela. Aprendi lições valiosas com Théo e sua tia Marthe, lições essa que vou levar pela minha vida toda. Quem tiver oportunidade de ler essa joia literária, por favor, não a deixe escapar. Vale muito a pena!


O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder.

Como ninguém mais aguenta me ouvir falar desse livro, eu vou resumir meu comentário em uma única frase: “O livro mais PERFEITO que já li e reli em toda a minha vida!”










Fazer essa lista não foi uma tarefa fácil, principalmente por que foi bem difícil deixar alguns livros que amo tanto fora dela. Por esse motivo, para ficar de bem com a minha consciência e meu coração, eu vou me comprometer com vocês a fazer um post “parte dois”, desse Café Literário. E como vocês sabem, eu posso até demorar em cumprir minhas promessas, mas sempre cumpro. =D

Mas, agora eu quero saber de vocês. Qual ou quais livros se tornaram especiais ao ponto de ninguém mais aguentar ouvir vocês falando dele?

Beijos e até o próximo post ;***

02/10/2013

Café Literário – Benditos Triângulos Amorosos



Oie leitores!  Tudo bem com vocês?

Hoje em nosso Café Literário vou abrir meu coração sobre um assunto que há muito tempo vem me incomodando nos livros em gerais, - os Benditos Triângulos Amorosos.

Tudo bem que eles não são uma grande novidade, afinal eles sempre existiram e vão existir em filmes, séries, novelas e nos livros também. O problema é que de um tempo para cá parece que ele se tornou requisito obrigatório principalmente nas séries literárias. E cá entre nós, isso já está começando há ficar um pouco sem graça.

Se o autor quer usar esse tipo “artifício” para deixar a narrativa mais emocionante tudo bem (...), porém será que não dá para ser um pouquinho mais original? É sempre a mesma fórmula: Garota chata e sem graça sendo disputada, pelo bad boy bonitão sedutor e pelo “príncipe encantado”, lindo e bonzinho.  E o pior de tudo, na maioria das vezes é tão óbvio com quem ela vai ficar no final, que de verdade nunca entendo o motivo de tanto drama.

Não sei quanto a vocês, mas eu sinceramente fico muito irritada com essas indecisões amorosas literárias, até por que eu acho impossível alguém ser apaixonado por duas pessoas ao mesmo tempo.  Você ficar confuso, sem saber o que sente e como se sente é uma coisa, mas a mensagem que os livros vêm passando ultimamente, é que é normal você “ficar” com uma pessoa hoje e com outra amanhã, afinal você ama as duas e ainda não sabe qual delas ama mais. Em minha humilde opinião isso tem outro nome, mas (...).

Como não quero entrar no mérito “filosófico” e ético da questão, selecionei alguns dos triângulos amorosos mais famosos de todos os tempos.

Vamos conferir?


Saga Twilght: Venhamos e convenhamos que depois que Sthepanie Meyer, surgiu com: Edward, Bella e Jacob, os triângulos amorosos de proliferaram de forma assustadora na literatura jovem. Particularmente, eu nem chego a considerar esse caso em especial um “triângulo amoroso”, pois estava bem na cara que o grande problema, se é que tinha algum problema era que o Jacob não se mancava mesmo.

Trilogia Jogos Vorazes: Nesse caso, ele pode até não ser o foco da história (graças a Deus), mas que ele existe, ali na espreita só esperando uma oportunidade para “atazanar” a nossa vida de leitor, ele existe. Principalmente quando levamos em conta o tão “famoso” marketing. Mas quando o assunto é Peeta, Katniss e Gale eu prefiro me focar mais nos jogos do que no “romance” em si.

Trilogia A Seleção: Definitivamente é muito difícil entender a America. Uma hora está perdidamente apaixonada pelo Aspen e do nada está apaixonada pelo Maxon também. E o mais engraçado é que nesse caso, muitas vezes a America espera atitudes do Maxon, que ela mesma não tem. Vá se entender (...).

Trilogia Estilhaça-me: Adam, Juliette e Warner, como não ficar a beira de um ataque de nervos com esses três. Ok! O Warner não é tão chato assim, na verdade ele é o que realmente “salva” a história (quem já leu Liberta-me vai entender).Juliette a “rainha do drama” é a mais “atiradinha” de nossa lista de hoje. Enquanto o Adam faz o tipo tão “bom moço” que chega a ser chato. O fato é que não quero que a Juliette fique com o Warner, mas em meu ponto de vista ela também não merece o Adam.

Saga do Tigre: De todos os triângulos amorosos com que me deparei nessa minha vida literária, nenhum conseguiu ser tão insuportável quando a história de Ren, Kelsey e Kishan. Teve momentos que eu cheguei a chorar de raiva, da situação no mínimo ridícula em que a autora colocava os protagonistas. Claro que a Kelsey não teve o final que merecida, segundo a minha opinião, só que fazer o que (...). A Saga do Tigre não passa de mais um caso clássico de história que você já sabe com quem a mocinha vai terminar e que ficar revoltado é apenas uma enorme perda de tempo, que infelizmente é inevitável.

Sei que na minha listinha está faltando outros triângulos amorosos famosos, porém selecionei só os que eu tenho “conhecimento de causa”, ou seja, já li senão todos, mas a grande maioria livros.

E vocês, também andam cansados desse clichê um tanto forçado? Tem algum triângulo amoroso que na opinião de vocês é tão chato e bobo, que não deveria existir? Abra seu coração, e comente.

Agora se você é fã dos triângulos amorosos, não deixe também de comentar o porquê você acha eles tão legais assim. Afinal, sempre tem um que pode surpreender não é mesmo?

Até o próximo post leitores!

Beijos;***




imagem: Tumblr

Instagram

© 2010 - 2020 Ariane Gisele Reis | My Dear Library • Livros, divagações e outras histórias. Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in